Anúncios

Ainda Não Encontrou O Que Procura? Pesquise Aqui!

sábado, 30 de setembro de 2017

Neil McCormick explica o motivo de Bono não ter aceitado fazer uma entrevista para a Playboy


A Playboy Mansion West foi a residência do fundador da Playboy, Hugh Hefner, que faleceu aos 91 anos esta semana.
É localizada em Holmby Hills, área de Los Angeles, California, próximo a Beverly Hills.
O espaço tem 29 quartos, uma sala de jogos, uma sala de cinema, uma adega, um campo de ténis, uma gruta, uma licença para ter zoo e, claro, a famosa piscina onde as "coelhinhas" várias vezes foram fotografadas com celebridades. Chegou, inclusive, a aparecer em vários filmes e séries de televisão.
Em junho de 2016, Hugh Hefner vendeu a Mansão da Playboy por mais de 88 milhões de euros ao seu vizinho do lado, o empresário grego Daren Metropoulos que planeia juntar as duas propriedades. O comprador só poderia mudar-se para lá quando Hefner morresse.
O U2 lançou em 1997 uma canção chamada "The Playboy Mansion" em POP, uma referência à famosa casa de Hefner!
O site U2 Fan Life escreveu que a música: "é um gospel para o pior dos Estados Unidos. É sobre a ideia do céu que as pessoas querem, vendo isso em um relógio Rolex, ou uma foto na revista Hello ou um dia na mansão Playboy".

Neil McCormick, o jornalista musical irlandês, fez uma revelação através de seu Twitter:

"A Revista Playboy me ofereceu muito dinheiro por uma entrevista com Bono na década de 90. Ele não quis fazer isso. Não queria fazer os fãs comprarem a revista."


Downloads dos volumes 9 e 10 da coleção ao vivo U2 & 22 # Elevation Tour / Vertigo Tour


Nas comemorações da vinda do U2 ao Brasil com shows da 'The Joshua Tree Tour 2017', será disponibilizado aqui à cada final de semana até 14 de Outubro, uma série de bootlegs com canções ao vivo de shows da banda intitulados U2 & 22, criados pelo extinto grupo 'Sem Limites No Horizonte', que receberam denúncias por pirataria e tiveram o grupo excluído pelo Facebook. Uma injustiça, logicamente, pois o grupo nunca comercializou nada, e gravações de shows (bootlegs) compartilhados não se caracteriza isto, pois não é material oficial (este sim comercializado pela banda).

Seguem mais dois volumes da coleção para download, com textos de introdução criados pelo grupo 'Sem Limites No Horizonte'!

CLIQUE NESTE LINK PARA O DOWNLOAD DO VOLUME 9




Elevation Tour: A Elevation veio com uma grande expectativa, já que o U2 assim como deu uma guinada na virada da década, também queria dar uma guinada na virada do milênio, e para isto decidiram mais uma vez passar por uma transformação, desta vez rumo a maturidade. Uma maturidade do rock n roll da banda foi o que vimos desta vez com clássicos como "Beautiful Day", "Elevation", "Walk On", "In a Little While", entre outros. Os melhores bootlges em soundboards desta tour vieram da América, e usamos os shows de Nova Iorque, Cleveland, Salt Lake City, Miami e Charlotte para montarmos nossa coletânea.
Baixem, ouçam e curtam, é o U2 dando boas-vindas ao novo milênio!

U22 – Elevation Tour

00. Intro - Sgt Peppers (Beatles) - NY, 2001.10.25
01. Elevation - NY, 2001.10.25
02. Beautiful Day - NY, 2001.10.25
03. Until The End Of The World - Cleveland, 2001.05.03
04. New Year's Day - NY, 2001.10.25
05. I Will Follow - Cleveland, 2001.05.03
06. Sunday Bloody Sunday - NY, 2001.10.25
07. Stuck In A Moment You Can't Get Out Of - NY, 2001.10.25
08. Kite - Salt Lake City, 2001.11.09
09. Wild Honey - Salt Lake City, 2001.11.09
10. Stay (Faraway So Close) - NY, 2001.10.25
11. Bad - NY, 2001.10.25
12. Where The Streets Have No Name - Salt Lake City, 2001.11.09
13. I Still Haven't Found What I'm Looking For - NY, 2001.10.25
14. Knockin' On Heaven's Door - Miami, 2001.12.02
15.2. Bullet The Blue Sky - NY, 2001.10.25
16. In God's Country - Miami, 2001.12.02
17. New York - NY, 2001.10.25
18. One - NY, 2001.10.25
19. Peace On Earth - Salt Lake City, 2001.11.09
20. Walk On - NY, 2001.10.25
21. Discothèque - Miami, 2001.03.24
22. The Ground Beneath Her Feet - Portland, 2001.04.15

CLIQUE NESTE LINK PARA O DOWNLOAD DO VOLUME 10



Vertigo Tour: A confirmação da maturidade do U2 após a excelente Elevation Tour. A Vertigo teve shows inesquecíveis arrebatando novas legiões de fãs da banda, principalmente com a transmissão dos shows na América latina em TV aberta. Escolhemos para esta compilação músicas dos shows de Milão (2005), Miami (2005), Londres (2005), São Paulo (2006), Honolulu (2006) e Nova Iorque (2005). Todos com qualidade SoundBoard.

U22 – Vertigo Tour

01 City Of Blinding Lights - Miami, US 2005.11.14
02 Vertigo - Milan, It 2005.07.20
03 Elevation - Milan, It 2005.07.20
04 I Will Follow - Miami, US 2005.11.14
05 The Electric Co - Miami, US 2005.11.14
06 I Still Haven´t Found, What I'm Looking For - Milan, It 2005.07.20
07 Miracle Drug - London, UK 2005.06.18
08 Original of the Species - Milan, It 2005.07.20
09 Sometimes You Can't Make it On Your Own - Milan, It 2005.07.20
10 Love And Peace Or Else - São Paulo, Br 2006.02.20
11 Sunday Bloody Sunday - São Paulo, Br 2006.02.20
12 Bullet The Blue Sky - São Paulo, Br 2006.02.20
13 The First Time - Honolulu, US 2006.12.09
14 Fast Cars, NY, 2005.10.08
15 Where The Streets Have No Name - NY, 2005.10.08
16 One - São Paulo, Br 2006.02.20
17 Zoo Station - London, UK, 2005.06.18
18 The Fly - Miami, US 2005.11.14
19 With Or Without You - Miami, US 2005.11.14
20 All Because Of You - São Paulo, Br 2006.02.20
21 Yahweh - London, UK 2005.06.18
22 Crumbs From Your Table, NY 2005.10.11

sexta-feira, 29 de setembro de 2017

Há uma mensagem escondida na introdução de "Daddy’s Gonna Pay For Your Crash Car"


Há uma mensagem escondida em "Daddy’s Gonna Pay For Your Crash Car" do U2, presente no álbum 'Zooropa' de 1993. Quem garante é Willie Williams, o diretor de iluminação de palco e designer dos shows do U2.
"A única mensagem escondida que conheço em uma canção do U2 está em "Daddy’s Gonna Pay For Your Crash Car", porque eu mesmo fiz isso.



Toda a estática de rádio na introdução da faixa é uma máquina DAT tocada para trás, e a voz de Bono dizendo: "Four jerks and a police escort — now that’s funny" (Quatro idiotas e uma escolta policial - que engraçado). E é uma história verídica."

Isso faz parte de um dos capítulos do VHS lançado em 1992, 'U2 ‎– Achtung Baby (The Videos, The Cameos And A Whole Lot Of Interference From ZooTV)'. É o capítulo 7: OFF the record and onto the tour FOUR JERKS and a police escort MEDIA MANIPULATION and the global information network NEVER TRUST a man smoking a cigar IT'S ALL VERY REALISTIC.

A fita master de rolo Reel To Reel de "I Will Follow" de 1980


Em 1980, o disco 'Boy' do U2 foi masterizado no The Sound Clinic.
O The Sound Clinic foi um estúdio de masterização / corte de propriedade da gravadora Island Records para lidar com trabalhos próprios e de terceiros. Era localizado em Chiswick/Londres.
Graeme Durham trabalhava no The Sound Clinic e masterizou os discos do U2. John Dent foi quem trabalhou na masterização de 'Boy'.
O estúdio foi fechado em 1987.
Em um site de vendas, apareceu um item em leilão muito raro desta época, indicado como 'U2 I Will Follow - Original 1980 Studio Reel To Reel Tape UK Promo Reel to Reel'.
Essa fita master de rolo Reel To Reel de "8 de "I Will Follow", original de 1980, aparece com a caixa do The Sound Clinic Studios. A canção seria lançada como single. A data na caixa aparece: 12.11.80
A caixa traz notas de especificações técnicas pelo engenheiro de masterização. Esta é a versão de 3 minutos 20 segundos masterizada em estéreo com compressão não Dolby. É praticamente impossível encontrar peças de estúdio autênticas como esta.

