Anúncios

Ainda Não Encontrou O Que Procura? Pesquise Aqui!

quinta-feira, 20 de outubro de 2016

A História Da Capa Alternativa De 'Boy' - Parte 1


Em outubro de 1980, o primeiro álbum do U2, 'Boy', foi lançado na Europa. Ele apresentava uma imagem de um garoto sem camisa na capa (Peter Rowen, de seis anos de idade, irmão do amigo de Bono, Guggi, que tinha também aparecido na capa do EP Tree). Mas quando chegou a hora de lançarem 'Boy' na América do Norte mais tarde, em 1981, havia preocupações que a imagem poderia ser mal interpretada.
A Island Records tinha a tarefa de colocar uma nova capa em 'Boy' para o mercado norte-americano. Uma capa em preto e branco estilizada foi desenvolvida usando imagens "esticadas" dos membros da banda. Esta capa alternativa foi usada em todas as versões norte americanas até 2008, quando, como parte de uma campanha de remasterização, 'Boy' foi reeditado em todo o mundo — incluindo a América do Norte — com a foto original de Peter Rowen. (De maneira semelhante, a imagem "esticada" alternativa também foi usada para o lançamento de março de 1981, o single de "I Will Follow" lançado na América do Norte, enquanto os singles europeus de "I Will Follow" tinha uma foto diferente de Rowen, que havia sido usada originalemnte na parte de trás do LP).
Recentemente, o site U2 Songs (antigo U2 Wanderer) conversou com o artista e fotógrafo Sandy Porter, que trabalhou na capa alternativa de 'Boy' para o mercado norte-americano. Sandy se formou no Royal College of Art, Londres, em 1979. Além de oferecer um vislumbre do processo criativo para a capa, ele também forneceu várias fotos nunca-antes-vistas do trabalho em andamento!

Negativos em preto e branco da capa final do álbum. As marcas das grades são o tamanho de referência do álbum.

Como você se envolveu na capa do álbum 'Boy'?

John Martyn era um importante artista no selo Island, e eu fui solicitado em 1980, por Bruno Tilley, designer que trabalhava dentro da Island Records, para criar a capa do álbum 'Grace and Danger', de Martyn. Excepcionalmente para a indústria naquela época, Bruno era um talentoso designer e um pensador criativo. A capa acabou sendo uma grande empreitada. Levou dez dias para concluir a artwork. Ao mesmo tempo que eu estava trabalhando sobre esta capa, ele estava tentando resolver uma questão em torno de uma jovem banda chamada U2. A capa para o álbum 'Boy' no Reino Unido aparentemente estava causando problemas com os EUA e outros distribuidores internacionais, e havia sido pedido à ele para encontrar uma solução. Houve um problema adicional: não havia praticamente nenhum orçamento disponível para fazer isso. A opção atual que ele tinha era usar quatro fotos bastante normais, de um comunicado de imprensa da banda — uma ideia que não encheu ele de entusiasmo.

Cópias transparentes da capa frontal e traseira com variações de sombra e efeito com vidro. (O vidro era equilibrado sobre uma velha fita cassete).

Então você começou a trabalhar na capa para 'Boy' com Bruno Tilley nesse ponto?

Concordei em trabalhar em uma nova capa, apesar dos honorários muito baixos e a falta de gastos para nos permitir viajar até a banda e tirar algumas fotos novas deles. Em vez disso, Bruno viajou para Dorset de Londres no fim de semana para que pudéssemos passar algum tempo trabalhando em algumas ideias. Isso também lhe deu a oportunidade de ver os resultados que foram sendo produzidos. A primeira ideia era usar as fotos como matéria-prima para novas imagens por distorcê-las e criar uma peça de arte mais gráfica, estilizada. Naquela época não tínhamos programas de computador, então criamos efeitos por um processo mais manual. Não havia regras ou guias sobre como fazê-lo. Nós apenas experimentamos por tentativa e erro. Alguns efeitos interessantes foram criados usando uma fotocopiadora e puxando as imagens durante a digitalização. Mas foi muito impreciso. As imagens também foram copiadas e distorcidas usando um ampliador fotográfico e o movimento da placa base segurando o papel fotográfico. Distorção e movimento na câmera foi outra opção usada, com longas exposições e movimento de impressões. Em seguida, tentamos uma combinação de técnicas de mistura. Estes processos começaram a ajudar a formular algumas ideias e deram a matéria-prima para a próxima fase. Além disso, havia uma boa quantidade de trabalho de caneta preta para realçar as áreas que não funcionaram bem quando distorcidas.


Cópias transparentes da capa frontal e traseira com variações de sombra e efeito com vidro. 

Onde você conseguiu a sua inspiração para a capa?

Eu queria mais do que apenas distorcer imagens e tinha olhado para o álbum para conseguir inspiração. Quando um ilustrador ou fotógrafo compromete-se à criar capas de discos ou livros, você geralmente recebe uma cópia do trabalho do artista para que você possa usar desta forma. O que me chamou a atenção foi a referência à William Golding/Lord Of The Flies usada na canção "Shadows And Tall Trees". Como o cenário de Lord Of The Flies é em uma ilha, a primeira área de influência foi selecionar quatro imagens brutas e distorcidas que tinham uma sensação como ondas do mar distorcendo as marcas na areia. Quando a combinação certa para a parte da frente e para a parte de trás tinham sido trabalhadas, as imagens foram cortadas com bisturis e montadas juntas. Então elas foram copiadas, impressas, retocadas, copiadas novamente e impressas em papel fotográfico de alto contraste. Este processo criou as novas imagens que foram eventualmente usadas na capa alternativa do álbum.
Eu passei a criar versões adicionais da capa que seguiam estas linhas. A primeira novamente foi influenciada por Lord Of The Flies. A referência a "sombras" foi pega e recriada através da desbotada imagem dupla cinza da banda. Diferentes graus de sombras foram usadas e podem ser vistas nas capas alternativas nas fotos. O pequeno sombreamento em uma das imagens também criou uma qualidade de 3 dimensões com as superfícies planas do preto e cinza.
Essas imagens foram levadas depois para uma nova etapa. Um pedaço de vidro quebrado foi adicionado a fim de refletir a violência que foi retratada em Lord Of The Flies. Também criou a interação que você procura, de algo macio com algo duro, algo suave, com algo áspero, algo preciso com algo turvo, em movimento e estática etc... Também criou planícies e dimensões diferentes. Uma versão alternativa final tinha um toque de vermelho na extremidade da ponta do vidro. Estas capas alternativas foram minhas escolhas preferidas para a capa.


Agradecimento: Aaron J. Sams / Don Morgan
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Blog U2 Sombras e Árvores Altas

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...