Anúncios

Ainda Não Encontrou O Que Procura? Pesquise Aqui!

sexta-feira, 14 de novembro de 2014

Segredos Revelados: de "Native Son" para "Vertigo"

A canção "Native Son" é uma das primeiras versões da canção "Vertigo" do U2, gravada nas sessões de 'How To Dismantle An Atomic Bomb' de 2004.
"Native Son" foi mixada e lançada no álbum digital 'Unreleased & Rare' e também foi incluída no CD 'U2: Medium, Rare & Remastered', distribuído aos assinantes do site oficial da banda.

A letra dessa canção é sobre um homem nativo que foi contra o seu país devido à sua falta de liberdade, uma idéia originalmente inspirada por Leonard Peltier.
The Edge canta um verso inteiro da canção.
O produtor Steve Lillywhite conta em detalhes, como ele regravou "Native Son" e como ela se tornou "Vertigo": "Quando eu fui trazido para produzir o disco, todos se sentiam um pouco para baixo. A banda tinha feito um pouco de gravação com outro produtor [Chris Thomas] e eles decidiram que era hora de mudar a equipe ao redor. Eu voei para Dublin e eles me mostraram o que tinham feito, que incluia uma canção chamada "Native Son" que estava marcada para ser o primeiro single do novo álbum. Eu gostei da música, mas eu senti que poderia ser gravada com mais energia, então pedi à eles para regravar. Eu configurei tudo de maneira completamente diferente de como eles haviam gravado até aquele ponto, coloquei a bateria em um lugar diferente, e eu mudei o som completamente. Ainda era a mesma música, mas tirei-os da sua zona de conforto.
A banda começou tocando isso em uma jam, e realmente estava se juntando, soando grande. Eu disse para Bono, que estava sentado atrás de mim na sala de controle: "por que você não vai lá e faz um vocal ao vivo? Dessa forma, nós realmente seremos capazes de dizer como está indo." Ele foi lá para fora, fez sua configuração e a banda começou a tocar. Ele começou a cantar "Native Son", e logo no primeiro coro ele abaixou o microfone e disse: "não, eu não posso cantar essa música. Isso não é bom o suficiente."
Basicamente, o momento que ele começou a cantar a música com a banda, Bono projetou-se um ano no futuro, em um palco no Madison Square Garden, e de repente percebeu que ele não poderia cantá-la com a paixão que ele realmente queria. Bono tem este grande dom, que eu nunca vi em outra pessoa, de colocar uma música no conjunto que ele está escrevendo. Ele está pensando: "Oh, isto poderia substituir tal-e-tal; ou pode ser uma grande peça parara a abertura." Ele olha para o álbum como sendo a turnê também, e a última coisa que querem é uma turnê que é constrangedora quando eles tocam canções do novo álbum. A maioria das bandas de sua época, que é a realidade: a multidão fique louca para os hits. O U2 consegue ainda tocar meia dúzia de músicas do novo álbum de cada vez e realmente funciona.
Então ele decidiu reescrever as palavras e a melodia. Nós cortamos o backing track e pareceu-me muito boa, mas passamos dias e dias e dias trabalhando com o refrão. Bono tinha um ritmo para o coro, mas não conseguia as palavras, e ele estava tentando e tentando. Então um dia, apenas uma das muitas coisas que ele fez foi cantar "Hello, Hello". E claro, todos nós dissemos: "Ah, não temos certeza sobre isso, para sermos honestos." Não foi certamente um momento de clareza. Mas depois pensei que talvez houvesse algo nisso. Eu dobrei a voz dele, que é uma coisa que o U2 nunca tinha feito – tem dois Bonos – mas por algum motivo ele reforçou este riff muito simples "Hello, Hello". Parece ridículo, mas são aquelas pequenas coisas que ajudam a avançar com uma ideia.
Pouco a pouco as pessoas vinham e ouviam. A grande coisa sobre o U2 é que eles sempre envolvem uma equipe de pessoas em tarefas de audição – amigos e família. Eles não estão isolados em uma bolha, há um monte de reprodução e discussão, e as pessoas estavam dizendo: "Isso é muito bom!" E nós: "Sério mesmo?"
Eventualmente, depois de mudar o coro, mudar as palavras, a versão final de "Vertigo" tipo, vazou para a vida. É a mesma música que "Native Son", embora pessoalmente eu acho que tocando a minha versão, é um pouco mais corajosa, mas é um conjunto completamente diferente de letra e uma melodia completamente diferente. Exceto o bit "to be free-ee" no final do refrão. Isso é o mesmo em ambas as faixas.
"Native Son" era uma música boa, mas não tinha aquela especial, visceral "coisa U2". Isto é o que os torna uma banda tão grande: para eles "bom" é a pior coisa que poderiam dizer. Quando eles têm um novo disco para ser lançado, tem que ter esse fator "uau". "Beautiful Day" tem isso, e "Vertigo" também tem. Tornou-se um dos seus top 5 de músicas prediletas. É uma daquelas canções que, se eles estão fazendo o pior concerto do mundo, eles sabem que podem tocá-la e trazer a multidão de volta.
Eles sabem onde o nível da barra está e não deixam nenhuma pedra sobre pedra. Eles vão escrever a música depois de você te mixado! Foram capazes de conseguir um estilo de fazer música que é único. Saem pela tangente, eles vão tentar de tudo e boa sorte para eles - não me importa quanto tempo leva para fazer um registro, desde que isso não soe que demorou tanto tempo. Tem que soar como se eles não tivessem se esforçado muito."
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Blog U2 Sombras e Árvores Altas

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...