Saiba como surgiu as passarelas para o meio do público em shows do U2 e de onde veio a ideia do palco de coração da Elevation Tour


Willie Williams, o diretor de iluminação de palco e designer dos shows do U2, faz uma revelação interessante de como surgiram as passarelas para o meio do público em shows do U2, e como surgiu a ideia do palco de coração da Elevation Tour:

"Desde a turnê de 'The Unforgettable Fire', Bono queria uma passarela para o meio do público, mas problemas de segurança sempre foram citados para acabar com a sua ideia. No entanto, quando filmamos 'Rattle And Hum' no Arizona, havia uma plataforma para câmera enorme que ia direto para o público. Depois disso, Bono avisou que não iria aceitar um não como resposta, tendo visto isso sendo feito uma vez, então a passarela na ZooTV foi o resultado.
Depois, uma série muito interessante de reuniões e discussões, resultou no palco em forma de coração para a Elevation Tour - uma colaboração muito pura. Mark Fisher e eu discutimos muitas ideias antes de propor qualquer coisa para a banda. Eu estava ansioso para ter um longo palco que se estendesse pelos locais, e por brincadeira mesmo, eu desenhei uma renderização que tinha o arco da Popmart colocado no chão de uma arena. O meio foi preenchido, mas as cores eram as mesmas que o arco original - era do mesmo tamanho, 33m de comprimento. Bono olhou para o desenho e acrescentou as partes do fundo, fazendo um formato de coração, e Adam depois sugeriu que ele saísse novamente por fora da banda, e assim Larry não seria deixado encalhado tão longe da platéia. Foi preciso um monte de discussões logísticas para fazê-lo funcionar, mas foi aí que a ideia começou.
Funcionou muito bem - em grande parte porque tudo o que Bono tinha que fazer era caminhar, e havia um drama imediato. A rampa tornava-se mais baixa à medida que avançava, assim enquanto ele andava, ele descia para a multidão e nunca houve um momento em que ele tenha precisado parar e se virar, ele sempre apenas continuava seguindo."

Herstory: ONE convida você a nomear uma ativista inspiradora ligada ao Brasil e ela pode acabar sendo mostrada nos shows em São Paulo da 'The Joshua Tree Tour 2017'


Faltam 20 dias para o primeiro show da 'The Joshua Tree Tour 2017' no Brasil, e o Facebook da ONE pede:

"Nomeie uma mulher inspiradora a ser destaque em um show do U2! É um dos momentos mais falados da 'The Joshua Tree Tour 2017' do U2 - a visualização deslumbrante no telão de "Herstory" à medida que a banda toca "Ultraviolet (Light My Way)".
Da ativista dos direitos das mulheres, Sojourner Truth, para Ellen Johnson Sirleaf, Presidente da Libéria, Malala Yousafzai e Wangari Maathai, as dezenas de imagens impressionantes que aparecem e desaparecem na tela destacam a história de mulheres "luminosas" que "abrem caminho" para um mundo melhor.
A ONE convida você a nomear uma ativista inspiradora ligada ao Brasil e ela pode acabar sendo mostrada nos shows em São Paulo.

CLIQUE NESTE LINK PARA PARTICIPAR

quinta-feira, 28 de setembro de 2017

U2 lança single digital com versão acústica de estúdio de "You're The Best Thing About Me"


O U2 lançou hoje um single digital com a versão acústica de estúdio de "You're The Best Thing About Me", que está disponível na loja japonesa da Apple Music, e também em outros países! Ela tem o título de "You're The Best Thing About Me (Acoustic Version) - Single".
Foi produzida por Jacknife Lee, que também toca violão e percussão adicional na faixa!

Clique no link abaixo e ouça!

OUÇA A ÍNTEGRA DA CANÇÃO

A versão da canção têm 3 minutos e 47 segundos de duração, e seu lançamento aparece depois de alguns dias que a banda tocou ao vivo uma versão acústica da faixa no San Diego County Credit Union em San Diego, pela 'The Joshua Tree Tour 2017'.
Bono explicou sobre isso, dizendo que a sua inspiração para a letra, sua "linda mulher" Ali, estava presente no local, e assim ele gostaria de cantar de uma maneira mais direta e íntima para ela.




U2 colocou canção sua em comercial do IPOD, mas recusou milhões para ceder "Where The Streets Have No Name" para uma outra campanha. Só Bono explica


Em entrevista no ano de 2005, Bono explicou o motivo do U2 ter colocado uma canção no comercial do IPOD, e recusado milhões para ceder "Where The Streets Have No Name" para um outro comercial:

"Se eu amo a música, eu amo a música. Nós olhamos para o comercial do iPod como um vídeo de rock. Nós escolhemos o diretor. Pensávamos, como vamos conseguir colocar nosso single nos dias em que a música rock é um nicho? Quando é improvável conseguir uma música punk-rock de três minutos no topo das paradas das rádios? Então nós pegamos esse fenômeno para chegarmos a um novo público, mais jovem, e nós conseguimos. E é excitante. Orgulho-me do comercial, orgulho-me da associação.


Nós recusamos enormes somas de dinheiro para colocar nossas músicas em um comercial, onde sentimos, para seu ponto de vista, onde poderiamos mudar a maneira como as pessoas apreciavam a música. Nos ofereceram 23 milhões de dólares só por "Where The Streets Have No Name". Pensamos que poderíamos fazer bom uso desse dinheiro. Doar ele. Mas se um show está um pouco fora de lugar, e há um buraco, essa é a única canção que podemos garantir que Deus vai entrar e caminhar no local, logo que tocarmos ela. Então a ideia de que quando tocássemos ela, as pessoas iriam associar, "esse é a aquela de tal comercial", e não poderíamos viver com isso. Se tivesse sido uma coisa legal, ou não tivesse uma má associação, ou fosse uma música diferente, poderíamos ter feito isso. Mas temos que começar a pensar em novas maneiras de transmitir nossas músicas, comunicando-se neste novo mundo, com tantos canais, com a música rock se tornando um nicho. Ouvi dizer que tantos compositores descrevem suas canções como seus filhos, que eles têm que cuidar delas. Eles são seus pais, eles dizem o que fazer com elas. Eles dizem como têm que se vestir, como se comportar quando você está tocando elas. Eles dizem como será o videoclipe. Se você escuta elas, elas te controlam. E se você acertar, elas pagam por sua aposentadoria. Porque as músicas exigem ser ouvidas. "Vertigo" é enganosamente simples. Esse riff, você pode pensar: 'ah sim, outra canção de rock'. Não se torna grandiosa a primeira vez que você ouve. Torna-se grande a milésima vez que você ouve. E essa é a verdade de um monte de riffs de rock. Então temos que aumentar a densidade da exposição para que isso seja um sucesso."

A história da gravação secreta do vídeo de Aung San Suu Kyi para a turnê 360°


Do diário de Willie Williams

360° - Maio de 2011

Esta é a semana da verdade para a equipe de conteúdo.
O hotel em Denver está localizado no coração da cidade. A equipe do hotel não pareceu se importar quando pegamos uma área extensa do lobby e transformamos a área em nossa instalação de produção de vídeo, então ficamos lá durante a maior parte do dia.
Temos algumas grandes peças novas para entrar no show, a maioria das quais têm sido muito ambiciosas à sua própria maneira. Provavelmente a mais significativa é um vídeo de Aung San Suu Kyi, que irá ser exibido antes de "One" no slot atualmente ocupado por Desmond Tutu.

A realização desta peça foi absolutamente épica, envolvendo uma viagem furtiva para a Birmânia por Sam, meu produtor, juntamente com Eoin, o documentarista da 360° e do U2, além do próprio Martin Wroe do U2.COM
Sem dúvida, a história será contada na íntegra no U2.COM em algum momento, mas por agora basta dizer que isso foi uma filmagem secreta em seu melhor. Depois de um processo bastante longo de comunicação com a equipe de Daw Suu (como Aung San Suu Kyi é conhecida), ela concordou em ser filmada para o show do U2, então os nossos três rapazes foram para Bangkok para solicitar vistos birmanês. Tendo assegurado estes, eles dirigiram-se a Rangoon posando como mochileiros e foram para o complexo onde DAW Suu vive - o lugar onde ela tem vivido prisão domiciliar durante a maior parte dos últimos 20 anos.
O resultado é uma série de peças para a câmera por esta mulher verdadeiramente notável, que vamos tornar uma seqüência para os shows da 360°. O U2 se juntou à campanha para a liberdade de Daw Suu mais de dez anos atrás, mais notavelmente escrevendo a canção "Walk On". Para o primeiro ano da turnê 360°, voluntários, ativistas e público - usariam máscaras de seu rosto como um momento de protesto no show, e no segundo ano da turnê, os voluntários entraram no palco segurando luzes por meio de uma vigília para ela. O pensamento de ela ser libertada e ser capaz de discursar para o público durante nosso show é tão difícil em muitos níveis, que eu não acho que temos o bastante para chegar à isso ainda.
Run Wrake é o cara que está transformando as imagens RAW em arte de vídeo. Run é um animador e cineasta que trabalha com o U2 desde a Popmart, criando alguns dos momentos visuais mais memoráveis, incluindo a colaboração com Roy Lichtenstein para fazer as pinturas animadas para aquele show. Ele fez a seqüência de vídeo que abriu "Walk On" na turnê 360° até agora, então nós o seqüestramos por um tempo para vir e nos ajudar a terminar o show.



