"Song For Someone" 360 Version

Anúncios

sexta-feira, 30 de novembro de 2012

Paulo Ricardo e Claudia Albuquerque cantam "I Still Haven't Found What I'm Looking For" do U2

Em show solo do vocalista do RPM, Paulo Ricardo, no Tom Jazz, em 2009, ele cantou um trecho de "Never Tear Us Apart" do INXS. Em seguida, ele recebeu no palco a cantora Claudia Albuquerque para juntos fazerem uma performance de "I Still Haven't Found What I'm Looking For" do U2. Ele iniciou a música cantando "Monte Castelo" do Legião Urbana:


Cantora, compositora, letrista e pianista, Claudia Albuquerque nasceu em Estocolmo, Suécia, e passou a maior parte da vida no exterior. 
Antes de morar em São Paulo, viveu em Londres, Madri, Teerã, Cingapura e nos EUA. Tantas mudanças, despedidas e reinícios contribuiram para o desenvolvimento da sua paixão pela diversidade e da sua facilidade e segurança ao transitar de composições eruditas para o rock, deste para o blues, jazz, bossa-nova ou música eletrônica. Independente do estilo, cada canção é criada e executada com primor, à luz da sólida formação musical clássica, iniciada ao piano, quando tinha apenas 8 anos de idade. Aos 15, seu talento criativo foi ativado ao compor suas primeiras composições clássicas. Paralelamente, nasceu a paixão pelo rock e o desejo de dar asas à fusão de estilos que marca o nome e as faixas do seu primeiro álbum “Music Freedom” , lançado em 2008 pela Livraria Cultura.

As duas novas versões de "Walk On" do U2 na trilha sonora do documentário 'O Soldado da Birmânia'

O Soldado da Birmânia (Burma Soldier), é um documentário da HBO de 2010 que mostra o olhar de Myo Myint, um ex-soldado do regime ditador da Birmania, que nos mostra sua difícil trajetória desde a milícia, até se transformar em um grande seguidor do movimento pró-democracia.
A trilha sonora do documentário, lançada em 17 de maio de 2011, ficou por conta de Paul Brill, e o destaque é o novo arranjo original de cordas, para uma nova e inédita gravação de "Walk On" do U2, com novo vocal de Bono. Ele canta ainda um trecho de "You'll Never Walk Alone" uma canção composta por Richard Rodgers e Oscar Hammerstein II para seu musical de 1945, Carousel.
Bono gravou o vocal ao vivo, já que no finalzinho da canção, pode-se ouvir alguns gritos de platéia.
O produtor e engenheiro de som Robert L. Smith, fundador da Defy Recordings, trabalhou com o compositor Paul Brill na trilha do documentário. Smith e Brill registraram um quarteto de cordas no Avatar Studio G, para acompanhar a versão acústica de "Walk On". Smith mixou a música no Defy Recordings em Hell’s Kitchen, e ela toca nos créditos finais do documentário.
Paul Brill colocou a trilha sonora à venda digitalmente em seu site, e o álbum traz duas versões da nova "Walk On": a versão editada que toca nos créditos do filme, com 3 minutos e 13 segundos, e também a versão acústica completa, com 4 minutos e 24 segundos de duração.

Os fãs do U2 podem escutar e fazer gratuitamente o download destas duas versões nos links à seguir, no próprio site de Paul Brill:

Edited Film Version - Download


Full Acoustic Version - Download


"Walk On" é sobre Aung San Suu Kyi, uma ativista da Birmania que foi condenada à prisão domiciliar em 1989 por protestar contra o seu governo.
O álbum 'All That You Can't Leave Behind' do U2 foi proibido na Birmânia por causa desta canção dedicada è ela.

Agradecimento pelos links do Soundcloud: U2 NEWS

quinta-feira, 29 de novembro de 2012

Site oficial do U2 disponibiliza terceira bonus track que faz parte do pacote 'From The Ground Up: U2.COM Music Edition'

'From The Ground Up: U2.COM Music Edition', é o novo brinde para as assinaturas e renovações 2012/13 do site U2.COM
O site oficial disponibilizou inicialmente para os assinantes o download de duas faixas ao vivo que não fizeram parte de U22 e também não estarão no CD com as escolhas do Edge.
As duas canções foram: "No Line On The Horizon" e "Spanish Eyes".
Agora uma terceira faixa bônus está disponível para download para os assinantes: a canção "Desire".
Ouça aqui e baixe para sua coleção:

"The Unforgettable Fire" direto do receptor do fone de ouvido de Bono em um show na turnê 360°

Áudio estéreo IEM do receptor do fone de ouvido de Bono, da performance de "The Unforgettable Fire", em um show do U2 pela turnê 360°. Bono se perde em um verso, erra a letra e precisa improvisar:

IEM'S são dispositivos utilizados por músicos, engenheiros de som e audiófilos para ouvir sua música ou ouvir uma mixagem personalizada trabalhada de vocais e instrumentos de palco para performances ao vivo ou em um estúdio de mixagem.

Ouvindo a versão perdida de "Miss Sarajevo"

É 1995, final de julho, uma quarta-feira. Dublin está quente. Os membros do U2 e a equipe de Brian Eno estão em um estúdio de gravação na beira do rio, com a promessa de terminar de fazer seu álbum conjunto em três dias. Esta é um pouco da história de um dia no estúdio:
Howie B. está de volta com mais algumas mixagens, e todo mundo está ouvindo uma versão perdida de "Miss Sarajevo", que os engenheiros de som encontraram. A cena continua como antes, mas desta vez The Edge, por exemplo, sente que eles estão se fechando sobre o objeto de sua busca, que o fim do jogo para os Passengers está próximo: "Nós estamos um milhão de quilômetros de distância atrás hoje, mas agora sentimos que estamos chegando lá." Por mais duas horas, os Passengers ouviram faixas e discutiram os seus méritos.

