Anúncios

Ainda Não Encontrou O Que Procura? Pesquise Aqui!

segunda-feira, 26 de dezembro de 2016

Revelações: Lovetown Tour - Parte 4


Willie Williams é o diretor de iluminação de palco e designer dos shows do U2 desde 1983. Quando existia a Revista Propaganda do U2, ele era citado em matérias como Peter Williams, e em 1990, fez revelações e comentários dos shows da turnê Lovetown:

BOA NOITE, REYKJAVIK

"Ou nós esquecemos como é o público europeu, ou simplesmente nunca foi assim antes..." Assim falou um Bono exultante e um pouco chocado após o segundo de dois shows em Paris, o primeiro da turnê Lovetown na Europa. A resposta do público no Japão era boa pelos padrões japoneses, a resposta Down Under era boa em todos os padrões, mas a Europa era uma imbecilidade. Pode ter sido por causa dos shows indoors depois de tantos shows oudoors na turnê 'The Joshua Tree', pode ter sido porque os locais eram em sua maioria para assistir em pé, mas de qualquer forma, o público cantando tão alto foi algo difícil de acreditar.
Para aqueles entre nós que entendem estas coisas, Joe O'Herlihy (o cara do som do U2) disse que o ruído da multidão era de 120 decibéis na mesa de som antes de ligar o PA. Em termos leigos, é aproximadamente equivalente a ter a pessoa ao seu lado gritando em sua orelha. Surpreendente, como isso é precisamente o que estava acontecendo, deu ao show uma atmosfera de excitação incontrolável.
Isto foi um grande impulso moral para todos ao redor, e muito oportuno, já que durante a parada em Paris aconteceu pela primeira vez um grave acidente durante uma turnê do U2. Devido à um equipamento defeituoso de elevação, umas das treliças de iluminação caiu, trazendo consigo Steve Witmer, técnico de manutenção do U2, que caiu de 40 pés no chão da Bercy Arena. Inacreditavelmente, Steve, que esteve com o U2 desde 'The Unforgettable Fire' sobreviveu, e com o tempo, espera-se que ele fará uma recuperação completa. Ele agora está no hospital, na Califórnia, e desejamos o melhor para ele.
A Lovetown foi para Alemanha e Holanda, onde, infelizmente, os "germes psicodélicos" lá da Austrália decidiram realizar uma segunda Assembleia Geral Ordinária na garganta de Bono, o que significou que alguns shows foram re-agendados. Isto, no entanto, não diminuiu o entusiasmo da multidão, com a resposta lunática do público tendo sequência.
E assim, a chegada em Dublin, para o baile da sua vida. Os concertos de Dublin foram no Point Depot. É uma nova casa, mas um edifício antigo, que pode ser visto em seu estado original no filme 'Rattle And Hum'. Agora o edifício foi completamente remodelado, praticamente reconstruído para se tornar este íntimo local de concertos. Houve quatro shows aqui, entre o Natal e Ano Novo, terminando com o último show sendo transmitido ao vivo para toda a Europa, Leste e Oeste. O último show começou à meia-noite, no início dos anos 90 e foi ouvido por cerca de 700 milhões pessoas de Portugal para a URSS, da Islândia à Romênia. Foi o maior evento de rádio desde o Live Aid e tornou-se o álbum ao vivo da "Enciclopédia Pirata" do U2 para os inúmeros ouvintes que gravarão o show da rádio. A ideia de disponibilizar uma capa de fita cassete para impressão começou como uma brincadeira dentro do campo do U2, mas no final parecia uma coisa divertida à se fazer. Se você vai fazer isso, você precisa fazer do jeito certo!
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Blog U2 Sombras e Árvores Altas

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...