'Happy Birthday Malala - Third Night Berlin' é outro bootleg da 'The Joshua Tree Tour 2017' que apareceu à venda no Japão


Apareceu à venda no Japão mais um material não oficial do U2, um bootleg duplo em áudio IEM / AUDIENCE do show do U2 em Berlim pela 'The Joshua Tree Tour 2017', que está disponível para download na página U2 Start!

FAÇA O DOWNLOAD CLICANDO AQUI

O CD, lançado pelo selo Empress Valley, é chamado de 'Happy Birthday Malala - Third Night Berlin', devido à uma canção no show que é dedicada à ativista Malala Yousafzai. Ele vem em capa Cardboard com OBI.

(DISK 1)
1. OPENING - THE WHOLE OF THE MOON
2. SUNDAY BLOODY SUNDAY 3. NEW YEAR’S DAY 4. BAD 5. PRIDE 6. WHERE THE STREETS HAVE NO NAME 7. I STILL HAVEN’T FOUND WHAT I’M LOOKING FOR 8. WITH OR WITHOUT YOU 9. BULLET THE BLUE SKY 10. RUNNING TO STAND STILL 11. RED HILL MINING TOWN

(DISK 2)
1. INTRODUCTION 2. IN GODS COUNTRY 3. TRIP THROUGH YOUR WIRES 4. ONE TREE HILL 5. EXIT 6. MOTHERS OF THE DISAPPEARED 7. MISS SARAJEVO 8. BEAUTIFUL DAY 9. ELEVATION 10. VERTIGO 11. MYSTERIOUS WAYS 12. HAPPY BIRTHDAY 13. ULTRA VIOLET (LIGHT MY WAY) 14. ONE

Recorded live at Olympiastadion, Berlin, Germany 12th July 2017

quarta-feira, 27 de setembro de 2017

Uma carta visual de amor para Nova York: o videoclipe de "You’re The Best Thing About Me"


Através de seu canal no You Tube, U2VEVO, a banda lançou hoje o videoclipe oficial de seu novo single, "You’re The Best Thing About Me"! Uma viagem patriótica de 4 minutos que começa com uma visão da Estátua Da Liberdade!

Foi dirigido por Jonas Åkerlund, e mostra os membros da banda se divertindo na cidade de Nova York, onde, quando jovens, eles fizeram seu primeiro show em um clube nos EUA em dezembro de 1980, iniciando um caso de amor com a cidade, que resiste firme por 40 anos.
Gravado no início deste mês, enquanto a banda estava em turnê, e apresentando uma performance do grupo (para representar o U2 ao vivo na América), o vídeo é um cenário adequado para "You’re The Best Thing About Me" - uma carta de amor de Bono para sua esposa Ali - e serve como um tributo visual para Nova York, uma serenata aos icônicos símbolos da cidade da compaixão e da liberdade americana.

A letra agora virou uma carta visual de amor para Nova York, e o nome da banda e o título da canção são escritos estilizados com as cores da bandeira norte americana!

O vídeo traz um trecho da citação "The New Colossus" de Emma Lazarus, que se encontra escrita ao pé da Estátua da Liberdade.
No início deste mês, os paparazzi flagraram o U2 gravando em torno de Nova York, indo em pontos turísticos como Ray's Pizza, a banda dando uma volta em um carro clássico na noite, e passeando em um ônibus de dois andares, usando guarda chuvas estampados com a bandeira americana.
Não foram apenas passeios turísticos da banda: eles estavam filmando o videoclipe para "You’re The Best Thing About Me".

O vídeo serve como uma ode à Big Apple, com imagens divididas entre a vida cotidiana na cidade, a banda saudando os fãs e comerciantes e tirando selfies com eles (Bono autografa uma capa do vinil de 'War'), e indo à diversos locais pela cidade. O visual culmina com U2 tocando a faixa com o skyline da cidade em segundo plano. A banda toca em cima do Empire State Building!
A banda aparece bebendo drinks em um bar, e na TV do local aparece uma performance ao vivo do U2!
Em um comércio pelas ruas, Bono autografa uma camiseta com a foto de John Lennon (que morreria em uma noite de dezembro em 1980, a mesma noite que o U2 fez um show nos EUA).  Bono também aparece segurando uma camiseta com a estampa do single da canção do U2.
Não pode passar despercebido: Adam devora uma pizza com gosto!

Premiere: o videoclipe oficial de "You’re The Best Thing About Me", novo single do U2


Através de seu canal no You Tube, U2VEVO, a banda lança o videoclipe oficial de seu novo single, "You’re The Best Thing About Me"!

O U2 tocou pela primeira vez nos EUA em 1980.... e retornaram!

Foi dirigido por Jonas Åkerlund, e mostra os membros da banda se divertindo na cidade de Nova York, onde, quando jovens, eles fizeram seu primeiro show em um clube nos EUA em dezembro de 1980, começando um caso de amor com a cidade que tem resistido por quase 40 anos.
Gravado no início deste mês, enquanto a banda estava em turnê, e apresentando uma performance do grupo, o vídeo é um cenário adequado para "You’re The Best Thing About Me" - uma carta de amor de Bono para sua esposa Ali - e serve como um tributo visual para Nova York, uma serenata aos icônicos símbolos da cidade da compaixão e da liberdade americana.

"Eu levanto a minha lâmpada ao lado da porta dourada..."

"Eu sou apenas um membro desta banda, e Edge é três"


No ano de 2005, Bono deu uma entrevista para o Chicago Tribune, e falou um pouco sobre a ligação de 'How To Dismantle An Atomic Bomb' com 'Boy', e sobre as canções da turnê 'Vertigo':

"Temos ideias que queremos comunicar em um concerto, e não apenas colocar um monte de músicas. Se fizermos certo, parece uma canção. Qual banda no nosso nível tocaria 10 músicas, sete do novo álbum e três do nosso primeiro álbum? A razão que fazemos isso é porque este álbum (How To Dismantle An Atomic Bomb) e nosso primeiro álbum (Boy) têm temas muito semelhantes. O primeiro é uma ode à inocência, como está sendo mantido. O mais recente é uma ode à inocência, como foi lembrado, com o pensamento de que você pode voltar para ela.
Na segunda metade do show, nós tomamos essa noção da jornada da igualdade. Este é o desafio da nossa geração. Então pensamos em usar bandeiras como pano de fundo durante "Where The Streets Have No Name". Lembro-me de cantá-la na primeira noite: não é uma letra muito boa, mas tem ideias realmente grandes sugeridas na letra, a ideia de que você poderia ir em uma viagem para o outro lugar. Essa letra foi escrita em um campo empoeirado no norte da Etiópia, e eu finalmente posso entender isso por causa do que estamos falando neste show. E então nós entramos em "One", e nós poderíamos fazer um novo arranjo de "One", mas veja, eu sou apenas um membro desta banda, e Edge é três. E se ele acha que um arranjo é perfeito, por que mexer com isso? Ele diz: "Não estou fazendo jam aqui. É uma melodia de guitarra. Eu escrevi. Eu não posso melhorar isso". Adam e eu somos os homens de jazz da banda. Mas Larry Mullen e Edge sempre exigem: "Sem "engordar" o som. De volta ao arranjo original. Nós não vamos mudar a linha de baixo só porque nós sentimos vontade."

Em entrevista, Noel Gallagher conta histórias de bebedeiras com o U2


Noel Gallagher fez um anúncio na imprensa, do lançamento de seu próximo disco com o High Flying Birds, chamado 'Who Built The Moon?'.
Noel, para Christian O’Connell no Absolute Radio Breakfast Show, falou sobre a experiência recente de estar em turnê com o U2, e deu detalhes sobre uma "experiência com muito álcool", que envolveu também Bono!