A humildade de Bono com os integrantes do The Damned

Dave Pennefather foi gerente geral da MCA Ireland e Mother Records: "Uma vez, quando eu tinha apenas começado com a MCA, o The Damned veio para tocar no Top Hat em Dun Laoghaire em 1986. The Damned é uma banda britânica de punk rock e rock gótico formada em Londres em 1976. Estava cheio e os integrantes da banda viram Bono sentado em uma mesa no canto. Então eles disseram que realmente gostariam de ir até ele e dizer 'olá', e perguntaram seu eu poderia ajudar nisto. Eu disse que iria dar esta chance, e eu fui em frente e me apresentei à Bono e expliquei por que eu estava lá. Ele ouviu pacientemente e então ele disse: "Não". Eu quase morri. Fui confrontado com ter que voltar até o Damned e dizer-lhes o que tinha acontecido. Então Bono disse: "Eu vou até a mesa para dizer-lhes 'oi'. Se eles são os visitantes na minha cidade, então eu devo ir até eles e cumprimentar."
Foi uma atitude linda de Bono."

quarta-feira, 28 de novembro de 2012

A apresentação do U2 na Inglaterra em 1980 que nunca foi ao ar

No dia 26 de novembro de 1980 em Hulme, Inglaterra, o U2 tocou em um teatro vazio (no antigo Playhouse Theatre), para gravar uma performance de 4 canções, para o programa de Peter Powell que iria ao ar mair tarde na BBC Radio.
Só que inexplicavelmente, esta gravação nunca foi ao ar. E os fãs do U2 se lamentam devido à um fato: as três primeiras canções tocadas para o programa foram "Twilight", "11 O'Clock Tick Tock" e "I Will Follow". A quarta canção tocada foi "Father Is An Elephant", uma música rara e inédita do U2. Além desta performance, o U2 só apresentou esta faixa outras três vezes ao vivo, com Bono dedicando ela ao seu pai.
Jamais gravada em estúdio, esta antiga canção melódica do U2 escrita por Bono, só possui registro ao vivo, e traz elementos das canções "A Day Without Me" e "Rejoice". Ou seja, ela é mais antiga do que estas composições e serviu de demo base para estas duas canções.
Se a gravação do U2 para o programa de Peter Powell tivesse ido ao ar, os fãs do U2 teriam tido a oportunidade de ter em áudio da mesa de som, a rara canção "Father Is An Elephant".
Mas como infelizmente a gravação não foi ao ar, a canção só existe em uma versão bootleg gravada da platéia, com o aúdio um pouco acelerado.

Bono está nos Iphones, Ipod's e também na caixa do Playstation 2

O site U2 NEWS lembrou em uma matéria, que a silhueta do rosto de Bono está presente em um APP dos Iphones da Apple, e também uma imagem de seu rosto estampa as caixas dos Ipod's, também da Apple.

Informações adicionais:

Esta imagem foi tirada da performance do U2 da canção "Original Of The Species", em um show em Chicago no ano de 2005, na Vertigo Tour.
Um trecho da performance foi utilizada para promover um comercial do Ipod da Apple lançado na época:

Você pode encontrar o rosto de Bono estampado também na parte de trás da caixa do Playstation 2 Slim. Na ilustração de um jogo chamado SingStar, a foto é do rosto de Bono no videoclipe da canção "Vertigo":

terça-feira, 27 de novembro de 2012

Site oficial do U2 publica mais um video com uma das escolhas de The Edge para 'From The Ground Up: U2.COM Music Edition'

'From The Ground Up: U2.COM Music Edition', o novo brinde para as assinaturas e renovações 2012/13 do site U2.COM
Após o sucesso de U22, o CD com 22 faixas ao vivo votadas pelos assinantes, não havia dúvida de que todo mundo queria e esperava ainda mais faixas ao vivo da turnê.
Desta vez, The Edge foi quem selecionou um CD de edição limitada de 15 faixas ao vivo tocadas na U2360°. O CD é conhecido por Edge's Picks (Escolhas de Edge).
O site oficial da banda divulgou um pequeno vídeo de umas das canções do CD, "New Year's Day", da performance no Croke Park, Dublin, em julho de 2009:

"Eu e a Jordan temos uma ligação muito forte"

Bono, no livro U2 BY U2: "A Jordan nasceu no dia do meu aniversário, 10 de maio de 1989. Foi um grande presente. Nessa época o U2 estava no STS Studios em Dublin. A Ali foi me buscar no estúdio para irmos ao hospital. Estava com contrações. E eu disse: “Tem certeza que consegue dirigir?” E ela disse: “Vou ficar menos nervosa se eu for dirigindo.” Ela tinha levado uma garrafinha de whisky e algum material de leitura...para mim! Levei comigo um gravador do estúdio. Nem sei em que eu estava pensando. Achei que podia gravar as pulsações do bebê. Estava muito tenso, tentando não demonstrar, encarregado de controlar o soro da Ali, andando de um lado para o outro tentando ser útil. Gosto de controlar as coisas que são potencialmente perigosas, por isso, me custava muito ficar quieto. O meu instinto natural seria: “Alguém que eu amo muito está sofrendo. Bato em quem?” Não podia bater nos médicos nem nas enfermeiras, pois estavam tentando trazer ao mundo a nossa primeira filha. A Ali me disse para deitar um pouco. Havia outra maca na sala de parto e eu me estendi e comecei a ler. Tinha colocado o gravador encostado na Ali e reparei que a pulsação estava ficando mais fraca e lenta. Levantei e disse a Ali: “É normal que a pulsação enfraqueça?” E ela disse: “Deve ser. O bebe só esta descansando.” E eu disse: “Ali, isso não está legal!” E ela: “Faz o favor de se distrair? Deita lá outra vez. Beba um gole de whisky!” Deitei-me e voltei a ouvir a pulsação ficar novamente fraca. Pulei da maca, saí da sala, chamei uma enfermeira e disse: “Olha, ou eu estou imaginando coisas, ou a pulsação está mesmo baixando. É normal que isso aconteça?”
E ela disse: “Ai meu Deus, a pulsação esta muito fraca!” E chamou o médico. A pequena Jojo estava em apuros. Eu tinha razão. Nasceu muito pequena, com dois quilos e meio. Costumava dormir em cima do meu peito. O médico disse: “É bom bebês dormirem sobre o peito, porque ouvem o coração batendo e julgam que ainda estão dentro da barriga da mãe.” Eu e a Jordan temos uma ligação muito forte. Tudo mudou para mim quando ela nasceu. Tudo. Percebemos porque se combate a guerra, porque é que os homens querem possuir terras, compreende-se porque as mulheres são tão espertas, porque elas têm que ser, pois tem que resolver muito mais coisas do que nós. Tenho a maior admiração pelas mulheres. A minha filha virou a minha vida do avesso."






