Anúncios

Ainda Não Encontrou O Que Procura? Pesquise Aqui!

terça-feira, 15 de março de 2016

1979: A Grande História Da Inocência - Parte 09


"Cheguei em uma noite de fevereiro muito chuvosa e agitada", recorda Stewart. "Se puder ser dito que eu estava em um camarote real no estádio, então eu estava. A banda entrou e tocou 11 O Clock Tick Tock Tock e o palco foi invadido. Após cerca de quatro músicas, virei-me para Michael Deeny, que é o padrinho da música irlandesa e disse: 'Pelo amor de Deus! Este é o Led Zeppelin na década de 1980!' Eu sabia que eu estava vendo algo especial. Musicalmente, eu os achei um pouco ingênuos, mas a maneira que eles tinha seu próprio público, como Bono lidou com isso... Eu apenas pensei: 'Eu tenho que ter essa banda....'"
O encontro com o U2 depois aconteceu "no menor camarim que eu já vi", e Stewart foi surpreendido pela juventude da banda: "Larry parecia um menino." Mediante acordo mútuo, ele ofereceu para a banda um acordo no local. Essa foi a parte fácil. Convencer o chefe da Island Records, Chris Blackwell, seria uma tarefa muito mais problemática.
"Na época, Chris Blackwell estava muito interessado em assinar com outra banda que tinha acabado de surgir, o Spandau Ballet", Stewart recorda. "Era a fase pós-punk e o New Romantic estava começando a acontecer. Gary Numan e Blondie eram muito grandes. Se você não tivesse um sintetizador e um corte de cabelo engraçado, você não era interessante. Então eu disse a Chris: 'Não tenho absolutamente nenhuma dúvida que Spandau Ballet será um fenômeno, mas é uma banda pop'.
"Havia quatro banda que eu estava olhando muito de perto no momento: U2, Simple Minds, Echo And The Bunnymen e The Teardrop Explodes. Curiosamente, eu realmente fiz um acordo com o Teardrop Explodes, que achei que tinha assinado, até que Chris Blackwell rasgou ele - que foi bastante irônico, porque, obviamente, ele assinou com Julian Cope alguns anos mais tarde. De uma maneira bastante ambiciosa, ingênua, eu queria que todos os quatro assinassem, mas não consegui. Os empresários do Simple Minds não estavam ainda preparados para falar sobre assinatura, porque, mesmo naqueles dias, havia uma grande rivalidade entre eles e o U2".
Significativamente, outra banda que escapou das garras de Stewart no mesmo período era um obscuro quarteto americano cuja carreira seria paralela ao U2 em muitas maneiras: R.E.M.
"Cada um tinha quatro membros e uma gestão muito estabelecida", diz Stewart. "Havia algo sobre esses quatro pilares que achei muito impressionante. Lembro-me de Chris Blackwell me perguntando por que eu estava tão interessado no U2 e eu disse: 'Há um grande cantor e um grande guitarrista.' Ele disse: 'Então assine com o guitarrista e com o cantor.' Eu disse: 'Você não está entendendo, são todas as quatro partes que faz com que a banda seja o que é. A química.'"
Mesmo com o contrato da Island com o U2 elaborado, Blackwell permaneceu cético sobre suas iminentes novas contratações da Irlanda. "Tivemos uma série de conversas", recorda Stewart, "uma das quais teve lugar no Compass Point nas Bahamas, onde ele me levou através da Baía do estúdio para a cidade, a um ritmo feroz, como se isso fosse para dissuadir-me de meu ponto de vista."
Mas Blackwell finalmente cedeu para a persistência de Stewart e Partridge, vozes solitárias discordantes em um negócio de música de Londres caracterizada pela indiferença geral à música irlandesa.
"Foi estranho que ninguém no Reino Unido parecia interessado em assinar com essa banda", diz Partridge, "mas se você olhar através de edições da Hot Press, eles estavam ganhando em enquetes de Melhor Nova Banda e outras. Havia essa coisa crescente acontecendo. O primeiro show que eu vi deles foi no Subterania – ou Acklam Hall, como era chamado na época. Acho que esse foi o dia antes de eles assinarem e havia cerca de 27 pessoas, nove dos quais eram da gravadora. Novamente, o guitarrista foi muito impressionante. Lembro-me de pensar que eles iam ter que trabalhar um pouco mais em suas músicas, e que o cantor teria que se acalmar. Ele nunca fez isso, é claro, o que prova: o que eu sei?"
O show no Acklam Hall era parte de um mini-festival celta intitulado A Sense Of Ireland, marcado para a noite de São Patrício. Paul Slattery novamente levou sua câmera, e lembra do desempenho do U2 mais positivamente do que Partridge.
"As pessoas ficaram loucas para o show", diz Slattery, porque estava começando a acontecer para eles em Londres – e, claro, a maioria das pessoas lá eram irlandeses. Eles abriram para o Prunes e Bono foi ainda mais teatral. Junto deles, ele estava colocando sua persona teatral."

Revista Uncut - Dezembro de 1999
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Blog U2 Sombras e Árvores Altas

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...