"Vamos falar das ressacas brutais na turnê com o U2. Muitas pessoas sabem disso, mas esses caras, particularmente Bono. Nós fizemos o show em Dublin e fomos à festa pós-show. Fiquei nesta casa e saí por volta das 5:30 da manhã. A próxima coisa que eu lembro é o meu telefone tocando e eu naquele lugar, eu não conheço. É Bono no telefone e ele diz: 'Oh, você está vivo, onde você está?' e eu digo: "Bem, acho que estou na sua casa, mas não reconheço, onde estou?" Eu estava na casa de hóspedes na parte de trás do seu jardim.
Então ele disse: 'Oh, de qualquer maneira, você está vivo, venha, todos estão aqui esperando por você' e eu disse algo como 'Para que?' Ele disse: "Para o almoço que estou fazendo em sua homenagem, há 75 convidados que chegaram". Eu disse: "Acabei de sair da cama". Ele disse: "O presidente da Irlanda acabou de chegar e estará sentado ao seu lado, então depressa". Então eu tive que tomar banho, acordar e tudo mais. O almoço começou às três horas. Você sabe a que horas terminou? Às 4:10 da manhã."
Descrevendo a experiência como "incrível", Noel Gallagher encontrou-se tentando escapar da companhia do U2 e uma maior intoxicação.
"Então, no dia seguinte eu me levantei novamente em sua casa de hóspedes, e nós estaríamos viajando para Paris para um concerto na noite seguinte, e eu estava com meu gerente de turnê e eu disse: 'Neil, você precisa me tirar desse lugar. Não posso fazer isso novamente'. Ele disse: "Ok, pegue suas coisas, vou buscá-lo às 12hs." E eu, "ótimo". Eu começo a andar ... Eu tenho que dizer que eu vou dar uma corrida, quero dizer, eu estava numa bagunça".
No entanto, na tentativa de fugir, Noel Gallagher foi imediatamente pego por Bono, "em sua túnica, com duas cervejas debaixo do braço, comendo ovos mexidos, ouvindo ópera".
"Ele disse: "Onde você está indo?" Eu respondi: "Bem, eu tenho que ir a Paris para este concerto", continuou Gallagher. "Ele disse: "Não, fique, vamos no avião particular". Então entramos no avião e mais álcool. Esta é a parte da história que me mata. Mais álcool, pousamos em Paris. Ele diz: "Olha, quando o avião aterrissar eu tenho que ir e fazer algumas coisas, então eu vou te ver no hotel" . Eu disse: "Ótimo", pensando que uma vez que eu estava fora de sua visão eu poderia ir direto para a reabilitação, isso é demais para mim ".
"Então ele partiu, entrei no hotel, demorou cerca de 20 minutos para encontrar o controle remoto da TV, outros 10 para pedir um sanduíche, com um cara que claramente não era francês nem inglês do outro lado da linha. E eu estava sentado lá, eu liguei a TV e eu estou passando pelos canais, e lá estava Bono em uma conferência ao vivo com o primeiro-ministro francês na África. E eu sei o que passamos nos últimos três dias e eu digo: "Ele não é real" .
Noel Gallagher acrescentou: "E na noite seguinte fizemos o show em Paris. Eu estava suando cerveja pura, e ele sai e canta como um cara de 24 anos. E eu disse: 'Eu já tive o suficiente'."

U2 anuncia a estreia do videoclipe oficial de "You’re The Best Thing About Me"


O U2 vai estrear o videoclipe oficial de "You’re The Best Thing About Me", gravado nas ruas de Nova York!
O anúncio, com trechos do video, está nas redes sociais da banda! 

terça-feira, 26 de setembro de 2017

20 anos de 'POP': U2 no México, o show do jeito que deveria ter sido em toda a turnê


Os problemas enfrentados pelo U2 na Popmart Tour começaram com uma crise de prazo. Os quatro tiveram que entregar o álbum a tempo de começar a turnê mundial, e eles simplesmente ficaram sem tempo. Eles não estavam satisfeitos com os arranjos das músicas.
Pior ainda, o processo de gravação os deixou com tempo insuficiente para dominar as complexidades dos vários loops de tapes e outros aparelhos eletrônicos empregados no show ao vivo.
"Eu acho que tudo acabou sendo feito às pressas", disse Larry Mullen. "Nós subestimamos o tempo que levaria para nos prepararmos para o show. Acabamos tendo que fazer os ensaios em Las Vegas. Foi uma das experiências mais assustadoras da minha vida. Nós tínhamos construído uma reputação como uma grande banda ao vivo, e de repente fomos colocados em uma situação onde não sabíamos se éramos capazes de entregar aquilo."
Como as datas foram tão bem agendadas, a banda não conseguiu retrabalhar os arranjos até o final da primeira etapa da turnê, que arrecadou quase US$ 80 milhões, ficando em segundo lugar, atrás apenas da turnê dos Rolling Stones naquele ano. Ainda assim, o show não tinha o golpe criativo da turnê anterior da banda, ZOOTV, e o público em várias cidades estava abaixo das expectativas.
Bono não sente que a turnê realmente embalou, até a segunda perna, que incluiu uma série de shows na América Do Sul.
"O ponto baixo para mim na turnê foi Los Angeles", revelou o vocalista. "Los Angeles sempre foi um dos melhores shows da turnê, mas eu não sinto que nós nos conectamos com o público desta vez. Eu senti como se fôssemos apenas pipoca... entretenimento para a noite. Mas se você dar uma olhada no vídeo da Popmart, que foi filmado na Cidade do México, você verá o show do jeito que deveria ter sido em toda a turnê."

O começo da estrada: October Tour


OCTOBER TOUR

1981-1982

Lançado menos de um ano depois de 'Boy', e produzido mais uma vez por Steve Lillywhite, o segundo álbum do U2, 'October', chegou às lojas em 12 de outubro de 1981. Muito diferente de sua estreia, apresentou temas espirituais e religiosos inspirados em Bono, Edge e Larry. A adesão a um grupo cristão chamado 'Shalom Fellowship' (algo que quase ameaçou separar a banda quando eles começaram a questionar o estilo de vida do rock and roll).
O álbum recebeu críticas mistas e, o segundo single, "Gloria", foi tocada na rádio muito pouco. A turnê de 'October' seguiu um padrão similar à Boy Tour e consistiu em 102 shows, tocados em cinco pernas - três na Europa e duas na América do Norte. A primeira perna abriu com um show no Slane Castle, abrindo para o Thin Lizzy em agosto de 1981 - no qual Vinnie Kilduff do In Tua Nua tocou uileann pipes no show do U2 - e, 33 shows depois, finalizaram no Metropol de Berlim em 4 de novembro. Eles atravessaram o Atlântico e tocaram 23 shows na América antes de retornarem para outra série de datas europeias. Em contraste com muitos de seus predecessores punk e seus contemporâneos, seu compromisso de construir sua audiência nos EUA foi sublinhado quando eles voltaram para uma série maior de shows pelos Estados Unidos, antes de terminarem com nove shows europeus.
Enquanto sua reputação internacional estava crescendo, a Irlanda ainda era seu maior mercado. Neil McCormick da Hot Press revisou seu show de regresso para casa no RDS em 26 de janeiro de 1982. "Quatro mil pessoas recebendo o U2 em casa, quatro mil e a maioria mais jovens do que eu (eu só tenho 20!). O U2 agora pertence a eles, ou melhor, está com eles. Porque não só eles são a única grande história de sucesso do sul da Irlanda desde o The Boomtown Rats, eles são jovens. Jovens no sentido de terem a mesma idade que seu público, são nossos contemporâneos, e mais, ainda mais, essa juventude é o cerne da sua identidade. Eles o levam e os constroem para proporções épicas. Não é uma questão de entender o seu público, não há uma grande visão envolvida aqui; é que eles são parte de sua audiência, por nascimento, por sensibilidade, por compromisso."