A trilha sonora de Bono e Edge para a peça 'A Clockwork Orange' - 2° Ato

The Edge, maio de 1990: "Originalmente, Bono teve esta frase - "ópera-falada" - para o que estávamos tentando fazer, o que não era muito rap, mas mais sobre os ritmos com diálogo falado sobre ele. De fato, descobriu-se que a peça fez mais exigências sobre nós como compositores, e nos encontramos se afastando daquilo e escrevendo música para a narrativa, em vez de escrever apenas para o tema."
"Nós trabalhamos em algumas peças litúrgicas e borramos as peças originais de hip-hop, e isto deu mais consistência à produção, mas conseguimos incluir algumas amostras da 5 ª Sinfonia de Beethoven, assim como alguns ritmos muito pesados. Há algumas faixas muito abrasivas lá. Eu não esperaria que um fã do U2 reconhecesse essa música como de Edge e Bono, exceto em algumas faixas. Elas realmente não tem nada a ver com o U2, é uma atitude diferente. Na verdade, não só não é a música do U2, como não é realmente música de Bono ou Edge. Se temos um estilo, nós definitivamente colocamos ele de lado para este projeto."
"Não há planos de lançar a trilha sonora comercialmente e eu gosto da idéia de que esta música só existe no contexto do teatro - que é o que nós escrevemos para ele e eu não acho que faria um grande disco sem grande reformulação."
"Anthony Burgess não parece gostar do score que nós escrevemos para 'Clockwork Orange', nem ele, como a produção em si. Eu não sei. Ele é muito antigo, ele teria me preocupado mais se ele tivesse gostado. Ele escreveu 17 sinfonias, você sabe - que ninguém ouviu falar delas, mas ele diz que elas são brilhantes."
"A produção final da peça 'A Clockwork Orange 2004', que eu já vi quatro vezes, é muito boa, mas estranhamente, senti que os ensaios que vimos na verdade tinha mais fogo sobre eles e que, talvez, o estadiamento e o set dissipou um pouco daquela energia. Dito isto, ela se tornou melhor a cada noite que eu vi. Phil Daniels, que interpreta Alex e que nós conhecemos, tem feito um trabalho incrível no palco para fazer o personagem tão crível."
"O script de Burgess é muito prolixo e muito difícil de interpretar. Phil fez uma grande coisa para trazer Alex para a vida da maneira que ele tem em especial, fazendo o papel humorístico. Ele desempenha um Alex muito mais humano do que Malcolm McDowell no filme de Stanley Kubrick."
"No final da história de Burgess, é um trabalho muito dark, mas a produção da RSC - ao contrário do filme - termina com Alex tendo atravessado a experiência e sai curado da lavagem cerebral e tendo crescido fora dos instintos para seguir como um yob (gíria britânica para jovem desordeiro, agressivo ou violento). Este tem sido criticado como um final coxo e é verdade que o deixa um pouco fora do gancho. Quero dizer, eu nunca pensei na ultra-violência de Alex como uma fase que ele poderia crescer fora. Na verdade, é mais um arredondamento teológico do que um dramático arredondamento para cima. Mas a força deste é que leva o público de surpresa e leva as pessoas à pensarem: 'É Burgess certo?' Meu ponto de vista é que Burgess está desatualizado - a violência urbana não é mais uma expressão de tédio adolescente. Tornou-se um modo de vida. É um grande negócio..."
A única canção trabalhada para a peça que foi lançada oficialmente foi "Alex Descends Into Hell For A Bottle Of Milk/Korova 1", que foi mixada por Ingmar Kiang. É o Lado B do single do U2 'The Fly'.

Patrick Brocklebank conta sobre a reação do U2 ao estampar pela primeira vez a capa da Hot Press

Patrick Brocklebank, artista plástico e um dos primeiros fotógrafos do U2: "Uma vez, Bono começou com palhaçadas na sala da minha casa, e disse 'nós decidimos aliviá-lo de sua prata.' E ele pegou a prata da família e colocou dentro de sua jaqueta de couro."
"Ele estava muito interessado em outras bandas. O U2 era preocupado com detalhes. Havia um quiosque na Grafton Street e quando sua reportagem de capa apareceu pela primeira vez na Hot Press, eles foram até lá para perguntar ao jornaleiro qual era o tipo de pessoas que se interessaram por eles. Bono é único em muitos aspectos. Ele está preocupado com coisas que outras pessoas não se preocupam."

segunda-feira, 26 de novembro de 2012

Gwen Stefani e Alicia Keys em um dueto de "Sunday Bloody Sunday" do U2

Alicia Keys e Gwen Stefani fizeram em 2007 um dueto da canção "Sunday Bloody Sunday" do U2 no concerto Black Ball Keep A Child Alive (a arrecadação de fundos em Nova York que honrou Bono por seu trabalho de conscientização sobre a Aids na África):

A trilha sonora de Bono e Edge para a peça 'A Clockwork Orange' - 1° Ato

Após o final da turnê Lovetown e daquele discurso de Bono dizendo que o U2 teria que "dar um tempo e sonhar tudo novamente", Bono e Edge se lançaram imediatamente em outra tarefa, compondo música score para a adaptação para o teatro de 'A Clockwork Orange', representada pela Royal Shakespeare Company RSC, em Londres. Eles já tinham recebido o convite na primavera de 1989.
The Edge comentou: "Percebemos imediatamente que seria impossível reunir músicas no tempo e também sentimos que canções como tal não seria na vanguarda deste tipo de teatro - que correm o risco de transformá-lo em algum tipo de um musical.
Nós conversamos com Ron Daniels sobre o que pensávamos como o lado profético do livro, o fato de que claramente nos guetos negros do EUA na cultura dos artistas de rap, Alex e seus droogs parecem estar vivos e bem. Ron realmente gostou disso e ficou animado. Foi quando fomos para a Stratford para ver sua produção da RSC de Macbeth, que ficamos animados e percebemos que isso poderia ser uma produção muito interessante, mas estavamos bem conscientes o tempo todo que a RSC não era exatamente o rock 'n' roll. Além disso, depois da minha experiência em trabalhar na trilha sonora do filme Captive, eu tinha decidido que a única maneira que sinto-me confortável nesta arena é é se eu posso chegar o mais perto possível do trabalho terminado antes de eu começar a música - e com 'A Clockwork Orange' isto claramente não era remotamente possível. A produção ainda estava em evolução e em desenvolvimento até dias antes da abertura."
"Reservamos algumas datas em estúdio, e Bono e eu passamos quatro ou cinco dias no estúdio em Dublin fazendo demos, durante um período em que, como uma banda, nós estávamos ensaiando para a turnê Lovetown do U2. Então nós fomos para a Austrália. Paul Barrett, o produtor que estava trabalhando com o U2 na época, ficou no estúdio e foi o responsável pela mixagens de algumas faixas, e Adam Clayton tocou baixo em uma faixa apenas do material, à nosso pedido."
"Originalmente, programamos um mês para terminar a trilha, mas alguns shows do U2 tiveram que ser adiados devido à problemas de voz com Bono, terminamos a trilha apressadamente, com apenas duas semanas que antecederam a abertura da peça."
"O re-agendamento dos shows da Lovetown em Amsterdam foi quase o prego no caixão do projeto. Mas durante esse tempo em Londres, fomos para os ensaios da produção em Clapham, e achei muito inspirador. Não havia nenhum conjunto e nenhuma fantasia - apenas o atores, o que era poderoso e nos deu o impulso que precisávamos para voltarmos para o estúdio e terminarmos as músicas."

