Anúncios

sábado, 13 de maio de 2017

A noite de abertura da 'The Joshua Tree Tour 2017' do U2


O U2 deu início à 'The Joshua Tree Tour 2017', turnê comemorativa do 30° aniversário de lançamento do disco 'The Joshua Tree'. A apresentação aconteceu no Estádio BC Place em Vancouver, Canadá.
Os poemas 'Ain’t You Scared of the Sacred?: A Spiritual' e 'Elegy for Leonard Cohen' de George Elliott Clarke foram projetados em um pequeno telão na direita do palco antes do show, assim como outros poemas.

"O propósito das projeções é de incentivar nos concertos o público à pensar sobre os contextos sócio-políticos da nossa arte e cultura, visando estimular o pensamento em ações humanitárias," disse Clarke em um e-mail para a CBC Books.
Na turnê do álbum 'War', que antecedeu as gravações de 'The Unforgettable Fire', Bono se tornou um leitor voraz. Ele leu filosofia, ficção e poesia. Ele leu as obras do poeta Paul Celan, cuja linha "a poesia é uma espécie de regresso para casa" inspirou não apenas o título da canção "A Sort Of Homecoming", mas a música em si.

A noite começou com problemas para o público: havia apenas uma entrada para bilhetes de admissão geral – para o chão do estádio – e um sistema de verificação de cartão de crédito que parecia estar problemático, lento e as vezes fora de sistema. Os fãs na imensa fila do lado de fora ficaram com raiva e demonstraram decepção, e polícia de Vancouver pediu aos fãs "por favor" para serem pacientes.
Algumas pessoas perderam o show todo da banda de abertura, Mumford & Sons. Quando o U2 subiu ao palco, o lugar já estava cheio. Algumas pessoas disseram que entraram sem serem revistadas e até mesmo sem precisarem mostrar seus tickets para o show!

O que se via do palco ao entrar no BC Place, era algo voltado para o original de 1987, minimalista, e não se sabia ainda o que ele poderia revelar quando a banda entrasse no palco. Um fundo dourado trazia a Joshua Tree na cor prata, esticada como no design do palco original de 1987, e algumas lâmpadas podiam ser vistas em volta dela.

Uma continuação para topo da árvore foi construído acima do palco.
A passarela ligando o B Stage, era no formato da Joshua Tree, com a árvore pintada em prata, fazendo sombra à árvore de telão.


O setlist vazou antes da banda entrar no palco, e pôde se conferir que eles tocariam o que vinham ensaiando nos últimos dias, com uma primeira parte trazendo canções da primeira metade da década de 80, e que faziam parte da estrutura dos setlists da turnê original. A canção "A Sort Of Homecoming" não era tocada há 15 anos, desde a 'Elevation Tour' em 2001!
A segunda parte do show teria o disco 'The Joshua Tree' tocado em sua íntegra, tendo a primeira performance ao vivo na história da canção "Red Hill Mining Town"!
Algumas canções do álbum não eram tocadas há muitos anos, como "Exit", que havia aparecido pela última vez em 1989 na turnê 'Lovetown'.
"Mothers Of The Disappeared" foi tocada com a banda completa e de forma elétrica, o que não acontecia desde 1987, assim como "Trip Through Your Wires". "In God's Country" também foi tocada elétrica e com a banda completa, o que não acontecia desde 1989.
A terceira parte do show traria alguns grandes hits das décadas de 90 e 2000, e a apresentação fecharia com a primeira performance ao vivo de uma canção ainda inédita que estará no próximo disco da banda, 'Songs Of Experience'.


