PARA VOCÊ ENCONTRAR O QUE ESTÁ PROCURANDO

sábado, 19 de janeiro de 2019

Em seu álbum solo, Marcelo Yuka se inspirou em frase que Brian Eno disse para Bono


O baterista e compositor Marcelo Yuka, um dos fundadores da banda O Rappa, morreu no fim da noite de sexta-feira (18), aos 53 anos, no Rio de Janeiro.
Marcelo Yuka escreveu letras sobre temas como violência, racismo e desigualdade social. Seus retratos da vida urbana eram duros, mas às vezes tinham sinais de esperança e resistência.
O compositor era dependente de cadeira de rodas desde que foi baleado em um assalto no Rio, em 2000.
Em 2017 lançou um álbum solo, e concedeu uma entrevista num quarto de hospital, onde passou "muito tempo" naquele período, segundo ele disse, sem detalhar as razões de saúde que o levaram à internação.
No álbum, chamado 'Canções Para Depois Do Ódio', lançado pela Sony Music, cinco das 16 músicas autorais que compõem o repertório são parcerias com o DJ e produtor Apollo 9. As cantoras Céu e Cibelle figuram no disco, assim como o rapper fluminense Gustavo Black Alien, o cantor carioca Seu Jorge e o cantor de origem belga Bukassa Kabenguele, nome recorrente na ficha técnica.
Marcelo Yuka disse na entrevista:

"A Céu fez uma interpretação que é um sussurro. Me lembrei uma vez que o Brian Eno produzindo o U2 falou pro Bono que um sussurro pode ser mais agressivo que um grito. Ela fala no ouvido o quanto é importante não se deixar levar no rancor. Eu tinha todos os motivos pra me deixar levar pelo rancor. Para dizer que "bandido bom é bandido morto". Mas, não. Não posso parecer com aqueles que sempre neguei".

U2 lança "Every Breaking Wave" (New Radio Mix) nas plataformas de streaming de música digital



O site U2 Songs informa que quatro anos depois de lançada, uma versão de "Every Breaking Wave" foi colocada nas plataformas de venda de música digital. Amazon, iTunes e Mora receberam a faixa.
A versão disponível é a "New Radio Mix" e foi disponibilizada mundialmente em uma variedade de qualidades, incluindo versões descompactadas em lojas como 7 Digital e Qobuz.
Esta versão foi lançada originalmente em 23 de fevereiro de 2015, e disponibilizada para download aos assinantes do site U2.COM naquele ano.



Sendo assim, este é o primeiro lançamento comercial deste mix para o público em geral, e a primeira vez que a música foi lançada comercialmente em um formato de áudio descompactado. É também a primeira vez que esta versão da canção está sendo disponibilizada para sites de streaming, como o Spotify e Deezer.
Este mix da música foi entregue pela primeira vez para as rádios na Europa pela Universal Music em 23 de janeiro de 2015. É uma nova gravação da música e é diferente do mix do álbum.
Em 23 de fevereiro de 2015, a música foi disponibilizada para áudio em streaming no U2.COM, e em 2 de maio de 2015 foi anunciado que a música estaria disponível para download para os assinantes.
A faixa foi enviada sob uma variedade de nomes, como "New Version" (para as rádios), "New Radio Mix" (streaming U2.COM), "Radio Mix" (download U2.COM ), "Radio Edit" (área de assinantes do U2.COM onde você faz o download da música).

sexta-feira, 18 de janeiro de 2019

Paulo Ricardo revela que vontade de fazer camisetas do RPM surgiu por causa do U2


Em novembro de 2012, o RPM fechou o 1º dia do Fashion Rio de outono-inverno 2013 com show durante o desfile da TNG. Paulo Ricardo no backstage falou sobre a coleção de camisetas da banda em parceria com a marca.
Ele revelou de onde surgiu a vontade de fazer camisetas do RPM:

"Eu amo, tenho muitas, é item obrigatório. A mais velhinha é uma da Jack Daniels que tá bem furada, mas guardo. Sempre que viajo compro muito, especialmente as de banda, tipo Beatles, Led Zeppelin, Rolling Stones. Tem uma que eu uso muito no palco que tem escrito 'Who the fuck is Mick Jagger?'
Em 1983 comprei um modelo verde-oliva da turnê 'War' do U2. Usava muito e pensava 'quando eu tiver uma banda quero isso também', porque tinha essa cultura de ter a camiseta, o bottom. Já no RPM, em 1986, a Yes Brazil procurou a gente e lançou duas peças, uma colorida e outra em P&B que tinha meu rosto, a gente estava estourando. Depois tentei muitas vezes refazer isso e agora veio a parceria com a TNG e banda pra uma linha de camisetas".
Paulo Ricardo assistiu o U2 em Londres em 1983 no Hammersmith Palais.

O mundo de monitoramento do U2 debaixo do palco na ZOOTV


O mundo de monitoramento do U2 debaixo do palco na ZOOTV era um espetáculo para ser visto. Havia cinco consoles de monitores, somando cerca de 200 canais no total. O diretor de som do U2, Joe O'Herlihy, disse em entrevista na época: "É muito com o que lidar".
Os principais monitores de mesa eram dois Harrison SM5s, além de um extensor de 16 canais, um Yamaha DMP7 e um Soundcraft 200B. A banda de suporte do Reino Unido, o excelente Fatima Mansions, era servido por cerca de 10 canais, compartilhado entre o extensor da Harrison e Soundcraft.
Uma grande área, feita por Scott Appleton, incorporou uma linha telefônica fixa que era uma parte intrínseca da performance de Bono, através de uma matriz de comutação de entrada / saída do sistema. "Isso", disse Joe, "nos permite usar o telefone e obter áudio de boa qualidade tanto com Bono quanto com a pessoa que ele telefona. Dependendo do país em que estamos, Bono pode ligar para o escritório do presidente na Casa Branca ou para a pizzaria local".
Foi no show do Earl's Court, onde uma pizzaria local recebeu um pedido de 10 mil pizzas direto do microfone de Bono.
Na mesma área ficavam os racks de monitor sem fio, programados no DMP7 para níveis de faders automatizados. Joe contou: "É também onde entra todo o material do satélite, em um rack de monitores, para que eles possam discar combinações diferentes, trocar canais e assim por diante".
Lá fora, no estacionamento, ficava uma antena parabólica reluzente de dimensões impressionantes para alimentar o sistema com sinais de emissoras de TV e conexões telefônicas internacionais.
Havia também um backline e monitoramento da área de distribuição de energia. A energia era estabilizada, isolada e controlada por computador com uma rede UPS (Uninterruptable Power Supply - Fonte de Energia Ininterrupta) assegurando os computadores contra falta de energia - dando até 40 minutos de autonomia para desligar o material antes que ele desse uma pane eletrônica.
Na tarefa de mixar a ZOOTV, Joe e o assistente Robbie Adams realizaram principalmente em um console da ATI Paragon e uma mesa Clair Brothers CBA, assistida por um inventário de efeitos projetados para duplicar aqueles usados ​​no estúdio para o gravação de 'Achtung Baby'.
Joe revelou: "É a nossa primeira vez nesta Arena [Sheffield], e a primeira vez na minha carreira que me pediram para fornecer um microfone para um martelo ou uma campainha". Ele continua: "Os detalhes desta turnê, para tocar o 'Achtung Baby', são bem intensos. Há coisas pioneiras como o vídeo e é minha responsabilidade garantir que tenhamos a melhor qualidade de áudio possível.
A atenção aos detalhes é monumental em comparação com o que costumava ser. Não estou dizendo que não tomamos cuidado no passado, mas agora é muito mais exigente, por causa dos tratamentos de estúdio que estamos usando ao vivo - o que pode funcionar bem no estúdio, mas em um contexto ao vivo, eles podem estar completamente fora de sintonia! Por exemplo, logo no início há um tratamento vocal totalmente maluco. É totalmente desorientador porque você não sabe o que esperar. O início do show é um espetáculo, então Bono começa a cantar e isso te empurra novamente, é o mais perto que podemos chegar, como um mix de performance, do álbum.