A noite em que o U2 tocou "I Will Follow" juntamente com uma banda de garagem em um armazém na Florida

No dia 06 de março de 1982, o U2 se apresentou no Leon County Civic Center em Tallahassee, Florida. A banda abriu o show da J Geils Band.
Depois da apresentação, Bono, Adam e Larry sairam para uma caminhada nos arredores e ouviram uma banda de garagem punk rock local, chamada The Slut Boys, que estavam ensaiando.
À uma curta caminhada do Civic Center tinham estes armazéns ferroviários antigos e um destes locais era o local que o Slut Boys praticava regularmente. Um pára-quedas enorme foi pendurado no teto proporcionando uma melhor acústica.
Os três integrantes do U2 então entraram e assumiram os instrumentos dos The Slut Boys por um tempo. Foi assim que eles tocaram uma versão confusa de "I Will Follow", do U2.
Pouco tempo depois, os integrantes do The Slut Boys reconheceram aqueles três garotos que tocaram com eles a canção punk no armazém: ao assistirem na MTV o primeiro videoclipe do U2 transmitido nos EUA, da canção "Gloria".

domingo, 25 de novembro de 2012

"Miss Sarajevo" direto do receptor do fone de ouvido de Bono em um show em Portugal na turnê 360°

Áudio estéreo IEM do receptor do fone de ouvido de Bono, da performance de "Miss Sarajevo", em um show do U2 em Coimbra, Portugal, pela turnê 360°

IEM'S são dispositivos utilizados por músicos, engenheiros de som e audiófilos para ouvir sua música ou ouvir uma mixagem personalizada trabalhada de vocais e instrumentos de palco para performances ao vivo ou em um estúdio de mixagem.

O videoclipe não oficial de "One Tree Hill" editado por uma TV da Nova Zelândia em 1988

"One Tree Hill" é uma canção do U2, a nona faixa do álbum de 1987, 'The Joshua Tree'. Em março de 1988, foi lançada como o quarto single do álbum, apenas na Nova Zelândia e Austrália, enquanto "In God's Country" foi lançada como o quarto single do álbum na América do Norte.
O lançamento de "One Tree Hill" alcançou o número um na parada de singles da Nova Zelândia.
O U2 visitou pela primeira vez a Austrália e a Nova Zelândia em 1984, para abrir a turnê Unforgettable Fire. Depois de um vôo de 24 horas em Auckland, Bono foi incapaz de ajustar-se à diferença de tempo entre Nova Zelândia e Europa. Durante a noite, ele deixou o seu quarto de hotel e conheceu algumas pessoas em um bar, que lhe mostraram toda a cidade. Um dos locais que Bono visitou foi One Tree Hill, um dos maiores vulcões de Auckland.
No dia seguinte, o U2 estava se preparando para o show quando Bono notou um gerente de palco local, um Maori chamado Greg Carroll, que ele descreveu como "este cara muito útil correndo ao redor do lugar".
O empresário do U2, Paul McGuinness, disse que Carroll era tão útil, que achou que ele deveria acompanhar a banda pelo restante da turnê.
O grupo o ajudou à obter um passaporte, e ele posteriormente se juntou a eles na estrada na Austrália e nos Estados Unidos como assistente de palco.
Ele tornou-se amigo muito próximo de Bono e sua esposa Ali Hewson, e após a conclusão da turnê, ele trabalhou para o U2 em Dublin.
Em 3 de Julho de 1986, pouco antes do início das sessões de gravação de 'The Joshua Tree', Carroll foi morto em um acidente de moto, enquanto fazia um favor para Bono. Um carro atravessou na frente dele, e incapaz de parar na chuva, Carroll bateu na lateral do carro e morreu instantaneamente. O evento chocou toda a banda.
Pouco depois de voltar para Dublin, após o funeral de Greg Carroll, Bono escreveu a letra para uma canção sobre o funeral que ele intitulou "One Tree Hill", após a colina o fazer relembrar de sua visita à Auckland em 1984.
Em 1988, um programa de TV da Nova Zelândia exibiu as canções que estavam na parada, e como "One Tree Hill" atingiu o topo, e o U2 não lançou um videoclipe oficial para ela na época, o canal montou um videoclipe para acompanhar a canção, onde mostravam imagens de outros vídeos da banda, imagens de Greg Carroll, de Auckland e da colina, e uma rápida e rara gravação de Bono no funeral.

"One Tree Hill" mais tarde foi incluida como bonus track na versão japonesa da coletânea 'U2 The Best Of 1980 - 1990', e um videoclipe ao vivo da canção foi oficialmente lançado e incluido no VHS com os videoclipes das canções da coletânea.

Bono preferiu fazer uma refeição, do que ir receber disco de ouro pelas vendas de 'October'

Neil Storey: assessor e ex-chefe da Island Records 'Press. Ele se recorda de Bono como um dos únicos artistas importantes com quem ele já desenvolveu uma amizade duradoura: "Eu não acho Bono diferente de você ou de mim, além do fato de que ele é o frontman de uma banda de rock ' n' roll. O cara real é quente, amoroso, carinhoso, compartilha e é um dos caras mais engraçados que eu já conheci. Ele é um grande imitador, anfitrião e um cara fora de série. Há um lado muito particular dele, que quando você descobre o calor e o carinho, partilha o ser humano."
"Eles sabiam o que queriam desde o primeiro dia, embora as armadilhas nunca foram tão importantes. Quando saiu o álbum October, foi direto para o número um e eu tirei a pequena haste para apresentá-los com os discos de ouro. Eles estavam tocando no Lyceum apoiados pelo Echo And The Bunnymen, e pelo que me lembro, eu desci para apresentar essas coisas. Mas Bono estava mais interessado em conseguir algo para comer com Ali, que tinha acabado de chegar na cidade. E eu tenho essa lembrança dele desaparecendo abaixo da Strand com Ali e deixando-me segurando os discos de ouro. Por alguma razão bizarra, Bono sempre foi retratado como uma pessoa muito séria. Ele é muito sério sobre o que ele faz, mas ele é sempre retratado como esta pessoa séria. Até mesmo com a ZooTV eles tiveram que explicar que era tudo uma piada."

sábado, 24 de novembro de 2012

Áudio IEM estéreo de The Edge da performance de "Until The End Of The World" em show no Mexico em 2011

Áudio IEM estéreo de The Edge, da performance de "Until The End Of The World", em um show do U2 no dia 15 de maio de 2011, Cidade do México, pela turnê 360°

IEM'S são dispositivos utilizados por músicos, engenheiros de som e audiófilos para ouvir sua música ou ouvir uma mixagem personalizada trabalhada de vocais e instrumentos de palco para performances ao vivo ou em um estúdio de mixagem.

Adam Clayton e Larry Mullen: Missão Cumprida - Parte2

01 de julho de 1996: Adam Clayton e Larry Mullen estão retrabalhando uma canção dos anos 60, para os anos 90. Cole Morton descobriu que a missão não era impossível.

