Anúncios

Ainda Não Encontrou O Que Procura? Pesquise Aqui!

domingo, 17 de dezembro de 2017

Reelin’ In The Years Productions disponibiliza programa do U2 no 'Countdown In Concert' em 1982


A Reelin’ In The Years Productions disponibiliza no You Tube o programa 'Countdown' com o U2, exibido em julho de 1982 na TV holandesa.
Este segmento, filmado em maio de 1982, apresenta um jovem U2 em turnê para o seu segundo álbum, 'October'. Dois segmentos de entrevistas e um total de 25 minutos, 7 canções ao vivo: "Gloria", "Another Time Another Place", "October", "I Will Follow", "A Celebration", "11 O'Clock Tick Tock" e um trecho de "Give Peace A Chance."



A Reelin’ In The Years Productions, um dos maiores arquivos de filmagem da América, e a Double 2 BV, uma empresa de produção da Holanda, adquiriram os direitos para o programa de música holandesa Countdown.
Muitas vezes referido como "a Europa #1 Rock Show", o Countdown foi ao ar por 16 anos (1977-1993), e foi transmitido em 18 países, tornando-se um dos programas de música mais bem sucedidos na história da televisão.
O arquivo contém mais de 3.000 horas de performances musicais, entrevistas e apresentações de shows.

The Edge explica como "Fast Cars" entrou em setlists da turnê Vertigo


Com o lançamento de 'Songs Of Experience', mais uma vez a versão japonesa do álbum trouxe uma canção extra bônus, de "The Blackout (Jacknifee Lee Remix)".
Em 2004, nas versões japonesa, inglesa e na edição de colecionador do álbum 'How To Dismantle An Atomic Bomb', "Fast Cars" foi colocada como canção bônus.
A música foi apresentada ao vivo em algumas noites da turnê Vertigo em 2005, e The Edge explicou como a banda chegou à esta escolha:

"Na verdade, nós tínhamos falado sobre a música por um tempo e pensando em tocá-la e, em uma noite, alguém na rua sugeriu ela para Bono quando ele estava assinando autógrafos. Então ele mencionou isso e eu pensei que era uma ótima ideia e nós tivemos uma chance. É uma daquelas músicas que é tão crua e finalizada no álbum, que não é difícil reproduzir ao vivo. Na verdade, só nos levou cerca de duas horas para gravar essa versão no álbum."

sábado, 16 de dezembro de 2017

Especial do U2 gravado pela BBC será transmitido no Canadá como 'U2 Live In London'


A CTV do Canadá anuncia a transmissão de 'U2 Live In London' para 17 de Dezembro! O U2 realizou uma apresentação intimista e tocou alguns de seus grandes hits e novas músicas no Abbey Road Studios, e um especial de 1 hora de duração será exibido.
Este especial trará cenas de bastidores de um show da 'The Joshua Tree Tour 2017' que aconteceu no Brasil em Outubro, onde a banda deu permissão para as câmeras de TV da BBC fazerem registros de imagens, e Cat Deely estava presente!
Foi gravado originalmente para ser transmitido na BBC One em 19 de Dezembro, com apresentação de Cat Deeley e com o título de 'U2 At The BBC', produzido pelo BBC Studios.


sexta-feira, 15 de dezembro de 2017

Andy Summers do The Police não consegue acreditar que o U2 esteja junto após 40 anos de estrada


Andy Summers, o guitarrista do The Police, em uma entrevista para Alan Light, foi questionado: "Até onde eu sei, o The Police foi a única banda onde todos os membros escreveram livros. Isso indica por que poderia ter sido difícil manter essas personalidades juntas à longo prazo?"
Andy então respondeu: "É provavelmente por isso que a banda foi tão forte como era - não havia caras mudos na banda. E é um problema de uma maneira, porque há ninguém que recue e tome instruções. Mas foi sempre assim, o que fez a banda muito poderosa, e eu acho que todas as bandas de rock realmente boas tem que ter isso. Você não quer suavidade, não funciona em uma banda de rock.
Mas é uma dinâmica difícil, e é por isso que tantas bandas se separam. Alguém tem que assumir a liderança, ou deixar a banda. No nosso caso, Sting deixou a banda. No Talking Heads, David Byrne deixou a banda. O único que não fez isso foi o U2, estranhamente. Não é hora de uma separação, ou o Bono ir fazer um trabalho solo ou algo assim? Eles são quase como um quarteto de cordas clássico: eles permanecem juntos 40 ou 50 anos com os mesmos caras tocando, mas para uma banda de rock, tocando nesse volume toda a sua vida com os mesmos caras... não posso acreditar nisso."