É legal. Não é um teste de resistência, mas é uma daquelas coisas em que você realmente precisa se dedicar ao que está fazendo, além de controlar o que está acontecendo no palco. Bono gosta de muita comunicação - participação do público - e se for um pouco funky lá embaixo, ele pode acabar cantando na lateral de um microfone em vez de na frente dele, ou o que for.
Meu chefe da equipe de som da Clair Brothers, Robbie Adams, é meu assistente e é basicamente uma mistura de performance entre nós, correndo, pulando e gritando um com o outro de tempos em tempos".

Preparando a versão final do show 360° em Denver


Denver, maio de 2011. O U2 estava nos últimos ensaios antes de apresentar a versão final do show 360° para o mundo. Mudanças tinham sido realizadas.
Era um dia vital de ensaios, mas Edge teve uma intoxicação alimentar, e do lado de fora caia muita chuva.
Willie Williams escreveu em seu diário de turnê: "A banda, menos Edge, chegou ao estádio à noite, na esperança de que as coisas pudessem acontecer. Isso não era para ser, mas até certo ponto nós ainda fizemos uso do tempo, com discussões e assistindo shows de DVDs substituindo o ensaio físico.
A peça de Aung San Suu Kyi de Run Wrake está mais ou menos terminada agora e é uma experiência para assistir. Ela é menos fisicamente dinâmica que a de Desmond Tutu, mas o contexto é esmagador, especialmente quando a peça começa com ela dizendo "Depois de muitos anos eu finalmente sou capaz de falar com você…" Mesmo recentemente, no começo da turnê 360, isso teria parecido como um pensamento ilusório ao extremo.
Havia algumas coisas musicais simples que pudemos gravar, incluindo uma esplêndida gravação do Lumberjacks' Chorus de "Oh Canada" em um banheiro social. Isso será revelado outro dia, mas foi uma grande diversão e tudo feito, lhe asseguro, com o maior respeito".

"Nós finalmente conseguimos deixar quase tudo pronto ontem à noite, mas inevitavelmente ainda houve uma grande correria hoje. No entanto, pronto ou não, chegou a hora marcada, as portas foram abertas e América veio até nós.
Eu fiz questão de estar no meu lugar quando o The Fray terminou seu set, a fim de ver o novo vídeo sobre tempo e estatísticas começar sua exibição de 45 minutos na tela de vídeo. Com certeza, os relógios começaram a aparecer de forma bastante enigmática e, então, a gama de informações altamente eclética, os números aumentando na contagem (ou diminuindo) a cada momento. Eu tenho que ser honesto, fiquei muito satisfeito com isso e Luke, que fez a peça, pareceu muito aliviado. A informação aparece lentamente, mas é estranhamente atraente e nós estávamos gostando de ver as pessoas assistindo. Nós tivemos apenas alguns momentos de tensão, já que houve alguns erros de digitação e um ou dois erros factuais, mas estes serão corrigidos para Salt Lake City. Eu estava morrendo de vontade de ver tudo acontecendo, os relógios mantendo o tempo e a montanha de curiosidades se acumulando. Eu só posso imaginar o que vai acabar sendo adicionado ao longo das próximas semanas.
Com todo o respeito, sabíamos que o público norte-americano (como no caso de uma audiência do norte da Europa) não combinaria com o nível de energia que acabamos de experimentar no México. É a melhor parte de dois anos desde que essas pessoas compraram seus ingressos para este show e, agora que o dia finalmente chegou, e eles realmente fizeram mais do mesmo. Foi um grande show, a banda estava em ótima forma. Os deuses da tecnologia sorriram para nós, o tempo permaneceu seco e tudo funcionou tecnicamente, incluindo as novas jaquetas, os novos arranjos de músicas e a estreia da peça de Aung San Suu Kyi. Fiquei muito satisfeito".

quinta-feira, 17 de janeiro de 2019

Justine O'Mahony conta que não conseguir ingressos para ver o U2 pode causar separação