"Theme From Mission: Impossible", escrita por Lalo Schifrin, tornou-se uma das músicas de assinatura clássica, muitas vezes usada ​​para sinalizar o perigo, glamour e emoção. Assim, quando Adam e Larry sentaram-se para trabalhar com a melodia, tal como ela se apresentava, onde eles iriam levá-la?
"Você diz: 'tudo bem, quem é que vai produzir e quem será o engenheiro de som? Precisamos de músicos extras?' Você começa a refiná-la dessa maneira. Ele não é tão complicada se o tempo existe. É diferente de quando alguém vem até você e diz: 'precisamos de uma música tema e pode ser o que quiser.' Se você está regravando uma música é realmente uma questão de conseguir as pessoas certas por perto para trabalhar, e conseguir bons desempenhos."
A Mother Records lançou um single do tema atualizado em maio de 1996, apresentando duas versões muito diferentes uma da outra. "Tecnicamente falando, a trilha original foi baseada em blues, que era o que tinham feito bandas na década de sessenta", disse Adam. "Mas, a fim de torná-la um pouco diferente, que ele mudou o compasso 5/4, que é uma espécie de território aferroado. Altera a ênfase da batida e torna muito difícil de dançar. Ele foi capaz de suavizá-la usando ritmos sul-americanos."
"Isso foi bem sucedido, mas não estava sendo um trabalhar para uma situação de clube. Então agora nós fizemos uma outra versão em tempo 4/4, que é falsificar a música real. Pessoas não sabem muito bem o que é difere isto, mas uma você pode dançar e outra você não pode."
"Larry e eu começamos à trabalhar no tema de forma independente porque estávamos em dois locais diferentes. Então apresentamos tanto para a Paramount, na esperança de que eles iriam fazer a decisão mais fácil, dizendo: 'Ok, isso não é o que nós gostaríamos que você finalizassem." Eles voltaram e disserram: 'Na verdade, nós gostaríamos que você terminassem as duas versões." Foi nesse ponto que ambas estavam no mesmo local e terminamos as duas faixas juntas."
Algumas coisas da gravação final foram feitas em Dublin, algumas com uma orquestra em Londres e algumas em Nova York com um tocador de percussão, americano. Ambas aparecem no single junto com remixes de Dave Clark, Junior Vasquez e o guru selvagem, Goldie. Eles também estão na trilha sonora lançada pela Mother, que apresenta músicas extras de Massive Attack, Pulp, Bjork e Gavin Friday.
O filme, que ainda estava em fase de conclusão quando conversamos, foi parcialmente filmado em Praga, capital da República Checa, e no Pinewood Studios, em Londres, onde foi filmada a cena envolvendo um helicóptero perseguindo um trem através do Canal da Mancha. Os relatórios de imprensa sugeridas no set-linhas faria com que o filme se auto-destruir, mas que era devido para uma abertura de Julho. O interesse de Adam em avant-garde é bem conhecido, então eu lhe perguntei como ele iria se sentir se o filme acabasse por ser um Peru?
"Hmmm", ele ponderou. "Artisticamente ou comercialmente? Artisticamente é o que é: um filme de ação de sucesso de Hollywood. Eles não esconderam isso de nós, tenho certeza que vai ser muito bom para o que é..."
"Nós estávamos interessados ​​apenas na música, o que existia antes. Eu não quero morder a mão que alimenta, mas não estou particularmente interessado em grandes filmes de Hollywood. Alguns deles são bons, mas geralmente, eles estão em um terreno emocional e criativo que não tem muito a ver com o que me excita como artista."
"Mas foi uma oportunidade para que Larry e eu trabalhassemos em um grande instrumental e atualizá-lo. Essa foi a razão pela qual estivemos envolvidos. A agenda da Paramount Pictures ou Tom Cruise não era algo que estávamos preparados para assumir."

sexta-feira, 23 de novembro de 2012

Paul Byrne conta como Bono criou o selo Mother Records

Paul Byrne: ex integrante, compositor e baterista da banda In Tua Nua. Uma das primeiras músicas do In Tua Nua foi foi escrita e gravada por uma menina de 14 anos de idade chamada Sinead O'Connor, após Byrne ouvi-la cantar no casamento de sua irmã. Bono era um amigo de Steve Wickham (integrante do In Tua Nua e, mais tarde, do Waterboys), que tocou violino elétrico no disco 'War', do U2: "Foi Bono que instigou os negócios da Mother Records. 
Ele disse para Steve Wickham que ele desejava, juntamente com o U2, criar um selo de gravação. Ele convocou uma reunião em uma pequena cabana junto ao mar perto de Howth, onde nós estavamos ensaiando. Ele disse que queria chamar o selo de Mother, e queria usar uma pequena velha em uma cadeira de rodas como um logotipo, assim como em The Man From U.N.C.L.E
Foi algo muito maluco. Ele realmente é muito maluco, mas ele rapidamente passou para Adam, o cérebro de negócios do selo. Em seguida um single foi feito e ficou lá por três meses, quando eles perceberam que não havia 'gravadora' para levá-lo mais longe. Nunca vi ele tão sério. Ele sempre foi um palhaço de verdade. Se ele estava com toda a banda, ele estava sempre se divertindo e fazendo piadas."

Áudio IEM estéreo de The Edge da performance de "Where The Streets Have No Name" em show no Mexico em 2011

Áudio IEM estéreo de The Edge, da performance de "Where The Streets Have No Name" com trechos de "Play Me" de Neil Diamond e "High And Dry" do Radiohead, em um show do U2 no dia 15 de maio de 2011, Cidade do México, pela turnê 360°

IEM'S são dispositivos utilizados por músicos, engenheiros de som e audiófilos para ouvir sua música ou ouvir uma mixagem personalizada trabalhada de vocais e instrumentos de palco para performances ao vivo ou em um estúdio de mixagem.

Adam Clayton e Larry Mullen: Missão Cumprida - Parte1

01 de julho de 1996: Adam Clayton e Larry Mullen estão retrabalhando uma canção dos anos 60, para os anos 90. Cole Morton descobriu que a missão não era impossível.