U2 disponibiliza vídeos das performances gravadas para o 'Spotify Singles'


Em Dezembro de 2016, o Spotify lançou uma série exclusiva de gravações intitulada 'Spotify Singles'. A plataforma de streaming passou a gravar algumas músicas com artistas em seu estúdio próprio - que fica em Nova York - para fazer os lançamento toda quarta feira.
Como o nome sugere, o 'Spotify Singles' remonta a época dos vinis e dos singles vendidos em CDs físicos. Dessa forma, são lançadas duas músicas por artista ou banda. A primeira, uma canção original, e a segunda um cover.
O U2 então foi convidado para ir ao Neptune Valley em Los Angeles e realizar a gravação de duas canções para o 'Spotify Singles', que foram lançadas na plataforma.
Agora, vídeos destas duas performances foram disponibilizados em um streaming chamado This Is: U2, trazendo as canções "The Little Things That Give You Away" e "Whats Going On".




Ideia para o título de "Sleep Like A Baby Tonight" teria surgido nas sessões de 'POP'?


No encarte de 'Songs Of Innocence' do U2, Bono diz: "Os sonhos nem sempre são lugares seguros, nem são lugares considerados seguros. Alguns podem viver com a crueldade e o abuso. Alguns conseguem ... quando os filhos de qualquer Igreja não são servidos, mas em vez disso são escravizados por um abuso de poder, extraordinários atos de expiação são necessários para pôr as coisas em conjunto ...
A honestidade é apenas o ponto de partida ... segredos podem fazer você ficar doente. A Irlanda na década de 70 foi uma das piores."
A canção "Sleep Like A Baby Tonight" é sobre um padre pedófilo (que na canção acorda pela manhã e tranquilamente faz sua refeição), e reflete a realidade brutal da Irlanda que a banda conheceu quando garotos.
A letra traz a linha "You’re gonna sleep like a baby tonight".
Em uma edição da Revista Propaganda de 1997, há uma foto do U2 em estúdio, tirada durante as gravações de 'POP', e há um quadro onde podem ser lidos diversos títulos de trabalhos de canções do disco. Um dos títulos é "She's Gonna Sleep Like A Baby", e pode ter sido à partir daí que o U2 tenha vindo com o título de "Sleep Like A Baby Tonight" uma década e meia depois.

Pressão do U2 surtiu efeito: 'Freedom Of Dublin City' será retirado de Aung San Suu Kyi


Dias atrás, em uma carta assinada por Bono, The Edge, Larry Mullen Jnr. e Adam Clayton, o U2 escreveu para o Conselho Municipal de Dublin, autoridade responsável, para incentivar eles à retirarem o 'Freedom Of Dublin City' de Aung San Suu Kyi, dizendo que ela "traiu os princípios pelos quais ela era tão reverenciada". O prêmio foi dado na verdade em 1999. Suu Kyi estava sob prisão domiciliar naquele momento e o prêmio foi recebido por seu filho na ocasião, antes de recebê-lo pessoalmente em 2012.
Bob Geldof devolveu o Freedom Of Dublin dele, já que ele não quer ser associado à Aung San Suu Kyi. A Câmara criticou a atitude dele.
Ao contrário de Geldof, o U2 não pediu que eles fossem retirado desta honra, o que definem como "de longe o que mais significa para nós".
Em vez disso, eles dizem que remover a honra de Suu Kyi enviaria uma "mensagem forte em defesa dos direitos humanos".

Agora, o Conselho Municipal de Dublin iniciou um processo para revogar o prêmio dado à Aung San Suu Kyi e à Bob Geldof.
A sessão plenária apoiou, com 59 votos a favor, dois contra e uma abstenção, uma moção que pediu para eliminar Suu Kyi da lista de vencedores por sua recusa em condenar a violência usada pelo exército birmanês contra os Rohinyas.
Os conselheiros de Dublin também concordaram, por maioria, em tirar o prêmio à Geldof, depois que ele próprio anunciou sua intenção de devolvê-lo porque, ele explicou, não quis compartilhar o mesmo com Suu Kyi.
A dupla decisão adotada pelo Conselho coincidiu com a publicação da carta escrita pelo U2.

quinta-feira, 14 de dezembro de 2017

Trailer de 'U2 At The BBC'


O U2 realizou uma apresentação intimista e tocou alguns de seus grandes hits e novas músicas no Abbey Road Studios, e um especial de 1 hora de duração será exibido na BBC One em 19 de Dezembro, com apresentação de Cat Deeley. 'U2 At The BBC' foi produzido pelo BBC Studios.
Este especial trará cenas de bastidores de um show da 'The Joshua Tree Tour 2017' que aconteceu no Brasil em Outubro, onde a banda deu permissão para as câmeras de TV da BBC fazerem registros de imagens, e Cat Deely estava presente!