Justine O'Mahony, do site Wexford People.ie - 01 de Dezembro de 2015


"Meu casamento sofreu um abalo na semana passada.
Não havia mais ninguém envolvido, exceto por quatro rapazes de Dublin, mas não da maneira que você está imaginando. Coloque isso assim, nenhum de nós teve um caso ..... que eu saiba. Mas até onde isso me preocupa, foi quase tão ruim!
Para você entender: Este ano eu disse ao meu marido (sim, você sabe que é sério quando eu o chamo de meu marido) que a única coisa que eu queria para o Natal eram ingressos para ver o U2.
Eu adoro o U2 desde meus 12 anos. Eu era obcecada a ponto de escrever para o pai de Bono toda semana (seu endereço na época ainda estava na lista telefônica) dizendo o quanto eu amava a banda. Ele escreveu de volta para mim no final, puramente, talvez imaginando se livrar de mim, mas não funcionou! Eu continuei escrevendo para ele.
Eu costumava enviar pequenos anúncios para a Hot Press toda semana dizendo o quanto eu adorava 'Bono e os meninos', eu sentava em frente à TV com meu vídeo do 'Live At Red Rocks' e assistia por horas com meu pai entrando e saindo dizendo, " olha aquele idiota usando as botas da mamãe!" só para me irritar.
Sim, isso tudo é bastante embaraçoso agora, mas no interesse da transparência e da honestidade, sinto que devo explicar meu amor de longa data pela banda. Então, quando eu disse para ele que tudo o que eu queria para o Natal eram ingressos para ir vê-los, eu assumi que ele moveria o Céu e a Terra para que isso acontecesse.
Longa história curta: ele não fez isso. Ele foi para o site da Ticketmaster na primeira manhã em que eles foram colocados à venda, todos estavam esgotados, ele me disse e foi isso. Exceto que eu pensei que ele estava blefando! O tempo todo eu estava esperando que no último minuto ele tirasse dois ingressos de trás de suas costas e dissesse 'Tchan Nan! Não sou o melhor marido do mundo?' Ao que eu teria respondido: 'Você é!'
Na última segunda-feira à noite, quando ainda não havia nenhum sinal de ingressos adquiridos, eu o enfrentei. "Você realmente não conseguiu para mim ingressos para o U2, não é?" Ele pareceu surpreso. 'Claro que não. Eu te disse isso semanas atrás'.
"Tudo bem", eu disse. Agora você sabe quando uma mulher diz "Bem", ela quer dizer exatamente o contrário. A semana toda eu tratei ele com frieza. Na quinta-feira ele teve que ir para Dublin com o irmão. Uma mensagem de texto dele às 4 da manhã. "Você se importaria se eu ficasse aqui mais uma noite? Meu irmão conseguiu ingressos para o U2 e ele me pediu para ir com ele".
Eu nunca conheci uma fúria como essa. Sério, eu não conseguia me mexer de tanta raiva. Na minha cabeça eu estava pensando: 'como eu me casei com esse homem? Como ele poderia ao menos pensar em fazer isso comigo? 15 anos de casamento e termina assim!'
Mandei uma mensagem de volta: 'Você faria isso comigo, sério? Tenho apenas uma palavra para você - DIVÓRCIO! Não volte para casa'.
Dez minutos depois, meu telefone tocou. Uma mensagem de texto: 'Ei ... foi uma piada!' Eu respondi: 'nem um pouco engraçada'.
Aconselhamento matrimonial pode ser necessário!"

