Anúncios

quinta-feira, 23 de junho de 2016

Billboard: The Edge fala sobre os shows em Paris, o próximo disco e turnê do U2 - Parte 2


Telefonando do estúdio onde o U2 está trabalhando na sequência do disco de 2014, 'Songs Of Innocence', The Edge conversou com a Billboard sobre aquela noite de Paris, o aumento da segurança na sequência dos acontecimentos recentes como o assassinato de Christina Grimmie e o massacre no clube de Orlando, bem como o novo álbum e uma possível nova turnê.

Qual é a conversa que a banda e diretor Hamish Hamilton tem para tentar encontrar o equilíbrio entre satisfazer as necessidades da platéia ao vivo e as pessoas assistindo na TV?

Conversamos muito sobre onde está essa linha. Deveria haver cinegrafistas no palco ou não? Acabamos por não tê-los no palco. Se houvesse mais alguém no palco, eles acabariam não apenas atrapalhando a platéia ao vivo, mas eles acabariam em um monte de imagens abertas, e você realmente não quer isto. É uma fórmula complexa. Outra coisa bastante desafiadora é com uma produção dessa magnitude, encontrar dentro deste espetáculo visual incrível as coisas que seria apreciadas quando assistido em uma tela de televisão. O show foi realmente muito difícil para a exibição por isso. Se você pode dar às pessoas uma sensação de como é estar lá, que é o objetivo principal de qualquer filme-concerto, e acho que Hamish veio para fazer isso o mais próximo possível.

Durante a canção "Elevation", Bono trouxe vários fãs ardorosos para o palco. Com os acontecimentos recentes, vocês irão repensar deixar os fãs tão perto?

Nós nunca realmente nos sentamos e tivemos essa conversa, porque acho que vai ser algo muito difícil para nós até mesmo pensar sobre isso. Nossa relação com nossos fãs é tão especial para nós e há uma quantidade enorme de confiança que funciona dos dois lados, então eu odiaria imaginar a necessidade de reverter esse tipo de liberdade. Até agora, sinto que estamos bem, mas tivemos um incidente muito estranho na Suécia [em setembro] onde alguém entrou no local com uma arma de fogo [desmontada]. Na verdade tivemos que adiar o show. Conseguimos remarcar o show dentro de alguns dias e, nesse caso, foi a mais inocente das situações, alguém apenas cometeu um erro. Obviamente, a segurança é primordial em um show do U2 e levamos muito a sério, como qualquer artista faz hoje em dia, então nós não poderíamos dar esta chance. Mas foi a única vez que houve uma espécie de ameaça grave ou ameaça potencial em um show do U2. Temos sorte provavelmente, e não tomamos como garantido por qualquer meio, mas lamentaremos muito o dia em que tivermos de alterar qualquer uma das formas que nossos shows são operados, porque isso significa muito para nós, a conexão entre os fãs e nós mesmos.

Em Março, você disse que a banda esperava voltar para a estrada, mais cedo ou mais tarde. Quando é este mais cedo?

Essa afirmação ainda vale. Estamos perto de anunciar o plano, mas agora não posso, ainda estamos na direção para chegar lá mais cedo ou mais tarde.

Você está telefonando do estúdio. Qual é o prazo para o novo álbum?

Nós estamos trabalhando para lançá-lo ainda este ano. Esse é o nosso plano agora e exatamente quando, não temos certeza. Agora, o plano para um novo álbum do U2 tem sido conhecido como para ser revisto (risos). Este é o pressuposto de trabalho. Esta é nossa ambição. Isso pode mudar, mas estamos realmente fazendo nosso melhor para lançá-lo este ano.

O U2 estava entre os muitos artistas que assinaram uma carta ao Congresso sobre a alteração do Digital Millennium Copyright Act. Por que sentiram a necessidade de serem parte disso?

Nossa inspiração foi para os artistas e principalmente os jovens e esperançosos artistas, que não têm nenhum dos benefícios de renda de transmissão de um concerto ao vivo, como têm o U2. Estamos bem, mas não há dúvida que para compositores e artistas que estão confiando em lançar suas músicas em qualquer serviço, eles querem ser pagos por isso, e tem sido uma mudança desafiante de uma indústria que estava pagando bem os artistas, para um cenário que é cada vez mais difícil ganhar a vida com sua música. Então, estamos muito preocupados com o impacto que teria sobre o futuro da cultura musical. Não há dúvida de que muitas outras indústrias têm de forma incrível, sofisticado grupos de organizações para cuidar de seus interesses. Nós sentimos que era importante para nós levantarmos e sermos contados como artistas que fizeram bem ao longo dos anos e só querem ter certeza de que novos artistas aproveitem a oportunidade de continuar a fazer música, como nós temos. Acho que todos nos sentimos que há esta ameaça.

Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Blog U2 Sombras e Árvores Altas

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...