Confira o trailer:

U2 na Billboard 2017 - Parte II


Billboard - Edição de Dezembro de 2017

Trinta anos depois de 'The Joshua Tree', os membros do U2 são estadistas mais velhos, descobrindo como se relacionar com uma América presidida por Donald Trump. "Eu não acho que 'Experience' teria sido o mesmo álbum, estranhamente, sem Trump ameaçando explodir o mundo com um tweet", diz Bono. Quando o grupo fala sobre o presidente e a política moderna, há uma sensação de se esforçar para responder de maneira eficaz, ao inexplicável.
As letras de Bono não contém a fúria focada com a qual Kendrick Lamar ataca a injustiça social em DAMN, nomeado para o álbum do ano no Grammy. Meses antes de "American Soul" ter sido lançada, Lamar usou um sampler desta colaboração em sua própria canção, "XXX", que lida com o custo da violência e da hipocrisia americana. ("Mas a América é honesta ou nos banhamos em pecado?", ele canta em rap.)
O U2 tem explorado temas semelhantes há décadas, mais claramente em 'The Joshua Tree'. Em uma cultura em que as bandas de rock já não provocam mais conversações mais profundas, a banda parece saber que não é o mensageiro certo para a crítica social abrangente que Lamar está entregando - então, encorajam os americanos alcancem isso através da passagem. "Em nossa visão de mundo, algo mudou desde 'The Joshua Tree', e é um tema do nosso trabalho mais recente:" Não há nenhum deles, há somente nós", diz Bono. "É muito fácil se dividir em partidos políticos e demonizar a outra visão. Estes são tempos para defender o que você acredita, com certeza. Também pode ser um momento para tentar entender o que a pessoa que está ao seu lado está dizendo, ao invés de apenas tentar nocauteá-los porque eles são ofensivos para você".
Durante seu tempo de inatividade, os caras gostam de discutir: sobre política, música e como a Irlanda entrou recentemente na corrida para sediar a Copa do Mundo de Rugby em 2023 ("que foi um grande problema em nossa banda", diz Bono com uma risada). O quarteto também debate o futuro da sua indústria. O U2 tem excursionado extensivamente por cada um dos álbuns que lançou neste século, e Bono admite que o grupo tem sido capaz de forrar a maior parte de sua caminhada na estrada.
A banda lançou 'Songs Of Experience' em plataformas digitais - fez parceria com o Spotify para um mini-documentário, 'U2 In America', que estreou no dia do lançamento do disco - em uma distribuição muito mais tradicional do que 'Songs Of Innocence' em 2014. O CEO da Apple, Tim Cook, o chamou de "o maior álbum de todos os tempos", mas foi criticado como um erro colossal. O alvoroço sobre a forma de liberação minimizou a resposta crítica às músicas, um trabalho grandioso e vulnerável das memórias de infância do grupo.
Os membros da banda falaram muito nos últimos três anos sobre este "equívoco" de colocar o álbum nas bibliotecas do iTunes, e eles olham para trás agora com uma mistura de arrependimento, perplexidade e defensividade. Bono lembra que o grupo possuía um plano de lançamento tradicional do álbum 'Innocence', mas em seguida não se contentaram com isso e jogaram a Apple em algo audacioso, corajoso. "De todos os grandes abusos contra os direitos humanos de 2014", diz ele, "não tenho certeza onde este está na classificação".
The Edge usa um tom mais contido quando ele aponta: "Tanto quanto nós tivemos pessoas apertando nosso pescoço por ultrapassarmos uma determinada linha em termos de conexões particulares da pessoas com suas contas no iTunes, também obtivemos - e [isso foi] muito menos relatado - uma grande quantidade de pessoas nos agradecendo por organizar esse presente". De acordo com The Edge, na turnê da banda em 2015, para o álbum 'Songs Of Innocence', Larry Mullen até viu alguns jovens fãs na platéia que não estavam familiarizados com os clássicos do catálogo, mas sabiam todas as letras para as novas músicas. E The Edge observa que alguns reviews de 'Experience' reavaliaram o 'Innocence' de maneira mais positiva.