Bono pichando o muro na capa da Hot Press



O U2 fez um show improvisado em 11 de novembro de 1987 no Justin Herman Plaza no Embarcadero Center.
O local é onde está a escultura do artista Armand Vaillancour, um marco importante de São Francisco, e Bono escalou essa escultura na Fonte Vaillancourt para pintar com spray: "Rock And Roll Stops The Traffic" (Rock And Roll Pára O Tráfego).
A atitude chocou a prefeita de São Francisco, Sra. Diane Feinstein. Ela condenou as ações de Bono.
A polícia de São Francisco tinha em mãos uma acusação contra Bono de contravenção de ações maliciosas. Bono disse que sua ação foi uma expressão artística e nada mais. Em público, ele pediu desculpas e pagou a conta para ter a estátua limpa novamente.
No dia 25 de Dezembro de 1987, a Hot Press publicou uma edição de Natal, e aproveitou a repercussão do caso para colocar na capa um desenho de Bono com uma lata de spray pintando em um muro "Happy Christmas - Rock N Roll".
Trazia o título: American Graffiti - U2 Paint The U.S Red


Assinantes decidirão quais serão as primeiras músicas em formato digital disponibilizadas de 'iNNOCENCE + eXPERIENCE Live 2015 & 2018'


DO U2.COM

Você Decide…

É o set ao vivo definitivo em CD duplo de edição limitada e um SET digital capturando as turnês iNNOCENCE e eXPERIENCE do U2 de 2015 e 2018.
E só está disponível para assinaturas e renovações de 2019.
Antes do envio do CD físico, o site U2.COM estará disponibilizando uma ou duas faixas para download… para assinaturas e renovações.
Primeiro, eles pensaram em perguntar quais os dois downloads que devem colocar de início.
Faça sua seleção das seis músicas listadas NESTE LINK - e eles manterão a pesquisa aberta até o final do mês.
Depois disso, o site enviará para os assinantes notícias sobre o download dessas duas primeiras faixas.

A lista de votação traz:

Song For Someone
The Troubles
Iris (Hold Me Close)
You're the Best Thing About Me
American Soul
The Little Things That Give You Away

Uma grande curiosidade:

"The Little Things That Give You Away" não foi tocada na iNNOCENCE e nem na eXPERIENCE, então o áudio da canção deverá vir ou de uma performance na 'The Joshua Tree Tour 2017', ou da apresentação no 'Jimmy Kimmel Live', ou da Spotify Sessions.

Estas seis canções estarão no CD duplo, e também as faixas já anunciadas que são "The Miracle (Of Joey Ramone)", "Every Breaking Wave", "Song For Someone", "The Blackout", "Get Out Of Your Own Way" e "13 (There Is A Light)".
Um vídeo nas redes sociais da banda trouxe uma performance de "I Will Follow". Se o álbum duplo não trazer só material ao vivo com as canções dos álbuns 'Songs Of Innocence' e 'Songs Of Experience', então o clássico de 'Boy' deve fazer parte do setlist também!

Anton Corbijn revela quais integrantes do U2 ele sente mais dificuldades em tirar fotos


O fotógrafo Anton Corbijn em uma entrevista para Björn Lampe do site U2 Tour:

"É uma amizade que começou como uma relação de trabalho - e o trabalho ainda é trabalho para mim. No começo, sempre que eu os via, eu tirava fotos deles. Hoje em dia eu os vejo com muito mais frequência, mas quase nunca tiro fotos. É apenas uma relação de trabalho muito agradável agora. Eu estou tentando fazer as melhores fotos que eu posso deles, porque isso realmente significa algo se você trabalha tanto tempo juntos. Eu realmente trabalho mais quando eu fotografo o U2 ou Depeche Mode, porque eu não tomo como garantido e eu quero provar que eu sou o cara certo. Há tantas pessoas por aí que gostariam de ter o meu trabalho".

"Com o U2 às vezes há fotos que eu gosto, com o Depeche Mode quase nunca, talvez nunca. Parece estranho e falta o entendimento além do óbvio com o Depeche Mode. Com o U2: eles podem dar muito de si mesmos e, portanto, às vezes é interessante o que sai dali. O problema é que a maioria das pessoas não tem uma visão e esse é o problema. Eu acho que o que eu fiz com o U2 e Depeche ao longo dos anos foi expressando uma visão por trás disso e não apenas uma pura documentação, uma reportagem. Mas com certeza minha visão é subjetiva e eu aceito isso.
No U2 é sempre sobre reuniões, eles discutem tudo! Depeche Mode é apenas vá em frente, o pensamento deles é muito diferente. Quando lhes digo as minhas ideias, dizem apenas "ok, vamos fazer". U2 sempre pensa muito grande, eu acho que em escalas menores e às vezes você tem que trazê-los de volta à terra no processo".