Para aqueles não familiarizados com a famosa série de espiões dos anos 60, Missão:Impossível, ela geralmente começava com uma mensagem de auto-destruição com a missão em questão - altamente perigosa, normalmente glamourosa e, impossível - sendo descrita em fita para um nervoso agente de inteligência. Em seguida, a máquina de fita virava fumaça.
Agora, a série de TV cult sobre a CIA foi refeita como um blockbuster de Hollywood, com o sorriso brilhante de Tom Cruise. E a missão de fornecer uma atualização anos 90 de sua famosa música tema, foi aceita por esses dois agentes: Adam Clayton e Larry Mullen.
Em grande risco à vida e à integridade física (e depois de vários martinis secos), consegui rastrear o agente cujo codinome é "baixista" e arrancar uma confissão dele. A oferta para fazer o tema veio da Paramount Pictures em 1995 para o U2, quando a banda estava se remontando após a longa pausa, ele me disse.
"Era a última coisa que a banda queria fazer, pois estávamos prestes a começar a se concentrar em em nossa própria música e começar a programar a nossa própria gravação. Nós dissemos que não, porque estas coisas tendem a levar mais tempo do que você pode imaginar. Ao mesmo tempo, todos estavam entusiasmados com esta grande melodia.
Então eu pensei sobre isso. Há sempre uma pausa de respiro enquanto fazemos um disco do U2, e isto é algo instrumental, talvez por isso, era algo que Larry e eu poderiamos fazer. Então fomos em frente."
A Paramount teve sorte em conseguir seus homens. Os executivos da companhia de cinema de todo o mundo gostariam de usar uma associação com o U2 para aumentar as chances de seu filme. "É muito elegante para os filmes tentar conseguir um grande nome, mas geralmente não tem nada a ver com a qualidade do trabalho ou a relação entre a música e o filme", ​​disse Adam, de seu esconderijo secreto (também conhecido como seu próprio quarto da frente).
"Eu estava ciente daquilo, mas Missão: Impossível é a tal grande sintonia e nós pensamos em tentar fazer uma versão atualizada, e pensar nisso mais como algo que iria tocar em clubes, em vez de algo que iria promover um filme."
Os membros do U2 já participaram de uma longa lista de colaborações. Larry e Adam trabalharam junto com Daniel Lanois e Nanci Griffith, por exemplo. Assim, como eles decidem qual das muitas ofertas aceitar?
"Geralmente você trabalha a partir de uma lista de prioridades. Quando estamos tendo uma reunião da banda, há uma agenda lá que alguém já aprovou. Isso é o que faz a gestão. Passa por coisas e diz: "Nisto vale a pena gastar tempo em uma reunião."
É realmente uma questão de quanto tempo a banda tem, quais são as metas para os próximos dois anos ou mais, e se ele se encaixa naquelas inspirações ou não."
Assim, a série original não tinha significado nenhum para ele? "Em termos de nostalgia, sim. Lembro-me de assistir. Eu não sei que idade eu tinha. Devia ter uns 10 ou 15 anos. A América, para uma criança nesta idade que vive no subúrbio de Dublin, era um lugar muito emocionante. Até certo ponto, talvez a influência da TV americana na Irlanda teve um efeito sobre o futuro e as visões e sonhos. Ainda não tinhamos a BBC, por isso não tinhamos esta influência inglesa então."

quinta-feira, 22 de novembro de 2012

O áudio "muito especial" do site U2.COM aos assinantes

Ontem, o site oficial do U2 deixou os fãs enlouquecidos com um email: “Entrando no site U2.COM amanhã à noite, quinta-feira, 22 de Novembro, 20h horário local (18h no horário de Brasília) os assinantes do site serão os primeiros do mundo a ouvirem um áudio muito especial.
É tudo o que temos para dizer no momento!”
Ontem também a (RED) anunciou uma colaboração com um dos DJs mais importantes do mundo e pioneiros da dance music eletrônica, Tiësto.
Na próxima terça-feira, 27 de novembro, Tiësto vai lançar uma coletânea exclusiva, DANCE (RED), SAVE LIVES, seguido de um livestream global - transmitido pelo YouTube (www.youtube.com / joinred) - do Stereosonic Festival de Meulbourne sobre o Dia Mundial da Aids em 01 e 02 de dezembro.
A compilação apresenta artistas como Calvin Harris, Avicii e Diplo, bem como uma colaboração exclusiva entre Tiësto e Bono em uma versão inédita remixada de "Pride (In The Name Of Love)" do U2.
Esta faixa vazou hoje em sites de fãs do U2 pelo mundo, e ficamos sabendo que é uma nova gravação de Bono e Tiesto para "Pride (In The Name Of Love)".
E este "áudio raro" que o U2.COM prometeu hoje especialmente para os assinantes era justamente esta canção da coletânea DANCE (RED), SAVE LIVES, que os fãs já conheciam pelos menos 4 horas antes e já tinha sido postada aqui no blog.
Feliz Dia de Ação de Graças né?

O áudio da nova versão de "Pride (In The Name Of Love)", produzida por Bono e Tiësto

A (RED) anunciou uma colaboração com um dos DJs mais importantes do mundo e pioneiros da dance music eletrônica, Tiësto.
Imaginava-se que a colaboração do DJ com Bono para uma das faixas do álbum, seria um remix de "Pride (In The Name Of Love)" do U2, segundo foi divulgado pelo U2.COM
Mas a faixa é uma nova gravação da música, com produção de Bono e DJ Tiësto, que estará presente no CD chamado "DANCE (RED), SAVE LIVES". Bono regravou os vocais da canção em estúdio, e não traz a participação dos outros integrantes do U2. Ela traz elementos remixados da base original, e efeitos acelerados na guitarra original de Edge.
O backing vocal original de Edge ("ohhh ohhhh ohh") foi mantido na canção. Mas Bono regravou os seus "ohhh ohhhh ohh".
O U2 escreveu a canção "Pride (In The Name Of Love)" para Martin Luther King, e a primeira linha do último verso ("early morning, april 4"), refere-se ao tiro levado por Martin, na manhã do dia 04 de Abril, sendo que na verdade um erro foi cometido por Bono, pois o tiro aconteceu às 6 horas da tarde.
Bono admite o erro, e por isso nesta gravação ele canta: "early evening, april 4".

Gavin Friday conta sobre seu primeiro encontro com seu melhor amigo, Bono

Gavin Friday: consultor do U2, ex vocalista do Virgin Prunes e melhor amigo de Bono: "Ele morava na outra extremidade da rua, no número 10 da estrada Cedarwood eu morava no beco sem saída. Houve uma divisão quase subliminar na estrada - protestantes em uma extremidade e católicos na outra. Bono era uma diversão interessante, porque sua mãe era protestante e seu pai católico.
Eu era tímido e reservado para além de minhas roupas. Eu era tipo Marc Bolan, eu tinha um brinco e eu costumava caminhar até a estrada, passando por Bono e sua turma, com discos de Marc Bolan e de David Bowie debaixo do braço. Ele se aproximou de mim um dia. Ele estava vestindo jeans branco, uma camiseta e sapato de plataforma. De repente ele havia decidido que eu era uma pessoa interessante para conversar. Suspeitei de algo imediatamente. E eu estava certo, pois ele só queria pedir meus discos emprestados. Peguei todos de volta depois, mas com geléia na capa e faltando os encartes com as letras.
"Bono tinha um antigo som de rolo para rolo, que não dava para tocar cassetes, então ele pegava discos emprestados e gravava de rolo para rolo, que pertencia à seu pai. Nós todos tínhamos muito em comum. Nós odiavamos futebol. Odiávamos sentar para beber cidra. Então, todos nós saímos juntos na Lypton Village, a nossa gangue, sentando nas salas de estar de cada um. Nós todos nos pintávamos, nos fantasiávamos e viajavamos sobre como se tornar famosos e mudar o mundo. Nós demos outros nomes uns aos outros: Bono foi chamado Bono Vox da O'Connell Street por causa da loja de aparelho auditivo de lá, e eu fui chamado Gavin, por causa da minha cabeça em forma de quadrado e sementes Wavin, e Friday, porque eu era capaz de se dar bem com qualquer um.
Bono é totalmente incompreendido. Acho difícil falar sobre ele porque somos como irmãos. Sei pelo cheiro dele, qual humor está com ele. Ele é provavelmente um dos caras mais engraçados que eu conheço. Ele é um lunático, porra. Ele é toda essas coisas e os personagens da Zoo TV, e fazem sentido para mim.
Ele é um performer, um artista, um entretenimento. Formamos bandas aos 15 anos de idade. Nós não somos normais."