U2 deve gravar shows no México para o lançamento oficial em vídeo da 'The Joshua Tree Tour 2017'


O site excelsior.com.mx informa que há rumores, cada vez maiores no Twitter, que o fotógrafo, cineasta e amigo do U2, Anton Corbijn, gravará na íntegra os dois concertos no Foro Sol na Cidade do México, nos próximos dias 3 e 4 de Outubro, para fazer parte de um futuro DVD/Blu Ray da 'The Joshua Tree Tour 2017', comemorando o 30º aniversário do álbum.
O site U2 Achtung garante a mesma coisa, e o rumor anterior era de que os shows na Argentina teriam sido os escolhidos para a gravação oficial.
Na última apresentação pelos EUA, no Qualcomm Stadium, em San Diego, em 22 de setembro, foram gravadas oficialmente quatro músicas do repertório, que, pelo menos, no final de "One", Bono cantou incessantemente "Fuerza México" em um ato de solidariedade na sequência do desastre do terremoto de 19 de setembro.
Na página oficial do U2.COM até agora, não há confirmação do rumor, mas espera-se que ambos os concertos estejam entre os mais emocionantes que já aconteceram no país, após a série de terremotos que aconteceram por lá.
Em sua segunda visita ao país, com a turnê do PopMart , no início de dezembro de 1997, a U2 gravou o show na íntegra para ser incluído no DVD 'U2 Popmart: Live From Mexico City'.

segunda-feira, 25 de setembro de 2017

A história não contada do que originou o lendário show do U2 em Sarajevo há 20 anos atrás - Parte II


No 20º aniversário do concerto do U2 em Sarajevo, Bob Guccione Jr, fundador da revista SPIN, explica o caótico caminho que levou até a realização do show:

Mo e eu não sabíamos como fazer um show. Talvez não houvesse mais duas pessoas no planeta menos adequadas para fazer essa acrobacia. Mas tínhamos o Bono em comum, por isso decidimos pedir ao U2 para o fazer e resolver a partir daí. Perguntei para Paul McGuinness, seu empresário. Ele disse que não. Não era certo para eles, eles teriam que respeitosamente, e lamentavelmente, passar.
Então, Mo e eu meio que nos esquecemos disso. Sarajevo já tinha sofrido o suficiente, e não precisava que nós dois criássemos um novo desastre na sua frágil infraestrutura em recuperação, e então, alguns meses depois, McGuinness me seguiu até um hotel de São Francisco e disse "Isso ainda é algo que podemos fazer? Bono e os meninos querem isso."
Mo e eu fomos a Sarajevo juntos em julho de 1997 e, devido ao grande respeito e consideração que ele teve na Bósnia, conheceu todos os que eram importantes. Depois de alguns dias, percebemos que éramos realmente sem noção e que certamente as pessoas morreriam por nossa causa. Isto era, afinal, uma zona de guerra em recuperação e a nossa grande visão de reunir bósnios, sérvios e croatas, que mais recentemente tinham se matado entre eles, para ouvir música ao vivo num ambiente ao ar livre, não aconteceria sem armadilhas imagináveis. Nós passamos um surreal 04 de julho na residência do Embaixador dos EUA em Sarajevo e no dia seguinte nos sentamos em um pequeno e esfumaçado café e discutimos nossa situação bastante terrível.
Inspirado pelo desespero, e com o show cerca de dois meses de distância, eu propus dizer a Bono que não tinha absolutamente nenhuma ideia de como fazer isso, e que ia ser um desastre épico, e inconcebivelmente perigoso para inundar a cidade com etnias em conflito. Isto, eu raciocinava, faria com que o Bono entrasse em pânico e imediatamente assumisse, e enviasse o seu pessoal para preparar tudo, e os profissionais nos salvariam. Foi isso que aconteceu.
A segunda coisa que eu sugeri foi nós lidarmos com a segurança, a única área que a equipe do U2 não teria uma vantagem. Como Mo conhecia todos os gângsters que andavam pelo mercado negro através do labirinto de túneis da cidade durante todo o cerco, nós poderíamos escolher as pessoas que manteriam uma blindagem em um momento potencialmente explosivo. Nós fizemos diversas reuniões, em quartos tão nublados com fumaça de cigarro que depois de 30 minutos ou mais você não poderia ver as pessoas que estavam falando, cegamente dirigindo seus comentários para a última voz que você ouviu. Era algo particularmente cômico, mas ficamos devidamente impressionados com a dureza de um certo mafioso, e nos felicitamos por encontrar nosso homem.
Foi assim que o U2 partiu para fazer um dos shows mais memoráveis dos últimos 50 anos. Bono e a banda explicaram o momento em que eles se identificaram com o povo de Sarajevo: "Nós viemos da Irlanda, é um país pequeno e temos sido divididos também. Estamos tentando lutar contra o mundo dos idiotas do passado e entregá-lo aos homens sábios do futuro ... A música não conhece as divisões políticas e a música tem uma alegria que ignora as fronteiras e até desafia as fronteiras, é isso que nós sempre defendemos como um grupo", disse Bono.
Em vez de se entregarem a um lista de canções sérias e sombrias centradas na guerra e na cura, a banda decidiu oferecer aos cidadãos de Sarajevo uma celebração trazendo a sua turnê mundial Popmart para a cidade. A voz de Bono estava prejudicada e ele falou muitas vezes as letras para 45.000 croatas, bósnios e sérvios que preencheram o estádio de futebol do Kosovo e cantaram em solidariedade. A banda seguiu o mesmo setlist dos outros shows da turnê Popmart, com exceção do enigmático segmento de Karaoke de The Edge, sendo substituído apropriadamente por "Sunday Bloody Sunday". Eles tocaram todos os sucessos, e Bono disse ao público com prazer: "Viva Sarajevo! Foda-se o passado, beije o futuro", um slogan para uma camiseta que talvez ainda esteja esperando para ser feita.
Em seu primeiro encore, eles cantaram "Miss Sarajevo", escrita pela banda e Brian Eno e tocada apenas uma vez antes, com Pavarotti em um concerto beneficente na Itália em 1995. A canção é sobre um concurso de beleza mantido no subsolo durante o cerco, para criar uma espécie de normalidade surreal no inferno de suas vidas diárias. O U2 quase não tocou a música, inseguro até momentos antes de entrar no palco, com medo de que não fossem fazer isso direito.
Na ocasião, Bono chamou o concerto de "um dos mais difíceis e uma das mais doces noites da minha vida" e disse que perder totalmente sua voz por volta da oitava canção da noite, pode ter sido uma bênção disfarçada, porque "permitiu espaço para Sarajevo assumir o concerto e levar para longe de nós". Larry Mullen e The Edge consideram o show como uma dos destaques de suas vidas, com Mullen dizendo que "se eu tivesse que passar 20 anos na banda só para tocar esse show, eu acho que teria valido a pena."
E a segurança funcionou perfeitamente.

A história não contada do que originou o lendário show do U2 em Sarajevo há 20 anos atrás - Parte I


No 20º aniversário do concerto do U2 em Sarajevo, Bob Guccione Jr, fundador da revista SPIN, explica o caótico caminho que levou até a realização do show:

Foi há vinte anos — 23 de setembro de 1997 — que o U2 realizou seu lendário show em Sarajevo, logo após o infernal cerco de três anos e meio da cidade.
O caminho para aquela noite histórica - e foi uma grande noite, e realmente mudou a moral de um país - não era nada além de simples e seguro, e no início a banda não queria fazê-lo.
Eu sei de tudo isso porque foi inteiramente ideia minha.
Nos primeiros dias de janeiro de 1996, logo após as primeiras guerras na ex-Iugoslávia terminarem com a capitulação da Sérvia e aceitação do Acordo de Paz de Dayton, conheci Bono na Jamaica. Um amigo me levou para a casa de Chris Blackwell, chamada de Goldeneye, a antiga casa do imortal escritor Ian Fleming. Em uma mesa lateral na sala de jantar havia uma cópia original de um guia para a observação de aves no Caribe, escrito por James Bond, cujo grande contributo para o século 20 era que ele forneceu a Fleming o nome deliberadamente suave que ele estava procurando para seu assassino licenciado.
Nós nunca nos encontramos antes, mas Bono e eu nos acertamos tremendamente. Isso significava que depois de ir a um número de shows de reggae dancehall ao ar livre, voltamos à casa de Blackwell e bebemos até às 5 da manhã, falando sobre escritores irlandeses, mulheres e bebidas. Na manhã seguinte/meio-dia, quando todos nós estávamos tomando um tardio café da manhã, Bono disse que tinha acabado de voltar de uma viagem da agora livre Sarajevo e estava inspirado. "Você deve fazer uma cobertura na SPIN sobre isso, Bob", disse ele. Eu disse a ele que tinha feito uma cobertura das guerras lá três vezes, incluindo o envio de Krist Novoselic do Nirvana para escrever sobre o conflito em sua Croácia ancestral. Mas Bono estava certo, deveríamos fazer uma cobertura das conseqüências. Enquanto eu estava tentando pensar no repórter certo para enviar lá -Bono sugeriu, curiosamente, o irmão de Sinead O’Connor (será que ele não gostava do irmão da Sinead O’Connor?). Decidi que eu mesmo queria ir.
Assim, em uma noite de inverno de fevereiro, tendo convencido o fotógrafo de moda Loren Haynes que seria divertido ir para fotografar os jovens que tinham sobrevivido ao cerco, saímos de Nova York para Sarajevo. Passamos 8 dias lá, narrando o indomável e despojado espírito humano de pessoas que fizeram isso através da guerra, para um artigo que eu escrevi para spin chamado "Vida Após A Morte".
Logo depois que eu voltei, Bono fez uma introdução ao Embaixador da Bôsnia para a ONU, Muhammed Sacribey. Ele foi o heroico Ministro dos Negócios Estrangeiros da Bósnia durante a guerra e foi uma das pessoas mais responsáveis por forçar o Acordo de Paz de Dayton. Mo, como Sacribey insistiu para que ele fosse chamado, gostou do meu artigo e, no início de 1997, sugerimos que organizássemos uma festa na ONU para diplomatas e estrelas do rock. Honestamente, isso fazia sentido na época. Eu trouxe quem eu consegui e Moose garantiu um pequeno exército de Embaixadores e assessores das Nações Unidas.
Eu não sabia o que esperar, mas percebi que em algum momento faríamos observações. O que realmente aconteceu foi que o secretário-geral da ONU enviou um vídeo com comentários celebrando a reunião auspiciosa de nossas duas grandes culturas. O secretário-geral adjunto falou, seguido pelos Embaixadores da África do Sul e Holanda, cada um mais primorosamente articulado do que o último. Então Mo falou com eloqüência, poderosamente, visivelmente, tornando todos na sala - a cafeteria da ONU, que é do tamanho de um pequeno hangar de aeroporto - uma massa emocional em suas mãos. Agora era minha vez de falar. Para colocar isso em contexto, isso seria como sua banda do ensino médio encerrar o Festival Woodstock.
Eu subi até o púlpito e de repente me lembrei que fazia exatamente um ano do dia em que meus amigos e eu roubamos uma van da ONU em Sarajevo, no último dia do mês Muçulmano de jejum, e uma noite em que o toque de recolher padrão foi levantado para permitir que os bósnios celebrassem. "Não se preocupe, nós devolvemos", eu disse, apontando que a segurança da ONU em Sarajevo era geralmente tão relaxada que os veículos locais da ONU eram como uma espécie de DIY, serviço de táxi gratuito.
Eu falei sobre o que Sarajevo tinha sido depois do cessar-fogo final, quando a maioria dos moradores não acreditaram que a guerra tinha acabado. Eles tinham vivido falsas cessações de hostilidades antes, apenas para baixar a guarda e serem abatidos nas ruas. Eu descrevi a resiliência das pessoas que sobreviveram - não com muita coragem, porque era mais do que isso e a coragem por si só não salvou muitos de seus vizinhos, familiares ou amigos e amores. E então eu disse que Mo eu eu queríamos levar um concerto para Sarajevo, para ser assistido e ouvido em todo o mundo por pessoas que nunca saberiam o que era viver naquela escuridão fria, e que agora, no sentido figurado, ficariam próximos à aquelas pessoas que passaram por aquilo, sentiriam um grau de parentesco com elas e nunca mais permitiriam que o mundo as ignorasse em perigo.
Quando eu desci da plataforma, Mo me perguntou: "Nós estamos levando um concerto para lá?" "Agora estamos", eu respondi.

