Anúncios

Ainda Não Encontrou O Que Procura? Pesquise Aqui!

terça-feira, 4 de novembro de 2014

Hot Press: A Grande Entrevista - Parte 3 (Bono)

A edição de novembro da Revista Hot Press traz uma extensa entrevista com o U2, feita por Olaf Tyarasen quando a banda estava à caminho da Alemanha para a gravação de uma apresentação promocional de divulgação do novo disco, 'Songs Of Innocence'; e o site U2 NEWS disponibilizou a íntegra em seu site.

Confira abaixo as melhores partes desta matéria, com grandes revelações sobre 'Songs Of Innocence':

Este novo álbum soa quase como um disco solo do Bono...

Bono: Bem, tive muita ajuda!

Lembra John Lennon e a Plastic Ono Band.

Bono: Sim, é algo muito estranho estar fazendo você mesmo. E alguns dos companheiros de banda estavam preocupados que poderia ser um pouco auto-indulgente, solipsista. Como que alguém iria se relacionar com ele? É muito particular, estes relatos de crescer em Dublin. Mas acontece que todo mundo tem uma rua que cresceu, e todo mundo se lembra da primeira vez que eles tiveram relações sexuais, e todos se lembram de um amigo que teve e que passou por tempos difíceis e o primeiro concerto transcendente. Na verdade, se você compará-lo com 'No Line On The Horizon' que é muito esotérico, ele acabou sendo surpreendentemente muito acessível...

Na verdade, eu realmente gosto do 'No Line On The Horizon'.

Bono: Ah, esse álbum me encanta. Larry não gosta. Eu sim. Porque ele é um compositor. Larry gosta das músicas. Ele é um homem 'música'.

E sua interpretação na versão acústica de "Every Breaking Wave"?

Bono: Eu não posso nem começar a dizer o que sinto ao cantar essa canção. Você tem que se preparar. Uma coisa engraçada, é que nós interpretamos a música no estúdio de um programa ao vivo e, em seguida, tivemos que fazer algumas entrevistas, mas as feridas ainda estavam abertas, então eu estive bastante controverso na entrevista. Eu encontrei-me bastante aberto e emocionado sobre algumas coisas, porque essa música havia feito algo em mim. Não é algo que você pode ligar e desligar com muita facilidade. Muitas canções deste álbum são assim ...

Como você vai se sentir quando "Iris" for tocada ao vivo?

Bono: Nem consigo imaginar! Não sequer pensei nisso ainda. Pensei se ela deveria estar no álbum ou não, e três ou quatro dias antes de terminar o álbum, pensei que não deveria ser incluida. Embora a canção seja um tema bonito e tudo mais, eu pensei que eu estava indo um pouco longe, e que não era muito punk rock, cantar sobre sua mãe.

É uma canção poderosa...

Bono: Lhe digo que poderia ser. Ao vivo, há algo poderoso sobre segurar um estranho. Em "Moment Of Surrender", quando o personagem ajoelha-se em um lugar público e fica numa rua, as pessoas passam por ele e cai de joelhos. Há algo em "Iris"... 'Segure-me firme, segure-me firme e não deixe-me ir / segure-me firme como alguém que você conhece'. Então eu estou segurando este... estranho. Há algo muito poderoso, na cultura dance? É conhecido. No rock and roll? Um pouco. Mas na cultura dance, a idéia de que você conhece alguém e você se agarra a ele e não o deixa ir: é poderosa. Mas o que aconteceu com esta pessoa, ao mesmo tempo, isso foi em setembro de 1974, e foi quando eu conheci minha esposa Ali. Não saí com ela por alguns anos, mas eu a via. E a música é um tipo de transferência de energia feminina, porque a maneira que eu passei a ver as mulheres, a partir daí, foi modificada para sempre. Nossa equipe está cheia de mulheres inteligentes... as mulheres são amigas e eu tenho um monte de amigos... é um grande momento, a puberdade, estar descobrindo meninas e essa mulher que te trouxe para o mundo, te abandona, vai embora. E você acha que é sua culpa, porque isso é uma coisa que garotos fazem. Mas claro que não é.

Você jogava xadrez?

Bono: Sim, eu jogava. Larguei aos 14 anos. Ao mesmo tempo que eu descobri as meninas...
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Blog U2 Sombras e Árvores Altas

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...