As canções tocadas no sistema de som enquanto o público esperava o início da apresentação, trazia escolhas da banda como The Clash, Smashing Pumpkins.
Como já era esperado, o sistema de som tocou "A Rainy Night In Soho" do The Pogues, o anúncio de que a banda estava para subir no palco!
Larry foi o primeiro à entrar no Palco B, que foi onde a banda deu início à primeira parte do show, de forma minimalista, como aconteceu na iNNOCENCE + eXPERIENCE em 2015. Foi ele quem deu o primeiro passo para a formação do U2 em 1976, e agora é ele novamente quem dá os primeiros passos para o início dos shows da 'The Joshua Tree Tour 2017'!
"Sunday Bloody Sunday" abriu, e em sua forma clássica: elétrica, diferente da que vinham tocando na iNNOCENCE + eXPERIENCE.
Em "New Year's Day", uma grande surpresa: além de ser tocada um pouco mais lenta, em um tom diferente, Bono cantou o verso extra "And so we are told this is the golden age", como fazia nos primeiros anos da década de 80,e também cantou a parte "Oh, maybe the time is right. Oh, maybe tonight"! Lembranças da versão 12' da canção, e do US Remix!
"A Sort Of Homecoming ganhou uma introdução diferente bem sintetizada, anos 80, que também apareceu mais pra frente na execução! Edge tocou a canção com a Gibson Explorer, e eles fizeram o canto "O coma way o coma wa o coma o coma way say I". Um das melhores performances da noite!
O palco principal continuou abandonado, todo apagado, sem nenhuma alteração em seu visual.
Veio a dobradinha "MLK" (um dueto entre Bono e The Edge) / "Pride (In The Name Of Love)". Ao final, o estádio se acendeu, a banda se alinhou e se despediu do público ali no B Stage e começaram a caminhar para o palco principal, e se viu que o telão não funcionaria só na direita do palco. Na verdade, era um telão único gigante atrás da banda, e frases de discursos de Martin Luther King ('I Have a Dream') começaram a percorrer a tela inteira!
A sombra da Joshua Tree no palco principal, com o telão todo em vermelho para "Where The Streets Have No Name", e banda se alinhou novamente na frente, cumprimentou o público, e cada um foi para sua posição. Foi uma volta ao passado até aquela arrepiante abertura da canção no filme concerto 'Rattle And Hum'!



A projeção da árvore some, e o telão em widescreen com alguma curva, transmite as imagens em toda a sua extensão. Começa uma viagem em uma estrada que não tem nome.
Assim, a segunda parte do show teria cada canção de 'The Joshua Tree' tocada ao vivo e na sequência original do disco, trazendo um vídeo em separado gravados por Anton Corbijn, o fotógrafo oficial da banda, e que trabalhou com a banda em 1986/1987 em fotos e vídeos para o disco! Outros vídeos trouxeram antigas imagens, editadas em vídeo pela empresa audiovisual que trabalha com a banda na turnê!
"I Still Haven't Found What I'm Looking For" ganhou uma introdução nova, mais parecida com a versão original.
Zabriskie Point foi o visual em "With Or Without You" (Anton estava realizando gravações lá mesmo semanas atrás, como mostra esta foto no Twitter).

Em "Bullet The Blue Sky", a banda tocou uma versão mais curta, como a do disco, sem o rap ou discursos que Bono vinha implantando ao vivo. Em outras turnês, Bono ligava parte dela com um discurso sobre um acontecimento de momento. Então, é uma surpresa que desta vez, não teve Trump! O destaque foi um filme em que os cidadãos da América Latina, velho e jovens, colocam capacetes do exército em pé na frente de uma bandeira americana pintada, essencialmente um brutal impacto das decisões tomadas a milhares de milhas longe deles com pouca consideração por suas vidas.
"Red Hill Mining Town" em sua primeira performance ao vivo depois de 30 anos, ganhou uma introdução no piano, um arranjo diferente, com sons pré gravados de metais, e Bono cantando suavemente a letra, em um tom que ele não precisa gritar como na versão original. Muito interessante! Utilizaram imagens do que parece ser a banda do Exército Da Salvação (Salvation Army Brass Band) tocando na canção (em substituição à The Arklow Silver Band na versão 2017).
"In God's Country" ganhou uma nova introdução ao vivo, foi tocada mais lenta! E o visual foi incrível, com uma solitária Joshua Tree agora centralizada no telão, no deserto, com cores azuis, as vezes em vermelho, belas imagens em alta definição.
Uma pena "Trip Through Your Wires" ter ficado 30 anos fora de um setlist do U2! A performance, totalmente próxima à versão de estúdio, teve Bono na gaita, irretocável! No telão, uma atraente Cowgirl (é a Morleigh, a esposa de Edge).
Uma enorme lua cheia apareceu no telão durante "One Tree Hill", assim como ela aparece na letra!
Um trecho de um filme antigo foi utilizado no telão como introdução para a pesada "Exit", que não era tocada desde que influenciou o assassinato em 1989 da atriz Rebecca Schaeffer. Foi apontada pelos fãs como uma das favoritas da noite (e a mais esperada por Larry para ser apresentada ao vivo)! Bono entrou vestido com um chapéu preto, sombrio, parecido com um pastor, novamente incorporando um personagem em uma turnê do U2. E ele atuou, foi até a câmera, até o público, e cantou muito bem!
Com o chapéu agora contra o peito, o som de sintetizador clássico dos anos 80, e as Mães dos Desaparecidos (ou uma referência às verdadeiras mães) no telão segurando velas, a banda tocou uma versão similar à original de "Mothers Of The Disappeared", com a parte 'El Pueblo Vencera", como na turnê original de 1987, pagando assim seu merecido tributo ao disco 'The Joshua Tree'.