U2 plantou uma árvore no Sunset Marquis Hotel em homenagem ao seu gerente de turnês que faleceu no local


Durante a turnê iNNOCENCE+ eXPERIENCE em 2015, o U2 perdeu seu gerente de turnês, Dennis Sheehan, que faleceu de parada cardíaca em seu quarto no Hotel Sunset Marquis quando a banda realizou um show da turnê em Los Angeles. Ele trabalhava com o grupo desde 1982, e era chamado de "um membro da família".
Em um show da turnê, Bono disse: "Dennis amava Los Angeles. Longe de sua casa, ele chamava o Sunset Marquis de sua casa. Ele veio para esta cidade como um jovem nos anos 70."
A fã do U2, Amra, através de seu Twitter, mostra que em homenagem à Dennis Sheehan, o U2 plantou uma árvore no Sunset Marquis.
A placa diz:

"A árvore Citrus foi plantada em memória de um homem honesto que sempre ofereceu o seu melhor."

Dennis Sheehan 1946 - 2015

A placa traz um trecho da canção "Kite": "Don't wanna see you cry / I know that this is not goodbye" - U2 (Não quero ver você chorar, eu sei que isto não é um adeus).

O começo da estrada: Boy Tour


BOY TOUR

1980 - 1981

Produzido por Steve Lillywhite e gravado de julho a setembro de 1980 no Windmill Lane Studios em Dublin, o disco de estreia do U2, 'Boy', foi lançado em avaliações amplamente positivas em 20 de outubro de 1980.
"Ele corre em seus sentidos", disse Declan Lynch na Hot Press. "É tão preciso que cada música parece estar deitada debaixo da árvore durante todo o ano e, no Natal, ela é tirada da caixa e mostrada a todos, de boca aberta".
Tendo início no General Wolfe’s em Coventry em 6 de setembro, as 157 datas da Boy Tour começou seis semanas antes do álbum chegar nas lojas de discos. Seu set-list variava todas as noites, com todas as músicas do álbum sendo tocada, com a curiosa exceção da memorável e poética "Shadows And Tall Trees".
A grande maioria das datas da turnê de 'Boy' foram no Reino Unido, mas a U2 também tentou incursões na Europa continental, tocando na Holanda, França e na Bélgica. Tendo sido assinado com a influente Agência dos EUA - Talent Premier, gerida por Frank Barsalona, os quatro Dubliners tocaram seu show de estreia americano no Ritz, em Nova York em 06 de dezembro de 1980. No entanto, a banda se lembra de um show de uma semana mais tarde no Paradise em Boston como sendo o que que realmente os lançou nos EUA. Falando com Maureen Forry do Boston Irish Reporter em 2004, Bono disse: "Eu amo Nova York. Realmente. Eu amo Nova York. Mas a verdade é que a nossa banda começou por Boston... Eu tenho um sentimento muito especial sobre esta cidade."
Durante toda a turnê - que culminou com um show na Universidade de Manchester em 01 de fevereiro de 1981 - Bono iria incluir trechos de canções de outros artistas e "‘Send In The Clowns" de Stephen Sondheim, foi muitas vezes colocada para o final de "The Electric Co.". Este hábito provou-se caro alguns anos mais tarde, quando Sondheim processou eles por usar a música sem permissão em seu álbum ao vivo e registro em vídeo de 'Under A Blood Red Sky: U2 Live At Red Rocks'. O U2 foi obrigado a pagar $50000 em um acordo fora do tribunal. Eles removeram a música de todas as futuras prensagens.

domingo, 24 de setembro de 2017

CBS mostra pequeno trecho do novo videoclipe do U2 de "You're The Best Thing About Me"


Em um vídeo do Sunday Morning da CBS, com apresentação de Bill Flanagan, foi mostrado os lançamentos musicais que acontecerão até o final do ano, e podemos ver alguns segundos do novo videoclipe do U2 de "You're The Best Thing About Me"!
No início de setembro, o site U2.COM faz uma revelação: aproveitando a passagem por Nova York com a 'The Joshua Tree Tour 2017', além da apresentação de "You're The Best Thing About Me" no 'The Tonight Show With Jimmy Fallon', o U2 gravou cenas para o videoclipe nas ruas da cidade!
A banda gravou cenas pegando ônibus, se encontrando com os nova iorquinos, se abrigando da chuva, e pedindo pizza!
A banda filmou no telhado do Rockefeller Center‏, apareceu no Ray’s Pizza e gravou em um bar chamado Blue Ruin!

Quando a música esteve além da política: há 20 anos, o U2 fazia um histórico show em Sarajevo


Vinte anos atrás, em 23 de setembro de 1997, a música pop mudou o mundo. Bem, pelo menos brevemente. Em uma noite de terça-feira em um estádio marcado por bombardeios, o U2 fez o primeiro grande concerto pop a ser realizado na cidade em recuperação de Sarajevo desde o final da guerra da Bósnia, na esperança de apagar a tensões étnicas que haviam sobrecarregado a Iugoslávia, pelo menos apenas durante a duração de um concerto.
"Se há uma mensagem, é simples, banal", explicou Bono à CNN. "É de que a música está além da política."
O U2 não foi para Sarajevo com planos para salvar a nação ou reverter o curso da história. Trazer um bom momento para alguns jovens durante algumas horas foi bom o suficiente.
Sarajevo emergiu apenas dois anos antes do mais longo cerco da história militar moderna. Os agressores sérvios cercaram a cidade por 44 meses entre março de 1992 e dezembro de 1995, fazendo eles sofrerem de fome e abusos dos cidadãos. Durante três anos e meio, os habitantes de Sarajevo eram dependentes de alimentos e combustíveis que chegavam à cidade através de um túnel subterrâneo de um quilômetro, e continuamente tendo que se protegerem de centenas de bombas que estavam caindo na cidade diariamente. De acordo com a correspondente de guerra Charlotte Eagar:

"As senhoras idosas cambalearam para casa, transportando carrinhos e carrinhos para casa com recipientes de plástico com água ... Você não conseguia recolher lenha, as pessoas queimaram primeiro seus móveis e depois seus livros e, no entanto, eles morreram durante o brutal inverno nas montanhas ... Tanto o bombardeio como o frio não discriminaram ao entregar a morte".

