"Song For Someone" 360 Version

Anúncios

quarta-feira, 10 de maio de 2017

57 Anos de Bono - Parte I


Bono completa hoje 57 anos de idade, sendo 41 anos dedicados ao U2!

"Bob Hewson — meu pai — veio do centro da cidade de Dublin. Um verdadeiro homem de Dublin, mas que amava ópera. Ele foi autodidata, conhecedor de Shakespeare. Sua paixão era a música — ele era um grande tenor. A grande tristeza da vida dele foi que ele não aprendeu a tocar piano. Curiosamente, crianças não muito encorajadas a terem grandes ideias, musicalmente ou de outra maneira. Sonhar era se decepcionar. O que, naturalmente, explica minha megalomania.
Eu era um garoto brilhante, desde o início. Então, na minha adolescência, passei por uma espécie de fase difícil, ao pensar que eu era estúpido. Meus trabalhos escolares foram para a merda, não conseguia me concentrar. Comecei a acreditar no mundo lá fora. A música era minha vingança sobre isso."

"Tivemos uma gangue de rua que era muito vívida — muito surreal. Nós éramos fãs do Monty Python. Nós colocaríamos isso em performances no centro da cidade de Dublin. Eu subia no ônibus com uma escada e uma furadeira elétrica. Um louco de merda. O humor tornou-se nossa arma. 'Fique aí parado, em silêncio' — com a broca na minha mão. Merda de adolescente estúpido.
Arte performática. Nós inventamos este mundo, que chamamos de Lypton Village. Éramos adolescentes quando aparecemos com isto, uma maneira de lutar contra a mentalidade bootboy prevalecente. Éramos espancados por outras gangues de um dos outros bairros. Quando eles perguntavam de onde você era, você tinha que adivinhar a resposta certa — ou sofrer. Quanto mais nos atacavam, mais estranha e surreal era a resposta. Nós poderíamos nos defender também. Alguns de nós se tornaram muito bom em violência, outros não. Lembro-me de buscar uma lata do lixo numa briga de rua, e me lembro de pensar: 'isso é ridículo. Não vou bater em alguém com isso.' Aí veio um garoto com uma barra de ferro, tentando acertar de qualquer maneira meu crânio, e eu segurando a tampa do lixo, que salvou a minha vida. Crianças adolescentes não têm senso de mortalidade - sua ou deles."

"Não sei se isso foi uma rebelião. Isso foi um mecanismo de defesa. Costumávamos rir de pessoas que bebiam. Não bebíamos. Porque as pessoas que eram colocadas para fora dos bares numa sexta à noite e vomitavam em vielas — nós pensávamos que éramos melhores do que elas.
Eu sabia que éramos diferentes na nossa rua, porque minha mãe era protestante. E que ela tinha se casado com um católico. Em um momento de forte sentimento sectário no país, eu sabia que era especial. Não fomos para as escolas do bairro — nós andávamos de ônibus. Eu peguei a coragem que eles tiveram de ter de seguirem com seu amor.
Mesmo assim, eu rezei mais fora da Igreja do que dentro dela. Isto leva para as músicas que eu estava ouvindo, que para mim, eram orações. "Quantas estradas um homem deve percorrer?" Não foi uma pergunta retórica para mim. Foi endereçada a Deus. É uma pergunta que eu queria saber a resposta, e eu estou querendo saber, para quem eu pergunto isso? Não vou perguntar a um professor. Quando John Lennon canta, "Oh, meu amor / pela primeira vez na minha vida / meus olhos estão bem abertos" — estas músicas tem uma intimidade para mim que não é apenas entre as pessoas, percebo agora, não é intimidade sexual. É uma intimidade espiritual."

"Eu diria que eu acredito que há uma força de amor e de lógica do mundo, uma força de amor e de lógica por trás do universo. E eu acredito no gênio poético de um criador, que escolheria expressar tal poder insondável como uma criança nascida em "pobreza de palha"; ou seja, a história de Cristo faz sentido para mim. Como artista, eu vejo a poesia dele. Isso é tão brilhante. Que esta escala da criação, e o universo insondável, deve se descrever em tal vulnerabilidade, como uma criança. É o que sopra para mim em minha mente. Acho que isso faz de mim um cristão. Embora eu não use o rótulo, porque é tão difícil para se conviver. Me sinto como se eu fosse o pior exemplo disso, então eu meio que mantenho minha boca fechada. Eu tento tirar um tempo de cada dia, em oração e meditação. Eu me sinto como se estivesse em casa, em uma catedral católica, como em uma tenda de renascimento. Eu também tenho um respeito enorme pelos meus amigos que são ateus, a maioria dos quais são, e a coragem que é preciso para não acreditar."

"A Bíblia me sustenta, como uma crença. Eu sou o tipo de personagem que tem que ter uma âncora. Eu quero estar em torno de objetos imóveis. Eu quero construir minha casa em uma rocha, porque mesmo que as águas não são altas em torno da casa, eu vou trazer de volta uma tempestade. Eu tenho isso em mim. Então é uma espécie de suporte para mim. Não leio ela como um livro histórico. Eu não leio ela como: "bem, isso é um bom conselho." Deixei-me falar de outras formas. Eles chamam de rhema. É uma palavra difícil de traduzir do grego, mas meio que significa que muda no momento em que você está dentro. Me parece que isso acontece comigo."
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Blog U2 Sombras e Árvores Altas

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...