"Song For Someone" 360 Version

Anúncios

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017

30 Anos de 'The Joshua Tree': fatos que você (provavelmente) não sabia sobre o álbum


O 30º aniversário do álbum 'The Joshua Tree' será comemorado pelo U2 com uma super turnê. A 'The Joshua Tree Tour 2017' começará em Vancouver no dia 12 de maio e seguirá por mais algumas noites na América do Norte e inclui a primeira aparição do U2 no Festival de Música e Artes Bonnaroo. Em seguida, a turnê irá para a Europa, com a primeira parada em Londres, em 8 de julho, e terminando em Bruxelas em 1º de agosto.
Lançado em 9 de março de 1987, o trabalho liderou as paradas americanas, inglesas e em mais de 20 países, e transformou o U2 em uma banda de estádios. Perto de completar 30 anos de seu lançamento, o site NME listou alguns fatos que você (provavelmente) não sabia sobre o álbum.

1. A gravadora não gostou do nome do álbum

De acordo com Bono, o nome 'The Joshua Tree' surgiu após uma viagem ao Deserto Mojave. “As pessoas da indústria discográfica esperam que tenhamos ideias tão grandiosas como os Beatles tiveram. Quando nos perguntaram sobre o título do disco e respondemos ‘The Joshua Tree’, eles não ficaram muito satisfeitos. Talvez esperassem algo como ‘Born In The Joshua Tree’ ou ‘Dark Side Of The Joshua Tree'”, disse o cantor à Rolling Stone norte-americana na época.

2. O trabalho foi inspirado por uma viagem à Etiópia

Depois de uma viagem humanitária com sua esposa Ali, Bono contrastou a pobreza do país africano com uma vida de riqueza e apatia em casa. “Passei um tempo na África vendo pessoas no fosso da pobreza, mas também vi um espírito muito forte no povo, uma riqueza de espírito que eu não vi quando cheguei em casa. Eu vi a criança mimada do mundo ocidental. Comecei a pensar: ‘Eles podem ter um deserto físico, mas temos outros tipos de desertos’. E isso me atraiu para o deserto como um símbolo de alguma forma.”

3. Kirsty MacColl ajudou a escolher as faixas do disco

A cantora se ofereceu para selecionar a ordem das canções de 'The Joshua Tree' enquanto o álbum estava sendo mixado. As únicas confirmações eram que “Where the Streets Have No Name” abriria os trabalhos e que “Mothers Of The Disappeared” encerraria o disco. O resto era com ela. Sejamos justos: ela fez um ótimo trabalho.

4. Uma das faixas de maior destaque quase foi desmantelada por Brian Eno

Brian Eno teve grande influência na feitura de 'The Joshua Tree'. The Edge afinava cada vez mais os seus riffs para que funcionassem em grandes estádios e o grupo era encorajado a ser auto-suficiente em vez de trabalhar com estranhos. E tanto Eno como o co-produtor Daniel Lanois chegaram com a influência da música americana, que define o registro. Mas Eno quase faturou o papel de vilão ao quase desmantelar “Where The Streets Have No Name”. O produtor tentou apagar acidentalmente as fitas, mas um engenheiro no estúdio o impediu de fazê-lo. Dizem que os dois chegaram às vias de fato. Escapou por um triz.

5. Uma das maiores músicas da banda foi um Lado B

Na época, o U2 sentiu que “The Sweetest Thing” não se encaixava com a vibe de 'The Joshua Tree'. Como tal, eles usaram a canção como o b side do single “Where The Streets Have No Name”. Mas devido a seu legado como uma das favoritas dos fãs, a canção foi regravada e relançada como parte da compilação 'The Best Of 1980-1990', em 1998. O single chegou ao topo das paradas na Irlanda e no Canadá, além de ter alcançado o 3º lugar no Reino Unido.

6. A morte do roadie da banda inspirou uma das melhores músicas do álbum

“One Tree Hill” foi escrita em memória de Greg Carroll, roadie da banda e um dos amigos mais próximos de Bono. Um trágico acidente de moto em Dublin matou Greg em 1986, e a canção foi escrita um pouco depois a partir de uma jam session entre Bono e Brian Eno. O cantor gravou seus vocais de uma só vez, muito sobrecarregado pela emoção. O que o fez desistir de tentar outra tomada.

7. A Biblioteca do Congresso preserva o disco em sua coleção

Em 2014, 'The Joshua Tree' foi adicionado à coleção do Registro Nacional de Recordações de obras consideradas “culturalmente, historicamente ou esteticamente significativas”. Induzidas por serem feitos invencíveis, são essencialmente preservadas para a descoberta das gerações futuras.

8. A verdadeira Joshua Tree não teve o mesmo destino

A capa icônica do disco, clicada por Anton Corbijn no deserto da Califórnia, ajudou a tornar o local um marco reverenciado. Infelizmente, o ponto lendário não ultrapassou o disco em si. A árvore da capa morreu em 2000 e foi vítima de vandalismo em 2015, tendo seu pedaço restante cortado sem nenhuma razão aparente. A depredação foi descoberta por um fã devastado em sua caminhada anual perto da árvore.

9. Um casal morreu à procura da árvore

Em 2015, o turista holandês Guus Van Home e sua esposa Helena Nuellett teriam morrido perto da localização da Joshua Tree em busca do famoso local. O casal “queria visitar” o local, de acordo com amigos.

10. Bono quase impediu o lançamento do disco

Assim que 'The Joshua Tree' estava sendo fabricado e perto de ir para as lojas, a insegurança abateu-se sobre Bono, que entrou em pânico e questionava se o álbum era bom ou não. Felizmente ele foi convencido a desistir da ideia.

Tradução: Portal Rockline
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Blog U2 Sombras e Árvores Altas

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...