Quando a guerra terminou em 1995, mais de 10000 bósnios tinham sido mortos em Sarajevo.
Logo depois, Bono fez uma breve visita ao país e prometeu retornar "trazendo da próxima vez a toda a banda". O concerto em 1997 foi o cumprimento dessa promessa.

Até então, a cidade uma vez magnífica, casa dos Jogos Olímpicos de Inverno de 1984, que tinha se tornado um campo de morte, tinha começado a ser reconstruída. O zoológico de Sarajevo estava sendo restaurado, e os artistas presentearam a cidade com instrumentos musicais e bibliotecas de livros. Os artistas da guerrilha começaram a embelezar as ruas com "Rosas de Sarajevo", uma resina vermelha colocada nas cicatrizes e cavidades feitas pelas mortais explosões. Assim, por insistência dos organizadores de Sarajevo, este não seria um pequeno concerto de caridade, mas sim que Sarajevo deveria ser um show completo, mais uma parada da turnê mundial do U2, Popmart.
Os 60 caminhões que transportaram toda a parafernália do U2, tiveram que navegar em estradas estreitas para chegar em Sarajevo, mas apesar de tudo, uma equipe de 450 trabalhadores preparou o palco e o sistema de som no Estádio Koševo.
"É simplesmente um milagre estarmos aqui, de verdade", The Edge disse a um grupo de jornalistas que encontrou na chegada da banda. "O fato de que podemos vir e não fazer apenas uma apresentação, mas sim o mesmo concerto que levamos a Paris, Nova York ou Londres é talvez um símbolo para o povo de Sarajevo de que as coisas estão voltando ao normal".
Na noite do concerto, trens especiais trouxeram jovens de ex-repúblicas iugoslavas como a Croácia e a Eslovênia para Sarajevo. De acordo com os relatórios da imprensa naquela semana, os eslovenos disseram que "eles não precisariam de vistos naquela noite".
E durante duas horas naquela noite, em um estádio cercado por tropas da OTAN, com sua capacidade total de 45.000 almas de todas as partes da antiga Iugoslávia banhada em luzes de néon, pulou tanto com os clássicos quanto com os sons de sintetizadores, considerados pelo U2 a grande arte naquela época, e eles se sentiram normais novamente.
O U2 de 1997 não era tão adequado para representar um símbolo de esperança para uma cidade desencorajada como, por exemplo, o U2 de 2002. A turnê PopMart foi uma obra de paródia mordaz no materialismo superficial. Bono e seus companheiros de banda caminharam no palco em roupas de cetim brilhante e camisetas simulando corpos musculosos e bem definidos. Em outras palavras, um momento estranho para o U2. A turnê PopMart, infelizmente, não poderia oferecer aos bósnios as mesmas imagens simples e poderosas de resistência que um U2 maior e mais sábio ofereceria mais tarde aos americanos desconsolados nos meses que se seguiram ao 11 de setembro.
Isso não significa, é claro, que o concerto em Sarajevo estava livre de momentos de esplendor emocional brilhante. Durante a balada "Miss Sarajevo", Bono levou Inela Nogić, 21 anos, para o palco.

Nogić tornou-se o rosto trágico e adorável da guerra, e na inspiração para a música, quando ganhou um concurso de beleza em Sarajevo, em 1993, durante a guerra. Quando ela foi coroada, Nogić e uma dúzia de jovens em roupas de banho desdobraram uma faixa com a legenda: "Não deixe que eles nos matem", escrito em inglês.

"[Manter um concurso de beleza] foi um pouco louco de se fazer durante uma guerra", disse ela à Associated Press no início deste ano. "Mas estávamos tentando viver uma vida normal. Era uma espécie de mecanismo de defesa que todos nós tínhamos". De acordo com a AP, Nogić teve que se desviar de projéteis e franco-atiradores para ir e voltar do concurso com sua coroa.
Para Sarajevo, nos anos seguintes ao concerto do U2, as agressões entre grupos étnicos seriam reacendidas na região dos Balcãs. A guerra eclodiu menos de um ano mais tarde em Kosovo, e embora hoje Sarajevo esteja florescendo, a "normalidade" comemorada em 1997 não era tão normal assim. As forças da OTAN estariam na Bósnia até 2004, e as forças de paz da União Europeia continuam ainda hoje lá estabelecidas. Croatas étnicos, sérvios e bósnios ainda compartilham territórios desconfortáveis, e muitos preferiam que não fosse assim. Como Aida Cerkez disse a Associated Press: "Todos [ainda] querem o que queriam em 1992. Então, na Bósnia, hoje não há guerra, mas certamente não há paz".
Então, hoje, talvez o melhor seja pensar no concerto histórico de U2 como um simples gesto de bondade para um povo tão sofrido. PopMart não destruiu os horrores da guerra ou trouxe paz duradoura à Bósnia, mas trouxe um momento de felicidade para algumas pessoas que passaram por muitas coisas.



Do site: TheAthlantic.com (com tradução do site U2 News)

sábado, 23 de setembro de 2017

Downloads dos volumes 7 e 8 da coleção ao vivo U2 & 22 # ZOOTV Tour / Popmart Tour


Nas comemorações da vinda do U2 ao Brasil com shows da 'The Joshua Tree Tour 2017', será disponibilizado aqui à cada final de semana até 14 de Outubro, uma série de bootlegs com canções ao vivo de shows da banda intitulados U2 & 22, criados pelo extinto grupo 'Sem Limites No Horizonte', que receberam denúncias por pirataria e tiveram o grupo excluído pelo Facebook. Uma injustiça, logicamente, pois o grupo nunca comercializou nada, e gravações de shows (bootlegs) compartilhados não se caracteriza isto, pois não é material oficial (este sim comercializado pela banda).

Seguem mais dois volumes da coleção para download, com textos de introdução criados pelo grupo 'Sem Limites No Horizonte'!

CLIQUE NESTE LINK PARA O DOWNLOAD DO VOLUME 7



ZooTV Tour: Um salto para o futuro, um rompimento com o passado, viva o novo. Esta foi a linha de raciocínio do U2 para a criação de 'Achtung Baby' de 1991. Um novo som, uma nova década, um novo mundo. E este foi o tema da ZooTV, para muitos uma das melhores turnês da história da música. Um U2 sem medo de arriscar fazendo um vôo perfeito em sua carreira. Usamos para refletir esta turnê, os melhores áudios em SoundBoard, desta tour. Sendo Adelaide (1993), East Rutherford (1992), Dublin (1993), Stockolm (1992), London (1993), Washington (1992).
Baixem, ouçam e curtam, é o U2 saudando o futuro e dando boas vindas aos anos 90!

U22 – ZooTV Tour

01 - Zoo Station - Adelaide 1993
02 - The Fly – East Rutherford USA 1992
03 - Even Better Than The Real Thing - Adelaide 1993
04 - Mysterious Ways – Dublin 1993
05 - One – East Rutherford 1993
06 - Until The End Of The World - Adelaide 1993
07 - Satellite Of Love - Dublin 1993
08 - Numb - Adelaide 1993
09 - Tryin' To Throw Your Arms Around The World - Stockholm 1992
10 - Angel Of Harlem - Stockholm 1992
11 - Stay (Faraway, So Close!) - Adelaide 1993
12 - Zooropa - London 1993
13 - Dirty Day - Adelaide 1993
14 - Bullet The Blue Sky – East Rutherford USA 1992
15 - Running To Stand Still - Stockholm 1992
16 - Where The Streets Have No Name - Dublin 1993
17 - Pride (In The Name Of Love) - Adelaide 1993
18 - Daddy's Gonna Pay For Your Crashed Car - Adelaide 1993
19 - Lemon - Adelaide 1993
20 - With Or Without You - Washington USA 1992
21 - Ultraviolet- Dublin 1993
22 - Can't Help Falling In Love - Dublin 1993


CLIQUE NESTE LINK PARA O DOWNLOAD DO VOLUME 8


PopMart Tour: POP foi lançado em 1997, dando origem à turnê de mesmo nome. Uns amam e outros odeiam, mas é o U2 repetindo a mesma fórmula da ZooTV, usando um tema global (Consumismo) para dar cara para sua turnê, e abusando de músicas e tendências eletrônicas da época. Usamos áudios dos shows da cidade do México (1997), Tel-Aviv (1997), São Paulo (1998), Sarajevo (1997), Santiago (1998), Buenos Aires (1998), Oakland (1997) e San Antonio (1997).
Baixem, ouçam e curtam, é o U2 flertando com a disco music em pleno anos 90.