"Eu realmente não gostava da música do U2 no começo. Quando fiz meu primeiro ensaio com eles em Nova Orleans, aceitei principalmente por causa da cidade. No vôo para lá eu estava ouvindo 'October' e realmente não era do meu gosto. Então eu queria tirar algumas fotos, ouvir algumas músicas e eles indo para a cidade eu daria uma olhada nisso. O que eu não percebi foi que o show aconteceu em um barco que foi para o Mississípi quando o show começou. Então eu fui forçado a ficar no barco e ouvi-los..."

"Eu acho que tirar fotos de Adam e Bono é mais difícil. Bono porque ele tem dias bons e dias ruins. Às vezes, há tanta coisa acontecendo em sua cabeça, dia bom, dia ruim ou ele está frustrado. Ele é um cara muito ao extremo, também emocionalmente. Ele e eu ambos temos ideias firmes e que às vezes entram em conflito. E com Adam: ele às vezes não está tão interessado no processo. Larry também pode não estar tão interessado no processo, mas você não pode dizer (risos)".

quarta-feira, 16 de janeiro de 2019

Popmart Tour 1997: O Vestido


25 de Abril de 1997 é uma data muito conhecida pelos fãs do U2. Foi a noite de abertura da turnê Popmart, no Sam Boyd Stadium em Las Vegas, Nevada, EUA.
Foi um show muito bom, mas com muitas falhas e um U2 desentrosado em cima do palco. Algumas canções não tiveram o efeito desejado.
Na performance de "If You Wear That Velvet Dress", algo bizarro: um vestido brilhante foi colocado como adereço no palco B, e lá permaneceu pendurado.



Em "With Or Without You" dá pra ver no começo o vestido sendo retirado do palco!



Jools Holland fala sobre o U2 nos primeiros anos


Se o U2 notou um pico de vendas de álbuns em 2008 em Greenwich, no sul de Londres, isso se deve ao fato do lendário músico e apresentador de TV Jools Holland ter ingressado na loja HMV local e ter comprado as reedições de 'Boy', 'October' e 'War'.
"Eu gosto de apoiar jovens talentos", disse Jools, benevolente. Não foi a primeira vez que a banda se aproveitou de seu patrocínio.
"Sim, o U2 nos apoiou - o Squeeze - quando tocamos neste pequeno bar adega em Islington chamado Hope & Anchor", ele relembra. "Foi no início de 1979 e a multidão consistia de três homens e um cachorro - o cachorro foi embora na metade porque ele não estava envolvido. Então a única audiência para o U2 foi Squeeze e vice-versa!"
"Eu sabia que 31 anos depois eles seriam a maior banda do mundo?" Ele pondera. "Não, mas você poderia dizer que eles eram jovens ambiciosos que queriam ser mais do que o novo Sham 69.
Eles eram ótimos naquela época e, crucialmente, estão ainda melhores agora. Algumas bandas atingem um certo ponto e começam a atrofiar, enquanto o U2 continua progredindo. Eles nunca saem em turnês de Greatest Hit - há sempre um novo álbum que é invariavelmente mais bem-sucedido que o último".

Do site: Hot Press

Que Horas São No Mundo? Fatos e números diversos sobre a humanidade, a vida, o planeta, a turnê 360, a área local


Denver, maio de 2011. O U2 estava nos últimos ensaios antes de apresentar a versão final do show 360° para o mundo. Mudanças tinham sido realizadas, e seriam aquelas as últimas.
Willie Williams contou em seu diário:

"Até agora, executamos algumas peças de vídeo diferentes baseadas em relógio, definindo o tom da pergunta existencial do show: 'Que horas são no mundo?' Foi algo bem divertido, especialmente o relógio que gradualmente correu mais rápido ao longo do tempo, mas eu queria levar essa ideia adiante e produzir algo um pouco mais envolvente. Do jeito que essas coisas parecem ser feitas, acabou se transformando em um monstro, mas Luke, outro membro do Team Content, veio.
A ideia é que, uma vez que a banda de abertura tenha terminado seu show, relógios aleatórios de vários fusos horários ao redor do mundo começam a rolar pela gigantesca tela de vídeo 360. Depois de um tempo, vindo na direção oposta, toda uma gama de fatos e números diversos começam a aparecer, sobre a humanidade, a vida, o planeta, a turnê 360, a área local ... todos os tipos de trivialidades aleatórias. A parte inteligente, no entanto, é que muitos dos números estão em contagem enquanto eles deslizam pela tela, dando números totais de tudo, desde vendas de carros até a população mundial. Se isso parece complicado, é porque é. Estamos trabalhando com as pessoas que criaram o site "worldometers.info", que nos ajudaram a descobrir como usar alguns de seus feeds de informações. Para isso, adicionamos um fluxo de informações para cada cidade, estado e estádio que visitaremos, além de alguns fatos interessantes sobre a turnê e a equipe, além de alguns dados totalmente aleatórios e curiosos. Uma das partes interessantes disso é que os números são por definição acumulativos. O número atual de "População Mundial" será maior em cada local, enquanto as estatísticas diárias, como "Cigarros Fumados Hoje", serão mais ou menos repetidos de cidade para cidade, dada uma pequena variação para diferentes tempos no palco.
Você já deve ter percebido que, além de ser extremamente complicado, isso significa criar um vídeo diferente para cada show. Para nos proteger contra atrasos e problemas, cada sequência precisa ser executada por mais de uma hora, fazendo com que Luke seja responsável por apenas 32 horas de tempo de tela entre agora e o final da turnê. Em teoria, uma vez que os fatos são reunidos, o layout é projetado e programado, e todo o código é escrito, as mudanças do dia-a-dia devem ser relativamente simples, mas hoje sentimos que estamos longe desse momento. Até mesmo algo relativamente simples, como fazer com que os relógios fiquem no tempo certo, pode se tornar extremamente difícil, no que diz respeito a várias telas de reprodução e de vídeo, mas, vamos encarar isso, adoramos um desafio.
Minha esperança é que esta peça forneça um clima ou um tom que irá definir o cenário para o show 360. Eu gosto da ideia da informação que vai do banal ao controverso, mas apresentando tudo de uma maneira totalmente neutra. Já estivemos aqui antes, já que este era o ethos subjacente da ZOOTV - tudo está lá fora, tudo está vindo para você e a sensação que você faz dele depende principalmente da sua própria percepção e do que você traz para ele".