Talvez a maior perda que a banda sofreu com 'Songs Of Innocence' tenha sido no rádio: o único single, "The Miracle (Of Joey Ramone)" foi destaque em um anúncio de TV da Apple, como em 2004 com o hit esmagador "Vertigo", no lançamento do álbum, mas a música pop-rock ainda acabou como o primeiro single do U2 em 20 anos à não entrar no Billboard Hot 100.
O delicado equilíbrio entre rádio e gênero fascina Bono. Em 2017, as canções de rock que cruzaram o Top 40 tiveram hip-hop e funk-pop. Onde exatamente um novo álbum do U2 se encaixa na rádio comercial em 2017? Colaborações recentes com Lamar e Kygo, a estrela do EDM que remixou "You’re The Best Thing About Me", sugerem seu interesse em novos sons - Bono reconhece que o hip-hop está em um espaço criativo emocionante agora, e diz que os artistas como Lamar e Chance the Rapper são "incríveis e inspiradores".
O U2 apostou em uma abordagem de "volta ao básico": o singalong de "Get Out Of Your Own Way" lembrou o sucesso de 2000, "Beautiful Day", enquanto "Best Thing" é um rock dançante que atingiu o N° 5 no Hot Rock Songs.
"Não importa o quanto de inovação ou experimentação, nós só queríamos escrever músicas que soassem muito bem nas rádios", diz Bono. "Há um pouco de punk rock em nós que lembra o por que começamos: "não nos aborreça, cante o refrão."
Com a primeira turnê retrospectiva da banda, a 'The Joshua Tree Tour 2017', eles advertiram sobre se tornar um "ato de nostalgia".
Os shows incluíram a primeira aparição no festival americano dos Estados Unidos, o Bonnaroo, em junho. O U2 adorou a experiência e pode ser mais acessível a mais festivais no futuro, além de uma impressionante tela de vídeo com imagens do colaborador de longa data, o fotógrafo Anton Corbijn. "No momento em que o 'The Joshua Tree' foi lançado", diz Adam Clayton, "eu realmente não me lembro disso, porque foi um ano tão maravilhoso, e [nós estávamos] acabando de passar por aqueles dias e shows sendo realizados no máximo de nossos habilidades. Sinto como se tivesse perdido a importância que essas músicas têm para o público".
No dia após o SNL, The Edge ficou aliviado como "American Soul" soou - e pareceu ao vivo - tão impactante. As imagens utilizadas durante a performance podem acabar sendo incorporadas na próxima turnê do U2, com base na resposta positiva da banda recebida no SNL e o efeito que isso está apontando para os shows ao vivo. "É apenas parte da forma como pensamos sobre as nossas canções: são experiências audiovisuais", diz ele.
Adam Clayton disse que após a turnê eXPERIENCE + iNNOCENCE 2018, "eu acho que provavelmente vai demorar um tempo para fazermos qualquer coisa em termos de shows ao vivo". A banda pode voltar para o estúdio mais cedo ou mais tarde. The Edge diz que ele já está "trabalhando em algumas novas ideias e composições", embora ele não tenha certeza onde essas músicas vão acabar, se em qualquer lugar. Talvez o U2 ronde o ano de 2020 e leve "All That You Can't Leave Behind' em uma turnê de 20 anos. Talvez a banda libere outro projeto durante a era Trump, e talvez não.
Trinta anos após o álbum que ainda define a banda para muitos fãs, o U2 está tentando gravar música que se conecta intuitivamente às pessoas, ao mesmo tempo que lida com eventos globais. "O 'The Joshua Tree' apenas funcionou muito bem para o tempo e o lugar de uma maneira muito mais significativa do que qualquer um poderia ter previsto quando ele foi lançado em 1987", diz Larry Mullen. "Eu gostaria de acreditar que as estrelas se alinharão de novo assim ... alguma vez ... quem sabe".



