Anúncios

Ainda Não Encontrou O Que Procura? Pesquise Aqui!

quarta-feira, 5 de novembro de 2014

Hewsons e Rankins


Bono conta histórias sobre a família Hewson, por parte de seu pai, e sobre a família Rankin, por parte de sua mãe:

"Meu avô Hewson, pelo lado do meu pai, era um comediante. Ele se apresentava no Dame que ficava no Saint Francis Xavier Hall, no centro de Dublin. Eu não o conheci. Alguns dizem que ele morreu de tuberculose, mas é difícil ser definitivo, havia um estigma terrível naquela época. As pessoas tinham o costume de colocar pesos nos sapatos para disfarçar o fato de que estavam enfraquecendo. É uma história bem irlandesa. A Irlanda era como a África naquela época, era um país de terceiro mundo. Havia uma epidemia de tuberculose, então os trabalhadores, se o peso deles diminuía, colocavam chumbo nas botas para conseguir passar na pesagem. Meu pai me contou essa história. Seja lá qual for a verdade, meu avô era um homem infeliz. Na única foto que tenho dele, ele parece muito perturbado, e eu imagino que é assim que uma pessoa se sentiria se estivesse morrendo de tuberculose. Mas, estranhamente, ele continuou se apresentando. Eu acho interessante que esse homem se apresentava no Dame vestido de mulher, mas era tão calmo, até melancólico como pessoa. Eu acho que a peculiaridade de rir muito e depois morder a própria língua é algo recorrente na família.
Os Hewson são uma raça interessante, muito inteligentes, rápidos com palavras cruzadas, um pouco ansiosos no sentido de sempre estarem muito cientes do que está acontecendo ao redor. Apenas meu pai dirigia um carro. Eu não sei o que isso diz sobre a família, mas eu sei que existem algumas pessoas que desejam que eu não dirija. Mas existe melancolia em nós que eu acho que vem do meu avô. Meu pai, Bob Hewson, não deixava que isso transparecesse quando estava em público, mas eu acho que, se ele estivesse sozinho, ele sentia. Você pode sentir o gosto amargo-doce, o sentimento feliz-triste nas músicas do U2.
Minha avó, Rankin, pelo lado da minha mãe, era muito sorridente, o que disfarçava o fato de que por baixo do vestido, ela tinha uma vareta com a qual ela educava, eu acho, 8 crianças. O uso de contraceptivos era proibido na Irlanda e as pessoas tentavam conseguí-los do Reino Unido. Ela costumava brincar dizendo que os pacotes eram interceptados no correio e – tarde demais! – nascia outra criança, outra boca para alimentar. Era uma família bem unida. Eles moravam numa área pobre de Dublin, no número 10 da Rua Cowper. A casa da minha avó era sempre muito empolgante, sempre cheia de atividade. Eles cantavam músicas e minha avó tocava piano. Um lugar brilhante, brilhante, nota 10 (trocadilho). Nós chamávamos meu avô de “piada” Rankin. Ele lutou nas trincheiras na Primeira Guerra Mundial e o gás o deixou tossindo pelo resto da vida. Minha mãe, Iris, era a mais velha da família e era bem pequena, uma flor delicada, mas ela assumiu a responsabilidade de cuidar das crianças mais novas. A sua irmã mais próxima e melhor amiga era a Ruth, a historiadora da família. E tinha meu tio Jack, eu o amava. Em qualquer lugar que você fosse, Jack conhecia todo mundo; era impossível ir a um lugar em que ele não encontrasse alguém que ele conhecia. As pessoas sempre vinham dar um aperto de mão. Eu pensava que aquilo era meio tipo Deus. Ele é uma pessoa muito pra cima, muito generosa e foi delirante poder estar perto dele. Jack era um vendedor viajante, assim como muitos dos meus tios, e eles vieram de uma longa linhagem de vendedores viajantes. E de fato eu sou um vendedor viajante. Eu vendo as músicas do U2, porta a porta, cidade por cidade, e eu estimulo idéias como cancelamento de dívidas ou comércio justo e eu penso que devo ter tido essas idéias com os Rankins – o que, por sinal, é geralmente um nome judeu. Todos eles tinham aparência de judeus também. Eu ouvi dizer que os Rankins eram judeus quando estavam na Escócia, depois eles vieram para a Irlanda e não eram mais judeus, e eu acho que isso acontecia muito. Não sei se isso é verdade, mas eu gostaria que fosse.
Minha mãe e meu pai moravam bem perto um do outro. Minha mãe era Protestante e meu pai Católico e o caso de amor deles era praticamente ilícito na época. A Irlanda estava acabando de nascer como país e tudo estava muito agitado. O país estava praticamente em guerra civil com as diferenças de religião, com uma base Católica forte comandando essa nova nação enquanto o Protestantismo era visto como a fé dos antigos mestres, a religião dos invasores. Mas meus pais encararam a situação e se casaram."
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Blog U2 Sombras e Árvores Altas

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...