Anúncios

Ainda Não Encontrou O Que Procura? Pesquise Aqui!

segunda-feira, 31 de outubro de 2016

55 Anos de Larry Mullen Jr. - Parte 2


O baterista do U2 completa hoje 55 anos de idade!

A canção "Pride (In The Name Of Love)" tem uma das mais eletrizantes viradas na bateria, destes últimos 40 anos na história do rock. Larry conta como aconteceu: "Quando se tratou da gravação de "Pride" para o álbum 'The Unforgettable Fire', Danny (Daniel Lanois) foi capaz de aproveitar algumas ideias interessantes que eu tinha, mas com uma ligeira falta de foco. Minha técnica de tocar bateria era completamente subdesenvolvida e nunca tive uma chance de praticar e aprender como a maioria das pessoas fariam. Nas bandas marciais, só usei uma caixa e quando eu consegui meu primeiro kit, eu nunca aprendi como usar corretamente todos os elementos juntos. Então fui e escutei uma demo básica de "Pride" e tentei tocar uma batida usando apenas o bumbo e a caixa. Mas eu não consegui fazer o que eu queria com o bumbo, por isso desci um tom abaixo e fiz o que tinha feito no passado, e se eu não pudesse fisicamente fazer o que era necessário, eu acharia outro jeito de fazer isto. Não podia fazer o que a maioria das pessoas considerariam uma batida normal para a música, então eu escolhi alternativas. Aquelas viradas eram originalmente muito em linha reta, até que Bono me disse que não parecia o som correto. Então eu passei algumas horas até eu experimentar coisas e surgir o que você ouve na gravação. Se eu tivesse o conhecimento eu teria feito algo completamente diferente, mas acho que não teria sido nem metade interessante. Você desiste de algo para conseguir alguma coisa, e minha carreira na bateria sempre foi baseada em uma completa falta de experiência!"
Apesar de sua autocrítica afiada como uma navalha, não há dúvida que a sua abordagem única é altamente eficaz no contexto da música do U2. "Eu nunca pensei em mim mesmo como baterista do U2, mas sim como um contribuinte para o som geral. Eu fui aprendendo sobre ritmo e quando o U2 tirava uma folga, eu trabalhava com uns caras na América. Eles me mostraram como bateristas profissionais realmente tocam, porque eu realmente queria aprender. Não quis necessariamente imitá-los, mas eu certamente queria saber como se fazia."
Interessada em melhorar seu ofício, Larry praticava sempre que tinha tempo em sua casa ao norte de Dublin. Na verdade onde quer que ele estivesse em algum canto do mundo, ele tinha perto um conjunto de bateria eletrônica. "Eu tinha alguns exercícios que eu fazia, apesar de não fazê-los tão frequentemente quanto deveria. Mas eu tentava manter minha mão ocupada o mais rápido possível. Como eu disse, minha técnica de bateria deixava muito a desejar, mas chega um momento em que você pensa: 'Ei, quero ser capaz de fazer essa merda!' Eu não vou parar de fazer todas as outras coisas, mas começou a ficar um pouco embaraçoso ignorar isso!"
O kit de bateria em que Larry começou a sua carreira, ele diz, "era meio que um pesadelo." Feito por uma empresa de brinquedo de Taiwan, trazia um bumbo que Larry tinha que cobrir com pele de bezerro, devido à ausência de skins disponíveis. "Eu perseverei com este kit por muitos anos e, como um velho amigo, fiquei triste ao vê-lo ir embora", ele se lembra.
As tradições musicais de sua terra natal correm grossas nas suas veias, e Larry chegou a gravar com um instrumento de percussão irlandês, o bodhrán. "Eu toquei um em dois álbuns de U2 e também em um álbum de Nanci Griffith, apesar de eu não tocar da forma tradicional. Toquei com mallets ou minhas mãos ou alguma maneira que eu conseguisse, porque, novamente, não é algo que aprendi a tocar corretamente. Mas é um grande instrumento versátil, e que é subestimado. Isso e a Tabla são meus itens favoritos de percussão".
Quando trabalhou com o produtor Brian Eno, Larry revelou: "Existem vários instrumentos de percussão, mas o volume afeta Brian, então eu tenho que encontrar o kit que está o mais distante, para evitar irritá-lo!"
Nas gravações de discos do U2 nos anos 80, The Edge também tinha um kit de bateria, Slingerland, que era deixado de canto, para Larry tocar se precisasse.
Comentários
1 Comentários

Um comentário:

Fabio disse...

Olá, vc sabe como eu consigo saber quem participou das gravações do disco Boy do U2? Backing​ vocals, guitarristas, etc... Agradeço desde já.

Blog U2 Sombras e Árvores Altas

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...