U2 na Billboard 2017 - Parte I


"Quinze segundos!"

Saturday Night Live, e o aviso que é quase hora do show, Bono bate metodicamente no lado de um megafone pintado com estrelas e listras da bandeira americana. Ele fez um sinal de paz para o público no estúdio quando ele entrou no palco alguns momentos antes, mas agora ele está à esquerda do palco, esperando nas sombras durante o silêncio antes do intervalo comercial terminar.
Saoirse Ronan, a estrela irlandesa-americana do filme 'Lady Bird', está como convidada especial no SNL pela primeira vez, e faz um sinal de positivo para a banda. The Edge sorri e retribui o gesto, mas Bono parece não notar. Continua batendo no megafone.

"Senhoras e senhores, U2!"

A platéia ruge, a música começa e a voz de Kendrick Lamar soa. "Bem-aventurados os podres de ricos", com a letra de seu sermão em uma animação na tela, "porque você só pode possuir de verdade o que você oferece, como a sua dor." Esta é uma nova canção do U2, "American Soul", que começa com um monólogo do rapper mais importante de sua geração. Bono fica quieto até a última palavra, e em seguida, levanta o megafone para seus lábios e ecoa um prolongado "paaaain". Ele permanece na escuridão mais algumas batidas antes de caminhar para o centro do palco, e em pouco tempo, ele está gritando o refrão: "Você é rock and roll! Veio aqui procurando a alma americana".
A primeira aparição do U2 no SNL em oito anos trouxe a estréia ao vivo de "American Soul", uma mensagem de unidade do álbum recém lançado 'Songs Of Experience'. A performance foi montada de forma caracteristicamente meticulosa. De acordo com The Edge, o banda fez várias viagens naquele dia para a sala de controle do SNL para aperfeiçoar o equilíbrio do som, e eles estavam repetindo seus riffs em seu camarim momentos antes de serem conduzidos ao palco. É uma grande performance para o U2, e os membros querem que ela signifique alguma coisa. Eles estão à caminho para outro álbum No. 1 e arrecadaram mais de $300000000 na turnê por trás de um dos maiores álbuns de rock de todos os tempos, 'The Joshua Tree'- mas eles querem mais, como sempre. "Coloque suas mãos para o alto / Segure o céu / Pode ser tarde demais, mas ainda temos que tentar", canta Bono. Ganhar dinheiro é muito bom, mas o U2 prefere mudar o curso dos eventos mundiais. E a banda acredita que pode.
"Não apenas para a América, mas para a Europa e para o mundo todo, há uma virada para o extremismo", diz Bono durante uma das várias conversas telefônicas entre a Billboard e os membros do U2. "Eu sinto que esse é o tempo em que estamos, e nós somos a banda certa [para ele]." Não há dúvida nenhuma em sua voz. O grupo reconstruiu parcialmente 'Songs Of Experience' após as eleições presidenciais de Brexit e dos EUA em 2016 porque os membros sentiram que: curar o mundo é parte de sua missão.
Bono empunhava seu megafone vermelho, branco e azul na recente turnê da banda, na qual o U2 tocava seu álbum marco de 1987, 'The Joshua Tree', na íntegra. O dispositivo "leva todo o vocal para um lugar completamente diferente", observa The Edge, "com tons de protesto de rua e ativismo, em uma canção que está colocando um holofote sobre a América, e nossa acolhida na América." Essa turnê lembrou aos fãs como um álbum político irritado o 'The Joshua Tree' é: canções como "Bullet The Blue Sky" e "Mothers Of The Disappeared" encontraram Bono, uma estrela de rock ascendente com 20 e poucos anos de idade, usando suas letras para trucidar Ronald Reagan e conflitos apoiados pelos EUA na América Central.
"Às vezes a arrogância da juventude é na verdade uma parte essencial do avanço", diz The Edge. "A clareza de ser um jovem de 22 anos e ter opiniões tão fortemente vistas agora é mais difícil, porque você percebe que o que o afasta é você mesmo. Você é seu pior inimigo."
O U2 se destacou pelo conflito que cercou o banda. Quando o grupo formou-se em 1976, a Irlanda estava no meio de uma década de intensa disputa etno-nacionalista, tentando se recuperar do período mais violento da sua história. "Nossa banda surgiu [durante] o punk rock nos anos 70, em uma Dublin muito miserável", diz Bono. "Muitas pessoas tiveram que deixar suas cidades para encontrar trabalho. Onde eu cresci em Dublin, era um lugar com muito ódio, que eu me lembre. O que o punk trouxe para nós foi que as coisas não têm que ser do jeito que são - você pode lutar contra isso."
Os membros do U2, que fizeram sua primeira viagem para a América com 19 e 20 anos de idade, em 1980 com a turnê de 'Boy' - passaram a definir e redefinir a banda no contexto dos acontecimentos mundiais dos últimos 40 anos. Este é o grupo que gritou contra a violência sectária da Irlanda em 1983 em "Sunday Bloody Sunday"; que usou "One" de 1992 para meditar sobre a reunificação da Alemanha e apoiar o combate à AIDS através dos rendimentos da venda do single da canção; que assistiu em 2000 seu single "Walk On" tornar-se um hino não oficial pós 11 de Setembro.
Os Estados Unidos continuam a ser extremamente amáveis com os nativos de Dublin, que movimentaram 186.000 unidades equivalentes à vendas do álbum 'Songs Of Experience' em sua semana de estréia, de acordo com a Nielsen Music, um começo impressionante neste 2017.
As estatísticas contam a história de sua longevidade: a banda é apenas o quarto ato à ter álbuns N° 1 nas décadas de 1980, 1990, 2000 e 2010, e tem o terceiro maior número de álbuns N°1 entre os grupos, atrás de The Beatles e The Rolling Stones.
"Eles dão esperança a outras bandas que estão começando", diz Ryan Tedder, o líder do OneRepublic que co-produziu nove músicas em 'Songs Of Experience'. "Se você escrever o tipo de músicas que refletem os mecanismos internos da humanidade e da vida, você pode durar o tempo que quiser."

O poema que inspirou "Book Of Your Heart" de 'Songs Of Experience'


Bono escreveu em sua carta em 'Songs Of Experience':

"O amor sempre foi o nosso assunto principal, mas o amor nem sempre é amável. ‘Somos fortes o suficiente para um amor comum?’ É a pergunta correta. São muitas as canções que patinam em torno deste assunto, mas as duas canções bônus do álbum não.
Tão frio quanto um acordo é "Book Of Your Heart".
Eu queria escrever sobre uma paixão fria. Eu reli The Fisherman do Yeats onde ele fala de seu desejo para uma poesia ‘tão fria e apaixonada como o amanhecer’.
Eu tentei pensar através daquilo, e eu vim com a linha ‘Essa é a beleza da cicatriz. Esse é o acordo do coração’.
É um tipo de referência ao casamento, ao juramento dos relacionamentos. Há um preço em juramentos feitos no amor quando jovens, mas no final o preço nunca é alto o suficiente, é?
(Vale muito à pena)."