Poster de Bono aparece no filme "Insônia", de 1997

"Insônia" (Insomnia, Noruega, 1997), é um filme com direção de Erik Skjoldberg, e traz no elenco Stellan Skarsgard, Sverre Anker Ousdal, Thor Michael Aamodt, Gisken Armand e Bjorn Floberg.
Uma jovem adolescente é assassinada no interior da Noruega e dois detetives da capital são encarregados de viajar ao local para investigar. Ao perseguirem um suspeito no meio de um nevoeiro, Jonas Engstrom (Stellan Skarsgard) mata por acidente seu parceiro com um tiro e desesperado resolve tentar encobrir o fato, primeiro alegando que o suspeito é quem atirou e depois conforme a situação vai evoluindo, Jonas inventa novas mentiras até que é interpelado pelo criminoso, que diz ter visto Jonas atirar no parceiro. Envolvido numa teia de mentiras, sendo manipulado pelo criminoso e ainda sofrendo de insônia, Jonas a cada dia se vê mais perdido e sem saída da terrível situação em que se meteu.
Aos 7 minutos e 17 segundos do filme, os detetives estão fazendo uma busca no quarto da menina assassinada. Na porta de seu guarda roupa, pode ser visto um close-up de um poster preto e branco de Bono, por volta de 1986.
Este interessante drama nórdico tem na interpretação do ótimo Stellan Skarsgard um de seus pontos altos, ele praticamente carrega sozinho o filme, que utiliza a questão geográfica do dia interminável naquela região, para criar a insônia que o personagem sofre, junto com sua consciência pesada e a pressão para resolver dois crimes, sendo um que ele mesmo comentou. A refilmagem de Christopher Nolan de 2002 é ainda melhor, principalmente em relação ao elenco, com Al Pacino, Robin Williams e Hilary Swank.

quarta-feira, 21 de novembro de 2012

Site oficial do U2 promete áudio muito especial para os assinantes

Raridade? Canção inédita? Canção nova? O remix de Bono e Tiesto?
Surpresa para os fãs no Dia de Ação de Graças!

Tradução do site www.u2br.com:

“Entrando no site U2.COM amanhã à noite, quinta-feira, 22 de Novembro, 20h horário local (18h no horário de Brasília) os assinantes do site serão os primeiros do mundo a ouvirem um áudio muito especial.
É tudo o que temos para dizer no momento!”

Bono trabalha com DJ Tiesto em um remix de canção do U2 para coletânea da (RED)

O site U2.COM informa:

A (RED) anunciou uma colaboração com um dos DJs mais importantes do mundo e pioneiros da dance music eletrônica, Tiësto.
Na próxima terça-feira, 27 de novembro, Tiësto vai lançar uma coletânea exclusiva, DANCE (RED), SAVE LIVES, seguido de um livestream global - transmitido pelo YouTube (www.youtube.com / joinred) - do Stereosonic Festival de Meulbourne sobre o Dia Mundial da Aids em 01 e 02 de dezembro.
A compilação apresenta artistas como Calvin Harris, Avicii e Diplo, bem como uma colaboração exclusiva entre Tiësto e Bono em uma versão inédita remixada de "Pride (In The Name Of Love)" do U2.
O anúncio da (RED) e seus parceiros marcam um marco importante na luta contra a AIDS, tendo gerado US$ 200 milhões para o Fundo Global.
Falando sobre sua colaboração com a (RED), Tiësto disse: "Quando eu fui para a África em 2006, fiquei impressionado com o efeito devastador da Aids. Agora o mundo tem uma chance incrível para se certificar de que os bebês possam nascer livres do HIV em 2015, e da comunidade de dança que vai fazer muito barulho para ajudar a fazer isso acontecer."
Deborah Dugan, CEO da (RED), disse que "Tiësto representa uma geração de fãs de música jovem com incrível paixão e energia. Queremos aproveitar essa paixão para ajudar a fornecer uma geração livre da AIDS até 2015; um monumentalmente importante marco na luta contra a AIDS. O que Tiësto e seus amigos da comunidade de dance music estão trazendo para esta luta é inestimável. Eles trazem o tipo de calor que é tão desesperadamente necessário para manter esta questão no topo da agenda. Neste dia mundial da AIDS, eu quero fãs para comprar o álbum e à dançarem com a Red e salvar vidas!
A (RED) foi fundada em 2006 por Bono e Bobby Shriver para envolver as empresas na luta contra a AIDS. Seus parceiros são icônicas marcas globais que contribuem em até 50% dos lucros da (RED) de bens e serviços de marca para o Fundo Global de Luta contra Aids, Tuberculose e Malária.

Bono recebendo um prêmio em nome do U2, no NRJ Music Awards 2005 na França

No ano de 2005, o U2 recebeu um prêmio especial na realização do NRJ Music Awards em Cannes, na França. Foi exibido um vídeo em homenagem à banda.
Quem apresentou o prêmio de honra ao U2 foi a supermodelo e amiga da banda, Naomi Campbell. Bono esteve presente para receber o prêmio em nome do U2. Ele expressou em francês o seu amor pelo país: "Eu não sou deste país, mas eu vou fazer uma pequena confissão para vocês - é na Cote d'Azur que eu me sinto em casa".
Bono chegou atrasado para a cerimônia, devido ao trânsito, e deixou seus seguranças contrariados, ao chegar e sair do carro livremente e passar pela multidão sem guarda costas, para chegar até o tapete vermelho. "Felizmente ninguém estava esperando-o no meio da multidão, e ele conseguiu chegar à cerimônia com segurança. É muito incomum e muito arriscado para uma estrela como Bono agir dessa forma, mas acho que seus fãs estão mais do que felizes em conhecê-lo desta forma."