A ideia para este telão, eles utilizaram primeiro na apresentação de 2016 no Dreamfest, como parte da conferência anual da Salesforce.

Não teve chapéu de cowboy, mas Bono agora tem um chapéu estilo 'pregador'!



Outra coisa que não poderia faltar para relembrar a turnê original: Bono apontando o spot de luz para Edge no solo de "Bullet The Blue Sky"!

Ao final de 'The Joshua Tree', as luzes se acenderam, o telão se apagou, e árvore do palco acendeu suas lâmpadas.

Com as canções da década de 90 e 2000 na terceira parte do show, "Beautiful Day" ganhou uma nova introdução estendida, futurista, apontando que se passou uma década e meia de 'The Joshua Tree' até ela. Aquela imagem monocromática do deserto fica para trás. "Veja o mundo em verde e azul", e "todas as cores voltaram"!

Aliás, este verso foi remixado para o show, ganhou vozes "robotizadas".

"Elevation" mostrou o telão dividido em 4 partes, cada uma delas com um membro da banda (na verdade, Adam aparecia também na parte de Larry). Versão agitada, melhor do que na turnê iNNOCENCE + eXPERIENCE, mas ainda assim sem nenhuma novidade.
Diversas personalidades femininas importantes, atos e eventos históricos importantes celebram a igualdade das mulheres e as mulheres, no telão em "Ultraviolet (Light My Way)". Vimos entre muitas, Sojourner Truth, Rosa Parks, Angela Davis, Ellen DeGeneres, Lena Dunham.
A mensagem transmitida: "Poverty Is Sexist".





O final do show aconteceu novamente no B Stage, e "One" foi tocada como antigamente, diferente de como estava sendo apresentada na iNNOCENCE + eXPERIENCE, sem aquelas pausas. O telão trouxe as imagens utilizadas na ZOOTV, como o búfalo, as flores, a palavra One em diversas línguas.

A performance de "Miss Sarajevo", com o depoimento de uma jovem e um trecho de um curta-metragem francês sobre um campo de refugiados na Jordânia, trouxe um playback no verso com Pavarotti (em 2005 Bono ainda arriscou fazer a voz de Pavarotti), e foi tocada da mesma forma que a original, como aconteceu na Popmart em 1997 em Sarajevo. A canção teve o mesmo propósito que "October" e "Zooropa" na iNNOCENCE + eXPERIENCE, chamar a atenção do público para o que está acontecendo no mundo, guerras, os refugiados.
Durante a performance, um banner grande com o rosto da garota que fala no começo do vídeo no telão, vai passando entre o público nas cadeiras, no alto, e um holofote de luz vai iluminando seu caminho! Bono observa encantado.
Uma publicação compartilhada por Sherry (@u2isable) em


O show terminou com uma canção inédita chamada "The Little Things That Give You Away", que Bono introduziu como sendo "uma canção de experiência", uma referência à 'Songs Of Experience', o próximo disco da banda.
No final da canção, o telão da banda mostrou o que pode ser a capa de 'Songs Of Experience', uma foto de Elijah, filho de Bono, de mãos dadas com Sian, a filha de Edge.

Agradecimento pelas imagens: U2 Gigs - @U2
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Blog U2 Sombras e Árvores Altas

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...