U22 – PopMart Tour

01. Mofo - MEXICO CITY 1997.12.03
02. I Will Follow - MEXICO CITY 1997.12.03
03. Gone - TEL AVIV - ISRAEL 1997.09.30
04. Even Better Than The Real Thing - TEL AVIV - ISRAEL 1997.09.30
05. Staring at the Sun - MEXICO CITY 1997.12.03
06. Until The End Of The World - TEL AVIV - ISRAEL 1997.09.30
07. Bullet the Blue Sky - MEXICO CITY 1997.12.03
08. Pride (In The Name Of Love) - SÃO PAULO 1998.01.31
09. I Still Haven't Found What I'm Looking For - SÃO PAULO 1998.01.31
10. Please - TEL AVIV - ISRAEL 1997.09.30
11. Where the Streets Have No Name - MEXICO CITY 1997.12.03
12. Miss Sarajevo - SARAJEVO 1997.09.23
13. Discothèque - TEL AVIV - ISRAEL 1997.09.30
14. Bad - SANTIAGO - CHILE 1998.02.11
15. With or Without You - MEXICO CITY 1997.12.03
16. Hold Me, Thrill Me, Kiss Me, Kill Me - MEXICO CITY 1997.12.03
17. If God Will Send His Angels - OAKLAND US 1997.06.18
18. Unchained Melody - SARAJEVO 1997.09.23
19. One - MEXICO CITY 1997.12.03
20. Last Night On Earth - SARAJEVO 1997.09.23
21. If You Wear That Velvet Dress - TEL AVIV - ISRAEL 1997.09.30
22. Mothers Of The Disappeared - BUENOS AIRES 1998.02.06
23. Wake Up Dead Man - SAN ANTONIO US 1997.11.23 - BONUS TRACK

U2 toca versão acústica de "You’re The Best Thing About Me" em show em San Diego da 'The Joshua Tree Tour 2017'


O U2 realizou ontem um show no San Diego County Credit Union em San Diego, pela 'The Joshua Tree Tour 2017'.
Redes sociais, o U2 informou que este show seria "o último da América Do Norte".
Um indício de que os shows dos dias 3 e 4 de Outubro no México poderão ser cancelados, em virtude do terremoto no país que deixou mais de 250 mortos, prédios desabaram e muitos outros ficaram com suas estruturas comprometidas.
A surpresa da apresentação ficou por conta de uma versão acústica de "You’re The Best Thing About Me", tocada pela primeira vez neste formato. Bono explicou sobre isso, dizendo que a sua inspiração para a letra, sua "linda mulher" Ali, estava presente no local, e assim ele gostaria de cantar de uma maneira mais direta e íntima para ela.
The Edge tocou violão, Larry Mullen fez a percussão, Adam tocou baixo e Bono cantou em um tom bem diferente da original, subindo o tom somente na parte final da canção.



Há rumores envolvendo o restante da turnê: Anton Corbijn seria o responsável pelo registro em vídeo da 'The Joshua Tree Tour 2017', e os dois shows da banda na Argentina, América Do Sul, seriam gravados para o lançamento, e gravações extras já estão sendo feitas em shows pelos EUA, como neste show de San Diego.

Anton têm sido visto em diversos shows da turnê, fotografando e filmando, e no show de ontem em San Diego ele estava novamente presente.

sexta-feira, 22 de setembro de 2017

Homenagem póstuma ao idealizador do projeto U2 & 22, uma série de bootlegs com canções ao vivo de shows do U2


Os seguidores do blog estão acompanhando que, nas comemorações da vinda do U2 ao Brasil com shows da 'The Joshua Tree Tour 2017', está sendo disponibilizado aqui à cada final de semana, até 14 de Outubro, uma série de bootlegs com canções ao vivo de shows da banda intitulados U2 & 22, criados pelo extinto grupo 'Sem Limites No Horizonte'.
Mas uma triste notícia chegou esta semana através de Carlos Lopes Anselmo, um dos colaboradores do projeto: o falecimento repentino de Antonio Mancio, o idealizador deste projeto, que foi quem selecionou as coletâneas. Um presente de um grande fã, para todos os fãs.
Seu trabalho continuará sendo disponibilizado no blog conforme o planejado inicialmente, como homenagem e também, agradecimento.
Para quem não teve acesso aos primeiros volumes, seguem os links das postagens:

VOLUMES 1 - 2

VOLUMES 3 - 4

VOLUMES 5 - 6

Carlos Lopes Anselmo nos enviou uma nota:

"Antonio Mancino Mancio, um italiano que nasceu em Reggio-Emilia em 1964 e que em sua juventude nos anos 80 teve o privilégio de assistir ao vivo lendas do rock como Led Zeppelin, The Police, Bruce Springsteen e para ele, o grupo que ele mais amava, o U2; cujo primeiro show que ele foi ao vivo, foi simplesmente na WAR Tour, e desde então ele foi em quase todas as turnês do U2, com exceção da iNNOCENCE + eXPERIENCE e a atual The Joshua Tree Tour 2017. Mesmo não vendo a turnê de 30 anos agora, ele viu 2 shows da turnê original em 1987.

Um italiano quase brasileiro, que morou durante alguns anos aqui em São Paulo nos anos 90, depois retornando para a Itália, onde testemunhou praticamente da esquina de onde morava, o show do U2 com maior público da história, em Reggio-Emilia no ano de 1997, pela PopMart Tour. Não é qualquer um que tem um show tão especial no quintal de casa praticamente, e ele era especial, amava o U2 e principalmente, era um bom amigo e tinha um coração maior do que ele mesmo. Talvez isto explique o motivo de sua morte, um infarto fulminante no dia 20/09/2017.
Se casou com uma brasileira e retornou ao Brasil em 2012 para João Pessoa, terra de sua esposa, e lá passou os últimos anos de sua vida, até retornar para a Itália em Junho, para talvez um capricho do destino, partir em sua terra natal.
Em 2009 ele criou o grupo U2ItaliaDownloads no antigo Orkut, onde compartilhava shows ao vivo do U2 (áudios, gravados por fãs em shows, ou soundboards), que ele baixava em sites como U2torrents e U2Start, e na época, ele subia no Rapidshare, Megauploud e compartilhava em seu grupo. Ele sempre dizia que tinha tantos shows maravilhosos, que tinha que compartilhar isto com os fãs.
Foi ali, em 2009, que eu o conheci. Nem sabia o que era bootlegs (gravações não oficiais), e baixava todos os shows que ele postava, e ia ouvindo num aparelhinho de MP3 indo para o trabalho, ou no fim de semana no rádio do carro, e sempre um show novo surgia, pois o Antonio sempre que conseguia uma nova gravação naquela fase, da 360°, disponibilizava para nós.

Ficamos amigo e em 2009 ainda, já na expectativa da 360° vir para o Brasil, comentei do receio de não conseguir ingressos, e foi quando ele me disse: "Anselmo, assine o U2.com, lá tem pré-venda para os assinantes".
E foi o que eu fiz, entrei no site e não conseguia e o chamei, daí ficamos umas duas horas com ele me ajudando até dar certo, aqui era umas 23:00 quando começamos, e depois que me dei conta que lá era umas 03:00, e mesmo ele tendo que trabalhar no dia seguinte, ficou ali até eu conseguir, e disse que fazia isto por prazer, pois ele tinha ido num show em Milão e disse que eu tinha que ir também aqui no Brasil. Era um grande amigo.
O tempo passou, a turnê 360° foi embora, mas a amizade permaneceu.

Em 2015 quando o Orkut já não mais existia, na expectativa da iNNOCENCE + eXPERIENCE, eu sugeri a ele que fizéssemos um grupo no Facebook, para revivermos aquela faze bacana da U2ItaliaDownloads. Ele baixava os shows, eu fazia as capas e postávamos. As vezes o show era um dia e no dia seguinte já tínhamos o áudio. E o grupo chegou a ter 1500 pessoas. Mas infelizmente pelas políticas do Facebook, o grupo foi excluído. Neste ano tentamos de novo, e quando estávamos com 30 pessoas, de novo fomos banidos, por causa dos links e por acharem que talvez fosse pirataria, mas no mundo todo, bootlegs não são considerados pirataria, desde que compartilhados, e jamais vendidos.
Desde o ano passado, começamos a desenvolver uma ideia, inspirado no U22 da 360°, disponibilizado pelo U2.COM a seus assinantes. A ideia era montar uma seleção de 22 músicas com alta qualidade de cada turnê, e fizemos, refizemos, até que ele ficou satisfeito. Ele fazia as seleções e eu as capas, foi uma brilhante parceria, e fica sendo isto um último presente dele para os fãs, da banda que ele mais amava.

Era raro um dia em que eu não conversava online com ele, ou através de aplicativo de mensagens no celular. Conversávamos horas as vezes e tínhamos combinado de quem um dia, numa futura turnê do U2, iriamos ver um show juntos na Europa. Mas não deu tempo. Mas muito obrigado meu amigo, por toda a sua consideração e amizade, e hoje sei que está num lugar em que as ruas não tem nome, um lugar onde pessoas como você habitam. Vai com Deus meu amigo."

Anselmo

Blog U2 Sombras e Árvores Altas

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...