Anúncios

quarta-feira, 1 de abril de 2015

"Promenade": uma canção de amor que celebra a espiritual dimensão do desejo sexual

A lenda de Van Morrison nos teares da música irlandesa. Ele emergiu como um dos pinos-rei da cena da batida de Belfast no início dos anos 60 com o Them. Assinou contrato com a Decca, a banda se mudou pra Londres e teve uma penca de hits, incluindo clássicos como "Baby Please Don’t Go" e "Here Comes The Night". A pepita de banda de garagem "Gloria" foi considerada digna apenas de um b-side. Infelizmente com que ele considerou um contrato de gravação de exploração, e desiludido com o negócio, Morrison deixou o Them e partiu para os EUA. Lá ele gravou o mágico Astral Weeks o qual continua nos rankings entre os melhores álbuns de rock de todos os tempos. Nele, Morrison forjou um novo tipo de poesia canção. Os temas em Astral Weeks ,estavam firmemente enraizadas na Belfast que o cantor tinha crescido e deixou para trás. Um poderoso fluxo de consciência que atravessa as canções com Morrison cavando mais fundo e mais fundo no interior do ego interior para descobrir uma qualidade de verdade poética que era novo para o rock and roll.
Da perspectiva do U2, Morrison foi crucial. Após um período em reclusão, ele ressurgiu no final dos anos 70, e a reputação do homem como um gênio abrasivo, não obstante, sua música reflete um renovado sentimento de contentamento interior. Seu interesse na linguagem, e na exclusão de novos significados a partir dela, não diminuiu. Van Morrison esticou palavras, quebrou-as, criou novas, e ocasionalmente no desespero dos limites que esta disciplina impôs, mergulhados em um tipo de articulação primária, deixando a ascensão interior para a superfície e se expressando. Mas orientar essa busca pelo descritivo, recursos expressivos além da linguagem foi um interesse profundo na espiritualidade. Morrison foi um artista irlandês, com uma sensibilidade irlandesa, influenciado pela música e melodias irlandesas, mas ele também era um cantor que não tinha medo de revelar as suas preocupações espirituais.
O U2 nunca poderia simplesmente seguir o modelo de Morrison, mas foi reconfortante para eles, apesar disso, que ele tinha conseguido infundir o seu trabalho com um sentido tão poderoso da missão espiritual. Era inevitável ouvir e ser influenciado por sua música. E em "Promenade" essa influência é inequívoca. Morrison forçando as correntes de limitações lingüísticas tinha algo de Gerard Manley nele. E o mesmo pensamento golpeia você em cima de "Promenade".
Palavras são usadas por seus sons muito mais do que pelo seu sentido, o que não é novidade para Bono, mas aqui há uma segurança poética na escrita que marca um importante passo adiante.
Após a explosão e controvérsia da turnê War, Bono tinha falado sobre a necessidade do U2 se reinventar. “Hoje foi nosso último show”, Bono disse na noite final da turnê. “Mas eu não estou falando sobre o final do U2. Este é o final de um ciclo. Nós vamos desenvolver novas áreas agora. O U2 está apenas começando”.
Ele tinha falado também da necessidade de ser sensível e atmosférico: "Promenade" era a terceira faixa de 'The Unforgettable Fire' a qual a descrição coube.
“Eu encontro muita dificuldade para ouvir 'War' agora”, Bono admite. “Há tanta raiva lá e o efeito que é para reforçar a voz, então torna-se mais alto e estridente. Eu não gosto da maneira como sôo. Mas em 'The Unforgettable Fire' eu aprendi a relaxar novamente. Eu aprendi a cantar novamente”.
Ele tinha entendido, ouvindo Van Morrison que às vezes é melhor sussurrar. E então há uma intimidade em "Promenade" que é apropriada para uma canção que fala sobre experiência íntima e pessoal. Bono e sua esposa Ali tinham se mudado de um lado de Dublin, Bay, em Howth, pra lá de Bray, outro resort um pouco desbotado, um pouco além da fronteira sul do Condado de Dublin. Ele estava vivendo em Martello Tower lá, que ele tinha re-projetado. Uma escada em espiral conduzia da sala até o quarto. Em cima da cama havia um telhado de vidro, se abrindo para uma espetacular vista do céu a noite. A torre negligenciada do Carlisle Grounds, onde Bray Wanderers jogou o campeonato de futebol da Irlanda. Ao longo da calçada são salões de diversões, salões de sinuca, lojas de fast-food, restaurantes e casas de hóspedes, naquele contexto é evocado em traços impressionistas, mas "Promenade" é inequivocamente uma canção de amor que celebra a espiritual dimensão do desejo sexual. “Turn me around tonight/up through the spiral staircase/to the higher ground”.
É onde todos nós queremos ir, se soubermos como chegar lá.

AGRADECIMENTO: ROSA - U2 MOFO
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Blog U2 Sombras e Árvores Altas

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...