Anúncios

terça-feira, 27 de junho de 2017

Adam Clayton: "Na nossa banda, ninguém será uma baixa. Ou voltamos todos para casa ou não volta ninguém. Ninguém será deixado para trás"


Adam Clayton foi homenageado no concerto beneficente MusiCares MAP Fund no PlayStation Theater em Nova York, em apoio aos programas do MusiCares de recuperação de dependência de álcool. Adam superou um sério problema de alcoolismo, que chegou a tirá-lo de um show do U2.
Adam recebeu das mãos de Chris Blackwell da Island Records, o Stevie Ray Vaughan Award em reconhecimento a sua dedicação e apoio ao MusiCares MAP Fund, bem como seu compromisso de ajudar os outros com o processo de recuperação de dependentes. Como ele brincou, "um prêmio por não fazer algo."

Adam aproveitou para, no seu discurso, agradecer aos seus colegas de banda pelo auxílio prestado quando estava em tratamento para o seu alcoolismo, há alguns anos. Ele disse: "estou admirado do extraordinário trabalho que fizemos juntos."

"Nós temos um pacto um com o outro. Na nossa banda, ninguém será uma baixa. Ou voltamos todos para casa ou não volta ninguém. Ninguém será deixado para trás", disse, acrescentando: "obrigado por honrarem essa promessa, e por me deixarem fazer parte da banda".
Subindo ao palco, o baixista brincou: "Não estou acostumado a conseguir nada sozinho".

Falando sério, ele disse: "Eu sou um alcoólatra, viciado, mas de alguma forma, a doença que é devastadora, é o que me levou para esta vida maravilhosa que eu tenho agora. Eu só não podia levar junto comigo meu amigo álcool. Em algum momento eu tive que deixá-lo para trás e reivindicar o meu pleno potencial."

Ele disse que parte da razão pela qual ele teve dificuldade para parar de beber foi que: "eu não achava que você poderia estar em uma banda e não beber. É muito uma parte da nossa cultura."
Foi Eric Clapton, disse ele, um dos seus heróis, que finalmente lhe falou que ele precisava de ajuda.
"Ele não suavizou isso. Do outro lado do telefone, ele me disse que eu precisava mudar minha vida e que não me arrependeria. Ele me deu o nome de um centro de tratamento e o poder de fazer uma ligação para eles", disse Clayton. Ele creditou outro amigo e herói, Pete Townshend do The Who, por visitá-lo no programa de reabilitação de 5 semanas, onde ele "colocou o aço nas minhas costas".
Quanto aos seus companheiros de banda, Adam Clayton disse: "Eu tive sorte porque eu tinha três amigos que podiam ver o que estava acontecendo e que me amavam o suficiente para me livrarem da minha falha com eles. Bono, Edge e Larry realmente me apoiaram antes e depois que eu entrei na recuperação, e eu sou incondicionalmente grato por sua amizade, compreensão e apoio."
Ele acrescentou que seus companheiros de banda o apoiam já há 40 anos. "Você sabe, eu acho que eles me amavam antes de eu ter descoberto como me amar", disse ele. "Então é muito importante que eles compartilhem isso comigo."

O U2 se juntou na homenagem ao seu baixista e tocou "Stuck In A Moment You Can't Get Out Of", "Vertigo" e "I Will Follow":







Macy Gray homenageia Adam Clayton no Musicares com performance de "I Still Haven't Found What Im Looking For":



The Lumineers homenageiam Adam Clayton no Musicares com performance de "One":



Michael Franti homenageia Adam Clayton no Musicares com performance de "Sunday Bloody Sunday":

Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Blog U2 Sombras e Árvores Altas

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...