The Fisherman (O Pescador) é um poema de William Butler Yeats, conhecido por W. B. Yeats. Poeta, dramaturgo, místico, nascido em Dublin. Foi composto em junho de 1914 e publicado pela primeira vez em 1916.

"Mesmo lembrando o sardento

Homem de cinza com vara

Que sobe a um lugar cinzento

Com roupas de Connemara

E na aurora vai pescar,

Já faz tempo que procuro

Ante os olhos invocar

Esse homem simples e puro.

Eu tinha olhado de frente

O que eu esperava que fosse

Escrever p`ra minha gente

E aquilo que o mundo trouxe:

Os vivos que dão desgosto,

O morto que era um amigo,

O covarde no seu posto,

O insolente sem castigo,

Canalha algum intimado

Enquanto um ébrio o aclamar,

O engraçadinho açodado

Com seu chiste mais vulgar,

O esperto que traz nos lábios

Algum bordão de palhaço,

O espaço que falta aos sábios

E a grande Arte sem espaço.

Por desprezo a essa plateia,

Há um ano do calendário,

De repente tive a ideia

De um homem imaginário,

Com o rosto bem sardento

E roupas de Connemara,

Onde a espuma da corrente

Escurece a pedra clara,

A dobrar o punho em riste

Quando o anzol lança risonho;

Um homem que não existe,

Um homem que é apenas sonho;

E, antes que velho, anuncio:

“Vou lhe escrever qualquer hora

Um poema talvez frio

E candente como a aurora”.

quarta-feira, 13 de dezembro de 2017

U2 grava mais uma canção de experiência: "What’s Going On"


O U2 foi ao Neptune Valley em Los Angeles (no estúdio próprio do Spotify) e realizou a gravação de duas canções para o 'Spotify Singles', que foram lançadas na plataforma nesta quarta feira.
Uma nova gravação de "The Little Things That Give You Away" e uma versão cover de "What’s Going On" de Marvin Gaye foram realizadas, e esta segunda, como um b side do single, faz sentido ao relacionar com temas abordados em 'Songs Of Experience'.



