Anúncios

Ainda Não Encontrou O Que Procura? Pesquise Aqui!

segunda-feira, 9 de janeiro de 2017

'The Joshua Tree Tour 2017' e 'Songs Of Experience': revelações de The Edge em entrevista para a Rolling Stone - Parte 3


Como será o palco desta nova turnê de The Joshua Tree ? Será totalmente igual ao original de 1987?

Não acho que nós queremos ser assim tão servil, mas ao mesmo tempo, queremos reconhecer o tipo das ideias estéticas que veio com o registro. Não acho que nós vamos naquela coisa de "reinventar a roda", mas nós definitivamente pegaremos essas ideias estéticas e meio que vamos atualizar um pouco. Este é a The Joshua Tree de 2017. Não é a The Joshua Tree de 1987.

Ainda assim, com certeza a palavra "nostalgia" vai ser atirada em torno da conexão para esta turnê. O que sentem sobre isso?

Bem, como eu disse, eu acho que o que é importante para nós é que não é realmente sobre nostalgia. Há um elemento de nostalgia que não podemos evitar, mas não é motivado por um desejo de olhar para trás. É quase como se este álbum tivesse completado o círculo e estamos lá de novo. É uma espécie de uma relevância novamente que certamente estamos cientes.

O próximo disco será 'Songs Of Experience', ou é possível que seja algo completamente diferente?

Não, acho que será mesmo 'Songs Of Experience'. Quando eu digo que está quase pronto, nós definitivamente queremos aproveitar esta oportunidade para pensar sobre isso, certificar-se que é realmente o que queremos lançar, tendo em conta as mudanças que ocorreram no mundo. E talvez alguma coisa vai mudar, mas absolutamente queríamos correr esse risco só para reconsiderar tudo. E quem sabe? Nós podemos até escrever algumas músicas novas porque essa é a posição que nós estamos. Nós nos demos um pouco de espaço para a criatividade.

Você acha que quando terminarem a nova turnê de The Joshua Tree, a turnê iNNOCENCE + eXPERIENCE irá ser apresentada novamente com o mesmo palco e tudo que usaram da última vez?

Cremos que essa turnê não foi concluída. Então agora, nós gostaríamos de terminar a turnê. Eu imagino que vai ser com componentes de produção muito semelhantes. Mas eu odiaria tentar olhar muito longe para o futuro. É a suposição de trabalho no momento, mas as coisas podem mudar e nada está escrito em uma pedra até o momento. Mas nós gostamos desta turnê e esse projeto não foi concluído. Criativamente, ainda está viva em nossas mentes.

Você tem alguma ideia de como o próximo álbum será distribuído? Houve muita atenção dada à distribuição na última vez.

Meu plano é que Bono e eu nos enfiamos na casa de todos e colocamos um CD debaixo de suas almofadas [risos]. Mas infelizmente, isso não parece estar tendo muito apoio do resto da banda. Mas, não, outra vez, é bastante interessante a forma como a distribuição, promoção e comercialização da música de tem causado tumulto ao longo dos últimos anos. O que parecia ideias mais inovadoras e de vanguarda há seis meses já não parecem mais novas ou inovadoras. Além disso, estou ciente de que as vendas de discos de vinil estão disparando. Estou louco para ver isso. Falam muitas coisas sobre o disco de vinil, sobre o que o artefato significa para as pessoas em relação à um download digital, um arquivo. Pessoas, no final, tem uma conexão emocional com um grande disco e com a artista.
Um arquivo digital é... olha, a conveniência é maravilhosa. Eu estou sendo honesto, ainda tenho a minha coleção de vinil, mas eu uso arquivos digitais 90% do tempo. Mas eu nunca desistiria do meu vinil. E então há uma necessidade de ambos, e acho que esse tipo de coisa tranquiliza, ainda há esta conexão profunda e emocional que as pessoas têm com o corpo de um trabalho, que é um álbum. Então, quem sabe? Ainda estamos tentando descobrir como todos os outros.
O que eu acho reconfortante é que essa cultura musical e música ainda estão na vanguarda. Pessoas estão gostando e divertindo-se e virando-se para isso para todos os tipos de razões. Estou interessado em ver se neste novo mundo pós-verdade, a música se reconecta com o segmento de ativismo-protesto que tinha há muitos anos e parece ter se perdido recentemente. Acho que música sempre foi, a meu ver, uma parte importante, crucial do que me atraiu para ela, e o motivo que eu acho que muitas pessoas são atraídas por ela. Então eu sinto que este é um momento onde a música pode passar por uma espécie de renascimento de algum tipo e eu estou muito animado para ver o jovens em suas garagens em toda a América do Norte e Europa escrevendo e lançando canções ao longo dos próximos anos. Acho que é hora de voltar para um pouco disso.

Última pergunta: você acha que haverá uma turnê de aniversário de 30 anos de Achtung Baby em 2021?

[Risos] Não tenho planos, mas nunca diga nunca.
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Blog U2 Sombras e Árvores Altas

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...