Anúncios

sábado, 6 de junho de 2015

As revelações de Paul McGuinness, ex empresário do U2, para o The Irish Times - Parte 02


O site The Irish Times publicou uma matéria com o ex empresário do U2, Paul McGuinness, de 64 anos, que deixou a banda em novembro de 2013.
Ele conta sobre uma conversa que teve com os pais dos integrantes, sobre as crenças religiosas no início da banda, sobre a primeira vez que Bono lhe apresentou "I Still Haven't Found What I'm Looking For", sobre o lado ativista de Bono, sobre a polêmica das transmissões ao vivo de Sarajevo na turnê ZOOTV.

Paul McGuinness: "Havia uma longa história de artistas fazendo acordos ruins e sendo explorados e terminando suas vidas e suas carreiras na pobreza. Não deveríamos ser parte desse padrão. Estávamos decididos a ser tão bons para o negócio como seríamos na música. Foi uma coisa que o U2 e eu entramos em acordo desde o início. Tornou-se uma segunda natureza."
McGuinness notoriamente gosta de boa companhia, comida e vinho. "Há um mito duradouro de que Paul McGuinness marcava shows próximos dos grandes restaurantes da Europa. Não é bem verdade, mas há um pouco de verdade nisso. A banda observava com diversão que muito frequentemente os shows que fazíamos estavam próximos de um bom restaurante."
McGuinness é cauteloso com a nostalgia. "Inevitavelmente, você colore suas lembranças", diz ele. "Lembro-me de uma conversa com a banda em que alguém disse: 'Isso é o que aconteceu", e alguém disse: 'Não, isso é exatamente o que nós decidimos dizer ter acontecido'."
Nos primeiros anos, ele admite, veio como um choque para ele que três dos quatro membros da banda (exceto Adam Clayton) eram nascidos novamente, cristãos e membros de um grupo da Bíblia chamado Shalom. "Eu acho que você pode ver isso nas letras", ele diz. "Eles têm crenças religiosas que eu particularmente nunca compartilhei, ou não compartilhei em tudo."
McGuinness recorda com humor que os pais dos integrantes do U2 "não estavam tão bravos com a ideia deles não irem para a faculdade. Bono e Edge ambos frequentaram a Universidade. É justo dizer que os outros dois não. Todos os pais estavam preocupados com eles sendo uma banda punk. Contei-lhes que não poderia garantir que isso daria certo, que era um negócio arriscado, mas eu estava entrando na mesma base e correndo os mesmos riscos com seus filhos. Foi uma discussão de classe média".
Um grande momento ocorreu no verão de 1985, quando Bono e sua esposa, Ali, se juntaram à McGuinness e sua esposa Gilfillan em uma casa que eles alugaram perto de Veneza. "Num dia ensolarado, Bono desceu para a piscina com sua guitarra e tocou "I Still Haven't Found What I'm Looking For". Foi claramente maravilhoso e seria grandiosa."
Em 1987, essa música e também "With Or Without You" impulsionou o álbum 'The Joshua Tree' para o topo das paradas em todo o mundo.
"Depois de meados de 1980, os registros começaram a ir para o número um em todo o mundo, cada vez mais. A sensação não era só de celebração, como também alívio", disse McGuinness. "Foi uma sensação de: 'Ok, isso deveria ir para o número um. Seria muito chato se não fosse por isso'."
A relação do U2 com a mídia irlandesa mudou, diz McGuinness. "Foi um pouco como ter uma equipe de futebol do país ganhando a Copa do Mundo em cada quatro anos. Após você ter feito isso quatro ou cinco vezes, as pessoas dizem: 'Sim, claro que eles fizeram.' Tornou-se rotina. A cobertura tornou-se cansativa."
O status de Bono como um artista engajado foi criticado. "Ele é um homem de opiniões políticas e religiosas fortemente seguras", disse McGuinness. "Elas estão meio interligadas por ele. Ele é comprometido, ativista cristão."
Bono conquistou uma grande vitória de lobby quando ele persuadiu a administração de Bush para inverter sua posição sobre o financiamento de drogas anti-retrovirais para combater a Aids na África. A direita cristã tinha impedido, então Bono fez amizade com o falecido de direita, senador Jesse Helms.
"Tive de ser babá de Jesse Helms em um concerto", recorda McGuinness. "Ele me disse: 'Este jovem rapaz (Bono) certamente conhece as Escrituras.' Bono tinha discutido isso com ele. A administração de Bush começou a gastar milhões e milhões em drogas anti-retrovirais."
O U2 também fez campanha contra o cerco de 1992-1996 de Sarajevo, durante o qual quase 14.000 pessoas foram mortas. Após o cerco, a banda foi a primeira a fazer um show no Estádio Olímpico que tinha sido usado como um cemitério.
Durante o cerco, o voluntário americano, escritor e diretor Bill Carter, trouxe moradores de Sarajevo para um estúdio ao vivo por satélite nos concertos de U2.
"Fomos fortemente criticados por explorar a miséria do povo", disse McGuinness. "Havia três garotas de Sarajevo na câmera no meio de um concerto no estádio de Wembley, e elas disseram: 'esse cara americano nos disse que vocês todos estão em Londres se divertindo num concerto. Nós não estamos em um bom período. Existem pessoas atirarando em nós.'"
"Paramos de fazer isso logo depois", recorda McGuinness.
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Blog U2 Sombras e Árvores Altas

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...