A banda já revelou em diversas entrevistas, que a primeira versão do disco estava pronta no final do ano passado, mas alguns eventos importantes como o Brexit e a presidência de Trump nos Estados Unidos motivaram a banda a reescrever algumas músicas.
Uma das canções do disco, "Summer Of Love", aborda indiretamente a crise dos refugiados sírios. Bono diz: "Nós só queríamos escrever uma música romântica com nuvens realmente negras acima. Está relacionada a estar na linda baía de Eze (no sul da França, onde Bono e Edge tem casas) e saber que quando você está tendo suas férias no mesmo mar, muitas pessoas estão lutando por suas vidas, agarrando-se a pedaços de madeira e plásticos".
As letras do disco foram escritas como cartas, e há uma para a América, chamada "American Soul". Bono explicou: "Um país ainda inovando e se reinventando que tem sido a inspiração para esta banda desde a primeira turnê nos anos 80. Sempre tentei explicar que a América não é apenas um país, é uma ideia. É uma grande ideia também. Mas enquanto nós gravávamos essas músicas, sentimos que a ideia da América estava sendo desafiada, talvez até mesmo distorcida, de maneiras bastante problemáticas."
Bono explicou também: "Eu vim com a frase: 'o amor é maior do que qualquer coisa em seu caminho'. E eu quero dizer isso. E não é um amor que flutua no ar, com flores no cabelo. Quero dizer que a maioria das músicas do álbum são detalhes de paisagens emocionais ao invés de paisagens físicas. Eu quero contar que a coisa que a experiência me ensinou, acima de tudo, é a primazia de diversão e brincadeiras e maldade e travessuras e alegria como um ato desafiador contra a nossa mortalidade, e que nos traz de volta ao rock'n'roll. Foi de onde o U2 veio."
Agora pela primeira vez o U2 registra a faixa "What’s Going On" em estúdio para o 'Spotify Singles'.
Original de 1971, sua letra de cunho político é uma meditação sobre os problemas e transformações sociais que afligiam os Estados Unidos e o mundo na época. Ela foi inspirada por um fato real de brutalidade policial testemunhada por Renaldo Benson na Califórnia dos anos 60. Ele escreveu a faixa junto com Marvin Gaye e Al Cleveland.
Benson era um cantor do Four Tops, grupo de Detroit e da Motown assim como Gaye, quando ele e os demais membros chegaram em turnê em Berkeley, Califórnia, em 15 de maio de 1969. Benson e os companheiros testemunharam a violência e a brutalidade da polícia no People's Park contra manifestantes locais que protestavam contra a ocupação do parque pelo governo, contra a Guerra do Vietnã e contra o Conflito árabe-israelense, no que ficou conhecido como "Quinta-feira Sagrenta". Chocado com o que viu, Benson disse a um amigo escritor que quando viu aquilo se perguntou: "O que está acontecendo aqui?" Uma pergunta levou a outra. "Porque eles estão enviando garotos para o além-mar tão longe de suas famílias? Porque eles estão atacando suas próprias crianças nas ruas?"
Posteriormente, ele comentou o fato com o amigo e compositor Al Cleveland, que compôs uma música refletindo suas preocupações. Benson então quis que seu grupo gravasse a canção, mas os outros integrantes do Four Tops se negaram, dizendo se tratar de uma canção de protesto, no que ele replicou: "Não caras, é uma canção de amor, de amor e entendimento. Eu não estou protestando, eu só quero saber o que está acontecendo".
Gaye, por seu lado, se inspirou nos distúrbios sociais que aconteciam nos Estados Unidos, especialmente os Tumultos de Watts, em 1965, que ele considerava um ponto de virada em sua vida, durante o qual, já um cantor de sucesso, perguntou a si mesmo: "Com o mundo explodindo à minha volta, como é que eu vou continuar cantando canções de amor?". Ele também foi influenciado por conversas emotivas com seu irmão Frankie, que havia retornado de três anos de serviço militar no Vietnã e pela morte de seu primo homônimo na guerra. Nesta época, apesar de ser o principal cantor de sua gravadora, ele também encontrava-se num período emocional difícil da vida, enfrentando turbulências em seu casamento com Anna Gordy, irmã do dono da Motown, Berry Gordy, devastado com a morte causada por um tumor cerebral de sua parceira de duetos Tammi Terrell, ocorrida em março daquele ano, e vivia atormentado por sua relação com seu pai puritano, Marvin Sr – que o mataria treze anos depois com um tiro, após uma briga iniciada quando os pais de Gaye discutiam sobre a perda de documentos de negócios. Durante uma conversa telefônica com Gordy, que estava em férias nas Bahamas na época, Gaye disse ao chefe que queria gravar uma canção de protesto, ao que o empresário respondeu: "Marvin, não seja ridículo, isso é levar as coisas longe demais."
A canção veio a se tornar um grande sucesso em todo mundo, chegando ao nº1 das paradas em março por cinco semanas consecutivas na Billboard R&B, uma semana na parada pop da Cashbox e chegando ao nº2 da Billboard Hot 100, vendendo um total de dois milhões de cópias, tornando-se a single de vendas mais rápidas da história da Motown até aquela data.

Vale lembrar que nos anos 70, o U2 quando ainda era 'The Hype', tinha uma canção original escrita por eles chamada "What's Going On", um som country rock. Mas sua letra é desconhecida até os dias de hoje.

"A Luz" foi vista por Christy Dignam e Bono


No ano de 2013, o U2 participou do 'A Night For Christy', um concerto no Teatro Olympia em Dublin, através de uma gravação em vídeo do estúdio em Nova York, com uma performance da canção "This Is", do Aslan.
O concerto foi um tributo à Christy Dignam, que luta contra um câncer, e exibiu uma performance inédita do U2, gravada dentro do Electric Lady Studios.
Kiera, filha de Christy Dignam, revelou em entrevista que Bono passou duas horas na casa de Christy, antes do U2 gravar a performance.
Neste encontro, Christy teria dito à Bono que ele havia visto "A Luz" durante a sua doença.
Bono então contou à ele que uma canção do próximo disco do U2 tinha o título de "The Light".
Quando 'Songs Of Innocence' foi lançado em setembro de 2014, nenhuma faixa teve o título de "The Light", porém, a letra da canção "Song For Someone", traz o verso: "Se há uma luz / Você nem sempre pode ver / E há um mundo / Que não podemos sempre estar / Se há uma escuridão / Que nós não devemos duvidar / E há uma luz / Não deixe ela escapar"

Na letra de "The Lights Of Home" de 'Songs Of Experience', Bono começa cantando sobre sua própria experiência também vendo "A Luz" durante algum susto por qual ele passou, e que ele e os integrantes não revelam: "Eu não deveria estar aqui porque eu deveria estar morto, eu posso ver as luzes na minha frente."
E em "13 (There Is A Light)", novamente o mesmo verso da letra de "Song For Someone".
Adam Clayton disse em entrevista: "Há muitas músicas sobre a luz no repertório do U2. É uma imagem de fé e obviamente pessoas que têm experiências de quase-morte descrevem ver uma luz brilhante. Então, esses são temas que estão sendo falados no disco".

