Anúncios

quinta-feira, 21 de maio de 2015

Por dentro da 'Inocência': no backstage com Bono e The Edge - Parte 2


Em entrevista para a Rolling Stone, Bono e The Edge contam segredos da nova turnê do U2, iNNOCENCE + eXPERIENCE. Eles falam sobre iniciar o show com canções dos primeiros anos da banda, sobre a ideia de Bono em ainda fazer parte do show com canções acústicas, sobre Bono não poder tocar guitarra.

Os fãs de alguma maneira tem em suas mãos algumas listas com músicas que vocês estão ensaiando como "I Will Follow" e "Out Of Control". Presumo que vocês estão iniciando o show com os primeiros anos da banda.
The Edge: Esse é o pensamento. Isso funciona. É um ótimo lugar para começar, como em alguns dos nossos primeiros shows em clubes de Dublin. Um que tocamos era chamado de McGonagle, então dizemos que este é o momento McGonagle do show. Claro, não podia ser mais simples para encenar no palco. Então vamos aproveitar essas peças incríveis de hardware que construímos para o show. Fica muito legal e muito surreal e psicodélico, e então nós vamos levar isso para outro lugar novamente. Há quatro diferentes fases dentro do show, com sentimentos muito diferentes. Então estamos amarrando isso juntos. Fazer o arco emocional neste trabalho é o verdadeiro desafio.

Bono: Quando se olha para o hardware, o que é ótimo nisso é que não é tão intrusivo quando se apaga. Você pode ver através dele. Você pode ser perdoado por pensar: "Este é um longo caminho desde o punk rock". Mas o que foi o cerne do punk rock para nós era o desejo de se comunicar de forma igual com seu público, ou seja, não há nenhuma divisão entre você e as pessoas que vem falar com você. Na verdade, nós acabamos em nossa audiência em grande parte do tempo. Acabamos dormindo na casa das pessoas e eles nos nossos quartos. Há aquela democracia.
Iggy Pop foi sempre o intérprete para mim. Esse cara, no geral, não estava satisfeito estando apenas no palco. A quebra da quarta parede tem sido o tema de todos os shows ao vivo do U2. Isso volta lá para aquele público em Los Angeles com uma bandeira branca e, bastante estranhamente, terminando em uma briga, em nosso próprio público, com a bandeira da não-violência. Eu acabei perdendo minha cabeça. Foi patético. Mas no desenvolvimento do palco B, o palco satélite, nós fomos os primeiros a fazer isso, uma vez que os monitores in-ears foram inventados e se tornou possível. Então em vez de só olhar para o telão ajudando, nós novamente inovamos e transformamos em telas de vídeo com a Zoo TV e depois com a Popmart para o próximo nível. Todas essas inovações saíram de nossas mentes, voltando lá em 1979. "Não há nenhum deles, apenas nós." Fazer o assento de trás do lugar, o melhor lugar, é seu dever como um artista.

Sua incapacidade de tocar guitarra muda alguma coisa? É difícil de tocar "One" agora porque você sempre tocou nela?
Bono: Você sabe, eu sempre penso que levava ela para longe quando a tocava. Eu sei que estamos rindo que a banda parece não sentir muita falta da minha guitarra sendo tocada, mas eu não sinto tanta falta no palco. Sinto falta do palco. Sinto falta disso agora. Sinto falta do camarim. Sinto falta quando você quer escrever algo e você não pode ouvir o que está na sua cabeça. Também temos Terry World. Terry [Lawless] está lá, tocando teclados ou ele vai fazer alguma coisa para preencher, ou então, só vamos deixá-lo lá embaixo. Ontem ensaiamos uma versão de "Mysterious Ways" apenas com um violão. É uma grande diversão. Isso funciona.

Eu vi uma lista de 43 músicas que vocês ensaiaram. Quanto do show vai mudar de uma noite para outra em uma cidade?
The Edge: Temos que fazer um show, e ficarmos satisfeitos com ele... e então nós vamos descobrir.

O quanto diferente você acha que os shows serão em algumas semanas ou meses à partir de agora?
Bono: Eu estava pensando hoje na passagem de som que nós não temos muito de uma seção acústica. Eu adoraria uma segunda noite considerando fazer 30 minutos de canções acústicas, por que não? Então, nós podemos tocar. Quantas canções que você disse que ensaiamos?

Eu vi uma lista de 43.
Bono: Edge, você diria que isso é verdade?

The Edge: já passei por 60 músicas para a turnê. Eu não tenho tocado todas elas com a banda. Eu tenho 60. Eu contei. Sobre ele tocando guitarra, sinto falta. Eu particularmente sinto falta quando eu tenho que ir em um solo e não há nenhum Bono lá para me apoiar. Eu penso: "Oh droga. Isso é uma coisa muito diferente."

Bono: Se você ouvir um monte dos grupos na década de 70, Edge, muitos deles não tem uma guitarra de apoio. Mesmo o The Who. Se coloca mais ênfase no baixo, mas obrigado por dizer isso. Estamos muito agradecidos.
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Blog U2 Sombras e Árvores Altas

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...