Anúncios

Ainda Não Encontrou O Que Procura? Pesquise Aqui!

sexta-feira, 18 de setembro de 2015

Bono fala sobre a turnê européia de iNNOCENCE + eXPERIENCE e faz revelações sobre o próximo disco do U2 - Parte 1


Em entrevista para Brian Boyd do The Irish Times, Bono fala sobre a turnê européia de iNNOCENCE + eXPERIENCE e faz algumas revelações sobre 'Songs Of Experience', o próximo disco do U2.
Uma das canções inéditas é atmosférica e foi escrita para a trilha sonora de um filme!

Confira a 1° Parte:

Tarde da noite, em um carro veloz na estrada entre Turim e Milão, em rota para conhecer o primeiro ministro italiano Matteo Renzi, Bono fica em silêncio antes de dizer: "a melhor frase já dita sobre mim e também a linha mais precisa já dita sobre mim foi definitivamente do meu pai. Ele disse: 'Você, Bono, é um barítono que pensa que é um tenor'. E essa é a história da minha vida ali."
Ele já cantou sobre o pai no passado. Agora ele está cantando sobre sua mãe. Quando ele toca "Iris (Hold Me Close)" ao vivo no início da noite, ele fica de joelhos, chora e depois faz o sinal da Cruz.
"É difícil, claro que é difícil cantar essa música", ele diz. "Mas eu sempre tive essa coisa grande que é: o que é o ponto de estar no U2 se não podemos levantar os assuntos que os outros achariam legal?" Ele aumenta a sua voz. "Quero dizer, qual é o ponto?"
Bono então coloca faixas do próximo álbum do U2, 'Songs Of Experience'. Sua voz vem através de seu telefone celular, e ele canta sobre "the dying of the light" (a morte da luz). Ele harmoniza com ele mesmo, com o álbum tocando, e dá para cada canção mostrada, uma introdução: "nessa estávamos indo atrás de um tipo de som de gravador de cassete quebrado"; "Essa tem uma batida que range"; "Você tem que ouvir a guitarra de Edge trabalhando nessa"; "Espere só até ouvir a bateria explodindo nesta".
Ele está se perdendo em sua própria música, olhando pela janela enquanto ele canta junto.
O primeiro-ministro italiano está esperando. Bono continua a rolagem da lista das canções e tocando elas. "Nós vamos lançar este álbum no próximo ano; algo incomum para nós é que muitas das canções já estão finalizadas."

Chegamos ao destino, eu abro a porta e coloco um dos pés para fora, mas Bono diz: "Ouça esta. É realmente atmosférica, foi escrita para um filme".
Dois pés no chão, agora. "Espere! Você tem que ouvir esta aqui, é muito triste...."

Após o encore final no show em Turim naquela noite, "I Still Haven’t Found What I’m Looking For", Bono improvisa um trecho de "People Have The Power" de Patti Smith, sai do palco e vai diretamente para um carro já acelerando, em que eu estou esperando por ele. A música ainda está tocando na arena, quando a escolta policial nos orienta para fora do local.
"Eu achei que o show de ontem à noite foi ótimo (a noite de abertura da perna européia), e realmente foi, porque o script estava lá e os sentimentos estavam lá. É quando você está confiante o suficiente para ser capaz de relaxar, torna-se ainda mais poderoso. É como dar um soco. Houve alguns ritmos hip lá - é a pélvis".
O conceito para a turnê iNNOCENCE + eXPERIENCE, começou na noite de abertura da turnê 360 em Barcelona, em 2009. Para uma banda que tinha sido forjada no calor da música Punk/New Wave na década de 1970, houve uma realização ao ver a escala enorme da 360°, mas a próxima turnê teria que ser em lugares fechados e com um público mais próximo.
"360 era uma experiência comunal no seu melhor", diz Bono. "Mas para ser uma experiência comunal adequada, que você tem que ter as linhas da canção, você tem que ter as canções folclóricas. Se o público são a peça central - e essa era a ideia por trás da 360 - então você precisa ter músicas para cantar. A coisa é: nós tínhamos feito um álbum atmosférico [No Line On The Horizon], um complexo trabalho, então foi um pouco contraditório com isso."

Foi à partir de The Clash, The Ramones e canções como Ever Fallen In Love (With Someone You Shouldn’t Have) do The Buzzcocks e Love Will Tear Us Apart do Joy Division que transformou o U2 de uma banda cover de Peter Frampton e Eagles, no grupo que gravou 'Boy', seu álbum de estreia em 1980.
Esta turnê atual é uma exposição dos primeiros anos do U2: em Turim, a banda tocou mais músicas de 'Boy', do que do álbum best-seller e favorito dos fãs, 'The Joshua Tree'.
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Blog U2 Sombras e Árvores Altas

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...