Anúncios

Ainda Não Encontrou O Que Procura? Pesquise Aqui!

quarta-feira, 10 de junho de 2015

As revelações da iNNOCENCE + eXPERIENCE, por Willie Williams - Parte 02


A turnê iNNOCENCE + eXPERIENCE do U2 está agora em arenas pela América do Norte, e o site Live Design continua a entrevista com o diretor criativo da turnê, Willie Williams, em trabalho com os cenógrafos Es Devlin e Ric Lipson (Stufish) e o designer de som Joe O'Herlihy.

Live Design: Vamos falar um pouco sobre a equipe criativa nesta turnê.

Willie Williams: A equipe é maravilhosamente diversificada, sendo desenhada a partir de várias direções diferentes. Gavin Friday é o diretor-executivo, embora seu papel tenha sido muito prático durante os ensaios. Ele tem sido um amigo da banda desde criança e ele próprio é um performer e artista. Ele tem um instinto extraordinário e um radar sobre todas as partes da produção.
Es Devlin e Ric Lipson são os cenógrafos. Eles tem sido meus principais colaboradores desde o início do projeto e através de suas muitas e muitas iterações.
Joe O'Herlihy tem sido uma estrela, como de costume, sendo o diretor de áudio em circunstâncias sem precedentes. Joe trabalha com o U2 por ainda mais tempo que eu, e homens mais fracos teriam parado há décadas, tendo em conta os parâmetros dentro do qual ele às vezes tem sido obrigado a trabalhar. O som é uma das estrelas reais do show, e suporta o palco por onde ele é espalhado para todo o chão da arena, então um único sistema padrão de PA no final não vai fazer o trabalho.
Sharon Blankson é a responsável pelo guarda-roupa, mas, tendo feito parte sempre da vida do U2, também é capaz de contribuir para todas as áreas, como é Morleigh Steinberg, oficialmente a coreógrafa, mas contribuindo novamente para o show.
"Smasher" — Stefaan Desmedt — completa a equipe criativa, sendo o diretor de vídeo da turnê que aciona o interruptor da câmera ao vivo enquanto pilota um avião com a mão esquerda.

LD: Como é trabalhar com dois cenógrafos? Como eles colaboram?

WW: Es, Ric e eu apreciamos enormemente nossa colaboração, especialmente quando percebemos que nós três dificilmente voltaremos a trabalhar juntos, sendo improvável que um show vá contratar duas empresas diferentes para o design.
Isso aconteceu porque no momento que começamos a projetar esse show, eu estava ciente de que íamos perder Mark Fisher, que tinha sido parte integrante de nossas vidas por muitos anos. Como uma estratégia para ajudar nesta perda, convidei Es para se juntar à equipe e chegamos à primeira reunião criativa com a banda em março de 2013. Mark ainda estava bem o suficiente para participar, e eu estava ansioso para Ric vir também, tendo gostado de trabalhar com ele em outros projetos. Inicialmente, Es brincou sobre não ter certeza de qual poderia ser seu papel, pois Mark era claramente o designer-chefe entre nós, então ele decidiu que seria "o estagiário" e aprenderia com o mestre. Ironicamente e muito, muito triste, Mark morreu apenas três meses depois, então, longe de ser um estagiário, a presença do Es tem sido uma grande parte para ajudar a preencher esse vazio.
Para mim pessoalmente, tem sido extremamente benéfico ter os recursos das duas empresas de desenho à mão, em particular porque o estúdio de Es e Stufish trabalham de formas completamente diferentes. Eu estou tentando não se acostumar com a ideia. A divisão do trabalho surgiu naturalmente, mas o melhor tempo mesmo foi quando estávamos apenas nós três "brincando" no papel.

LD: Como funciona tudo no projeto integral, artisticamente e tecnicamente?

WW: A peça central é o objeto telão-palco-ponte-iluminação que corre o comprimento do chão da arena. É composto por uma passarela entre duas telas de LED V-thru semi-transparente, com treliças de iluminação tanto acima, como abaixo da passarela. Ele funciona dentro e fora, através de escadas implantadas e um elevador, usado por alguns ou todos os membros da banda em momentos diferentes, por isso é um objeto que envolve praticamente todos os departamentos da turnê.
Existem diversas canções onde criamos pinturas combinando seres humanos vivos, iluminação, conteúdo de vídeo e fotos de câmera. Há um que é um aceno para a turnê Sound And Vision de Bowie, onde Edge minúsculo, toca ao vivo ficando na mão de Bono no vídeo do tamanho do King Kong. Outra cena tem todos os quatro membros da banda em linha, aparecendo e desaparecendo através de uma frenética faixa amarela digital que Raff Bueno, nosso chefe de controle de movimento, descreve como "se Nine Inch Nails tivesse um flutuador Mardi Gras, se pareceria com isto."
Outras cenas, eu realmente acredito, são inteiramente sem precedentes, como Bono caminhando no alto, ao longo de uma renderização de animações surreais da rua que ele crescera, visível para ambos os lados da arena simultaneamente. Então, só quando nos sentimos confortáveis, vamos para um som surround de um carro-bomba em Dublin, que é a coisa mais visceral que você pode imaginar. Certamente no rock'n'roll, não houve nada como isso antes, que é absolutamente emocionante para um grupo de pessoas que já trabalham juntos há mais de 30 anos.
O conceito de sistema de som de arena também teve que ser totalmente reinventado para esta turnê, dada a natureza de desempenho omni-direcional e o fato da banda estar por todo o chão da arena.
Joe O'Herlihy e Clair começaram do zero e, mais uma vez, estavam preparados para trabalhar em equipe a um grau que teria deixado mais designers de som de mau humor. A paciência de Joe ao longo dos anos não pode ser exagerada. Se ele dissesse que era impossível, então simplesmente não faríamos isto. Como resultado, temos um programa de qualidade de som que está recebendo elogios na grande imprensa. O som é o mesmo em todos os lugares, em vez de berrar em você vindo de um lado apenas.
Um fantástico efeito colateral dos alto-falantes sendo espalhados por todo a arena é que abre o espaço para um grau surpreendente; a grande nuvem negra desapareceu! Quando você entra na arena, você olha para cima e sente como se ali não tivesse muita coisa, que é um tanto irônico, dado que esta é a mais pesada turnê de arena na história do entretenimento ao vivo.
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Blog U2 Sombras e Árvores Altas

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...