'Jingle Balls: The U2 Christmas Cracker' é a playlist de canções favoritas de Natal da banda disponibilizada no serviço de streaming de música Deezer


O site U2 Songs (antigo U2 Wanderer) informa que o U2 contribuiu com uma playlist de suas canções favoritas de Natal no serviço de streaming de música Deezer. A playlist é chamada de 'Jingle Balls: The U2 Christmas Cracker' e as informações para a lista de canções é a seguinte: "esta seleção de Natal pelo U2 é uma volta ao 'Jingle Balls' que teve lugar em Dublin no final dos anos 70".
A lista completa contém 20 faixas e tem 1 hora e 6 minutos de duração. Não se sabe quais os membros do U2 podem ter participado na criação desta playlist.

A playlist vem completa com uma "capa" que apresenta uma imagem promocional recente do U2 sentados em um sofá, tirada em São Paulo, e o título 'Jingle Balls By U2'.
A seleção traz uma canção gravada pelo próprio U2: a cover de "Christmas (Baby Please Come Home)" de 1987!

AS FAIXAS:

“Must Be Santa” – Mitch Miller & The Gang from Holiday Sing Along with Mitch (02:40)
“Santa Claus is Comin’ To Town (Single Version)” – Bruce Springsteen from Santa Claus Is Comin’ To Town (04:27)
“I Believe in Father Christmas” – Greg Lake from I Believe in Father Christmas (03:32)
“Blue Christmas” – Elvis Presley from Rock & Roll Christmas (02:08)
“Silent Night” – Sinead O’Connor from Silent Night (03:45)
“Fairytale of New York” – The Pogues ft. Kirsty MacColl from The Ultimate Collection (04:23)
“It’s the Most Wonderful Time of the Year” – Andy Williams from The Most Wonderful Time of the Year (02:31)
“Happy Xmas (War Is Over)” – John Lennon and the Plastic Ono Band from Classic Rock Christmas (03:32)
“Merry Xmas Everybody” – Slade from 100 Essential Christmas Songs (03:24)
“Last Christmas” – Wham! from Last Christmas (04:23)
“Peace On Earth / Little Drummer Boy” – David Bowie and Bing Crosby from A New Career In A New Town (1977-1982) (04:26)
“Santa Baby” – Eartha Kitt from Santa Baby (03:22)
“Frosty the Snowman” – The Ronettes from Frosty the Snowman (02:09)
“2000 Miles” – The Pretenders from The Singles (03:39)
“Run Rudolph Run” – Chuck Berry from Rock & Roll Christmas (02:45)
“Merry Christmas (I Don’t Want to Fight Tonight)” – Ramones from The Chrysalis Years Anthology (02:09)
“Don’t Shoot Me Santa” – The Killers and Ryan Pardey from Don’t Shoot Me Santa (04:03)
“I Want You for Christmas” – Cheap Trick from A Very Special Christmas 25th Anniversary (04:06)
“White Christmas” – Bing Crosby from Gold (2CD Set) (03:03)
“Christmas (Baby Please Come Home) – U2 from A Very Special Christmas (02:09)

Single do U2 com duas canções gravadas em estúdio é lançado no 'Spotify Singles'


Em Dezembro de 2016, o Spotify lançou uma série exclusiva de gravações intitulada 'Spotify Singles'. A plataforma de streaming passou a gravar algumas músicas com artistas em seu estúdio próprio - que fica em Nova York - para fazer os lançamento toda quarta feira.
Como o nome sugere, o 'Spotify Singles' remonta a época dos vinis e dos singles vendidos em CDs físicos. Dessa forma, são lançadas duas músicas por artista ou banda. A primeira, uma canção original, e a segunda um cover.
O U2 então foi convidado para ir ao Neptune Valley em Los Angeles e realizar a gravação de duas canções para o 'Spotify Singles', que foram lançadas na plataforma.

1. The Little Things That Give You Away – Recorded at Neptune Valley, LA (5:07)


2. What’s Going On – Recorded at Neptune Valley, LA (3:51)



A nova gravação de "The Little Things That Give You Away" é um pouco mais longa que a versão encontrada em 'Songs Of Experience', e soa parecida com a versão ao vivo apresentada na 'The Joshua Tree Tour 2017', mas com o som do piano mais destacado. Ela não é apenas uma performance ao vivo, ela foi trabalhada em estúdio, e as letras tem algumas leves diferenças.
"What's Going On" é um cover da canção de Marvin Gaye, e o U2 já havia tocado a música ao vivo na turnê Elevation em 2001, ano em que Bono gravou com outros artistas versões da canção para um single beneficente.
Agora pela primeira vez o U2 registra a faixa em estúdio. Original de 1971, sua letra de cunho político é uma meditação sobre os problemas e transformações sociais que afligiam os Estados Unidos e o mundo na época.

Blog U2 Sombras e Árvores Altas

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...