Bono teria cantado "One" no casamento de Salma Hayek

No ano de 2006, a atriz mexicana Salma Hayek e Bono se reuniram no México para jantarem e falarem de projetos humanitários.
"Salma é uma mulher muito lutadora que ama o México e briga por ele, como nós fazemos com a Irlanda", disse Bono, que estava na capital mexicana para três shows da banda.
Já Salma Hayek estava em seu país natal para promover o filme Bandidas, que protagoniza junto com a espanhola Penelope Cruz.
A atriz comentou que Bono é um grande amigo e lembrou que os dois já foram companheiros na campanha humanitária "One", contra a fome e a pobreza no mundo.
No México, Hayek fez doações para campanhas contra a violência doméstica e comentou que Bono tinha planos para realizar algum projeto humanitário no México, mas nada concreto.
Bono esteve no casamento de Salma Hayek em Veneza no ano de 2009, e ele teria cantado "One" do U2 durante a festa. Mas como ele próprio afirma que "One" não é uma canção sobre sobre união, e sim sobre separação, é muito provável que esta informação não seja verdadeira.
O que é confirmado é que Salma cantou "Stand By Me" ao lado de Bono.

Bono na chamada do especial de TV 'Herbert Grönemeyer Live In Concert'

É o que nos informa o site Ultraviolet Brasil (www.ultraviolet-u2.com/)

O artista alemão Herbert Gronemeyer disponibilizou recentemente em seu perfil no Facebook, o áudio completo de seu dueto inédito com Bono na canção "Mensch", gravada em estúdio.
Bono cantou pela primeira vez esta canção ao vivo com Gronemeyer em 2007 na Alemanha, em um concerto de combate à pobreza.
Depois, repetiu o dueto com Gronemeyer em agosto deste ano no Metropolis-Halle, quando Gronemeyer promovia seu novo álbum no idioma inglês, intitulado "I Wak".
Um especial chamado 'Herbert Grönemeyer Live In Concert' será transmitido agora no final do ano: em Nova York no dia 3 de dezembro, com reprise no dia 8, pela WLIW e em Chicago em 09 de dezembro, pela WTTW.
Assista abaixo à versão estendida do trailer do especial, no qual Bono aparece em dois momentos: cantando "Mensh" de Gronemeyer e também "Stuck In A Moment You Can't Get Out Of", do U2.
O curioso é que em "Stuck In A Moment You Can't Get Out Of", pode ser ouvido ao fundo os mesmos efeitos sonoros utilizados pelo U2 nas apresentações ao vivo da canção!

A noite em que Larry Mullen tocou bateria em um show do Garbage

No dia 2 de Dezembro de 2001, pela Elevation Tour, o U2 se apresentou na American Airlines Arena, em Miami.
Mas o show começou um pouco mais cedo para um integrante do U2. O Garbage foi a banda de suporte para o U2 nesta terceira perna da turnê. E para surpresa de todos, mostrando consideração ao Garbage, Larry Mullen entrou no palco para tocar bateria como convidado especial na última canção do show, "Only Happy When It Rains". Nas outras canções, o baterista do Garbage foi Matt Chamberlain, substituindo Butch Vig, que tinha contraido uma hepatite.
De acordo com a vocalista Shirley Manson, "Quando Larry Mullen Jnr. se juntou a nós no palco e tocou a música de encerramento do nosso set conosco, que foi "Only Happy When It Rains", o público deu um pulo que quase arrancaram o telhado acima da estádio. Como eu poderia descrever qual foi a emoção para nós de tocar com ele? Estávamos todos sorrindo como idiotas da aldeia."
"Quando Butch ficou doente e foi parar no hospital, Larry foi o primeiro que nos disse: "eu vou tocar com vocês. Eu não quero que vocês tenham que cancelar alguns shows."
"Eu pensei que era uma oferta incrível. Ele foi tão generoso".
O baterista original do Garbage, Butch Vig, já participou em gravações do U2 no passado, como na produção do remix "Lab Rat" de "Staring At The Sun".

terça-feira, 20 de novembro de 2012

Dia Nacional da Consciência Negra

O Brasil comemora o Dia Nacional da Consciência Negra, com diversos eventos que celebram a importância da cultura negra para o desenvolvimento do país.
What’s Going On, álbum de Marvin Gaye, pode não ser um álbum que aborda exclusivamente temáticas da cultura negra. Mas é inegável a importância que o trabalho teve ao fazer críticas contundentes à guerra do Vietnã, ao preconceito e aos problemas do meio ambiente.
A data foi escolhida para homenagear o líder Zumbi dos Palmares, morto em 20 de novembro de 1695, como um símbolo da luta contra a escravidão e a submissão dos povos de origem africana.
Ao lado do produtor Jermaine Dupri, Bono organizou em 2001 um single tributo à música "What's Going On", gravada por Marvin Gaye em 1971. O single foi composto por cinco faixas - a regravação principal (que reuniu cerca de 30 artistas, inclusive Bono, e teve versões em videoclipes). A idéia de Bono e dos demais artistas envolvidos no projeto foi de reverter os lucros para combater a AIDS na África e para ajudar as famílias das vítimas dos atentados de 11 de setembro nos Estados Unidos.

Para promover a regravação organizada e gravada por Bono, o U2, que estava em turnê do álbum 'All That You Can't Leave Behind', tocou ao vivo a canção em alguns shows:

Em um dos shows da turnê 'Elevation', a cantora Gwen Stefani subiu ao palco para cantar a canção com Bono:

Bono e Renzo Rosso juntos pela África

O dia 2 do IHT Luxury 2012 em Roma recebeu Bono e Ali Hewson, da Edun, ao lado de Renzo Rosso, da Diesel, o novo parceiro do casal. O empresário italiano faz trabalhos de caridade no continente africano por meio de sua fundação 'Only The Brave' e a Edun é conhecida por sua pegada sustentável, com produção própria de algodão em Uganda e fabricação espalhada pelo país e Eritreia, Quênia, Madagascar, Marrocos, Tanzânia, Tunísia e China.
“Bono e eu conhecemos Renzo há 10 anos. Quando fomos visitar sua vila em Mali e nossa fazenda de algodão, nos demos conta de que aquilo poderia resultar numa viagem incrível e numa linha de roupas bonitas feitas com nosso algodão e totalmente fabricadas na África“, contou Ali. O resultado já tem nome: Diesel + Edun, uma linha especial que será vendida nas lojas das duas marcas.
Além da etiqueta em parceria, o algodão africano também deve entrar na linha de produção da Diesel em si, e Ali Hewson pretende aumentar pra 40% a porcentagem de sua fabricação no continente. Durante a conversa com Suzy Menkes, Bono lembrou que a posição da ONU com relação à África é clara: “Eles não precisam de caridade, e sim de investimentos e parcerias - um dia antes, Simone Cipriani declarava “Not Charity, Just Work“!”, no mesmo palco. Levar trabalho pras comunidades e investir no desenvolvimento sustentável do continente resume o seminário que transformou a Itália num pedaço da África.

Fonte: Boa Informação

Blog U2 Sombras e Árvores Altas

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...