O show do U2 ainda ecoa em Red Rocks


'U2 Live At Red Rocks - Under A Blood Red Sky' registrado em 5 de junho de 1983, um empreendimento entre a banda, sua gravadora e a Feyline Concerts, capta a imagem duradoura dos primeiros anos do U2.
"Durante anos, quando eu disse às pessoas em Los Angeles que eu trabalhei em Red Rocks, as pessoas sempre perguntavam: 'Você assistiu o vídeo do U2?'", disse Nancy May, que trabalhava para o produtor do concerto, Barry Fey. "Quando fui a Los Angeles para trabalhar para Dick Clark, todo mundo conhecia esse vídeo. E todo mundo conhecia o Red Rocks por causa desse vídeo".
"Uma pessoa comentou que foi uma experiência religiosa, e foi", disse Greg Wigler, um dos três fotógrafos profissionais do show. "O show foi muito além de qualquer coisa que eu já vi antes".
Os fãs concordaram. 'Under a Blood Red Sky' é a gravação mais vendida de todos os tempos no Reino Unido. Fey brinca que ele recuperou rapidamente o seu investimento.
"Mas se tivesse sido outro dia de 78 graus, teria sido apenas mais um concerto", disse Fey. "Em vez disso, foi um show incrível. Você sabia que estava presenciando algum tipo de história. Eu estava sozinho ao lado do palco e meus pés estavam travados. Eu não pude ir a lugar nenhum".
O promotor do show Chuck Morris chama isso de "uma das minhas melhores horas de promoção".
"O jeito que Bono se conectou com a platéia, entrando no público, e o jeito que o fogo aparecia nos lados com a chuva caindo, e todo mundo estava congelando, mas eles não se importavam. Na minha longa carreira, nada chegou perto disso".
Um boato popular a cada dois anos era que o U2 estaria voltando para Red Rocks. "Eu não posso falar pela banda sobre algo assim", disse Morris. "Eu adoraria isso? Absolutamente".
Barry Fey acrescentou: "Perguntei a eles há muitos anos: 'Vocês querem dar uma nova chance a Red Rocks?' Eles disseram: 'Absolutamente não'. E você não pode culpá-los. Eles não podiam fazer nada que fosse comparável a isso. No 25º aniversário perguntei-lhes se queriam fazê-lo novamente. Mas você não pode duplicar isso. Você seria tolo em tentar duplicar isso. Seria como ir a Humphrey Bogart e Ingrid Bergman e dizer: 'Ei, vamos filmar Casablanca de novo'."
O show do U2 ajudou a colocar Red Rocks no mapa. É a razão pela qual muitos artistas de renome ficam ansiosos para tocar lá. O anfiteatro passou a ter mais negócios do que nunca. Os promotores ficam ansiosos para agendar shows lá e Red Rocks quebrou recordes de público.

terça-feira, 15 de janeiro de 2019

"Eu sou branco, rosa e corado. Mas eu tenho soul"


Em outubro de 2001, um grupo de artistas com o codinome de 'Artists Against AIDS Worldwide' (Artistas Contra AIDS no Mundo) lançou um álbum com várias versões de "What's Going On" de Marvin Gaye. O intuito era beneficiar programas de AIDS na África e em outras regiões pobres no planeta. Jermaine Dupri produziu o álbum, que contou com a colaboração de Bono.
Andrew Essex para a revista Details escreveu:
"Voltando ao estúdio, Bono pede para Dupri tocar a música novamente. Ele gosta disso. Ele mostra o falsete que desapareceu em Philly. O groove entra em ação, um pouco mais pesado na guitarra do que a original de Gaye, e Bono começa a balançar a cabeça. "Estou muito seguro com o fato de que eu não sou negro", diz ele enquanto sua voz começa a subir contra o backbeat. "Eu sou branco, rosa e corado. Mas eu tenho soul".
"Queremos levar essa questão para o cotidiano americano. Para os shoppings. Para as crianças do ensino médio", disse Bono em uma entrevista durante uma pausa nas sessões de gravação. E acrescentou que, chamando algumas das estrelas mais jovens e mais populares da época para participar, os organizadores também esperavam que eles apontassem que não era apenas o mesmo "grupo de amigos que você normalmente espera" que estariam por atrás dos movimentos conhecidos como Artists Against AIDS Worldwide e Global Aids Alliance.

O vinil de "Hold Me, Thrill Me, Kiss Me, Kill Me" para o Record Store Day Black Friday 2018


O U2 ganhou um colorido especial para o Record Store Day Black Friday 2018 com o lançamento do vinil de 12 polegadas de "Hold Me, Thrill Me, Kiss Me, Kill Me" em uma embalagem estilo revista em quadrinhos que inclui um encarte interno de dupla face com a história onde nossos heróis descobrem que "sabedoria é a recuperação da inocência no fim da experiência", a mesma mostrada na animação da Intermission da eXPERIENCE + iNNOCENCE Tour 2018.



Há outro insert de dupla face com a letra da canção e uma arte. Artwork da AmpVisual.



O Lado A traz "Hold Me, Thrill Me, Kiss Me, Kill Me" (The Gotham Experience Remix) com vocais de Gavin Friday e Régine Chassagne. O remix ficou por conta de St Francis Hotel.
O Lado B é "Hold Me, Thrill Me, Kiss Me, Kill Me" (The Original Mix), com a remasterização feita para o relançamento da coletânea 'The Best Of 1990-2000' em vinil.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...